Título Original: The Hunger Games
Autora: Suzanne Collins
Ano: 2008
Editora: Rocco
Páginas: 400
Compre aqui
A algum tempo tive uma fase que posso chamar de “atrito com a literatura”. Passei um bom tempo sem ler absolutamente nada, e o porquê? Não sei. Simplesmente eu não me interessava mais. Mas isso mudou no dia que me foi apresentado um filme que o título fazia eu virar o nariz. Jogos Vorazes? Que nome é esse? Eu vi o filme e me surpreendi. Fui apresentada a um enredo forte, envolvente e tenso, diferente de tudo que já tinha visto e lido, com belíssimas atuações, e o principal despertou aquela minha vontade de querer saber mais sobre o que aconteceria com aqueles personagens. Algo que não sentia a um bom tempo. 
Bem, com esta pequena introdução/desabafo. Jogos vozes é meu queridinho por isso. Harry Potter me apresentou a literatura e o mundo de vários mundos e Jogos Vorazes reacendeu o que estava adormecido em algum lugarzinho dentro de mim.

Fui correndo comprar meu exemplar de Jogos Vorazes da autora Suzanne Collins e de quebra ganhei de aniversário o restante dos livros. Bem… e o que dizer? Virou sem dúvida, uma das minhas trilogias preferidas e mais marcante. O livro carrega em seu enredo, um nível máximo de tensão, consegue explorar vários problemas sociais, assim como uma crítica a sociedade e ao governo. Mesmo que para uma distopia, podemos refletir e muito. Como UMA escolha pode mudar nosso destino? E como UMA pessoa pode fazer a diferença para uma multidão. _|||_
Após rebeliões, a América do Norte foi extinta e um novo país foi estabelecido. Panem agora é formado por 12 distritos, e todos são comandados pela Capital, lugar onde está toda a alta sociedade. Para que toda a população se lembre da supremacia da Capital, foi criado os Jogos Vorazes, que nada mais é do que uma competição anual, transmitido como um reality show pela TV. Um casal de cada distrito é sorteado e levado até o programa com o único motivo: lutar até que sobreviva apenas UM.

A ideia é absurda e brutal mas Panem já estava em sua 74º edição e desde que nenhum familiar seu fosse sorteado todos levavam uma vida “normal” até o próximo sorteio, a “colheita” como é chamada, nela os novos tributos eram escolhidos.

“Feliz Jogos Vorazes! E que a sorte esteja sempre ao seu favor”
Jogos Vorazes tem como protagonista Katniss Everdeen uma menina de 16 anos que mora no distrito 12 junto com sua irmã mais nova e sua mãe e conta apenas com a ajuda de seu melhor amigo Gale Hawthorne. Todos enfrentam uma realidade de quase miséria, fazendo que Katniss e Gale se arrisquem além dos muros permitidos do seu distrito para caçar para que possam comer.
O dia da colheita chega e o nome de sua irmã Primrose Everdeen é retirado para ingressar nos Jogos Vorazes e é ai que o destino de Katniss seria traçado. Para evitar que sua inocente irmã seja a mais nova vítima desse massacre Katniss se oferece como tributo.

“Eu me ofereço! Eu me ofereço como tributo!”

O rapaz escolhido para ir com ela aos Jogos é Peeta Mellark, ele que já ajudou sua família no passado e com o “time” formado qualquer estratégia para a vitória é válida como obter aliados (mesmo que por um tempo) e passar por uma série de treinamentos rígidos. Katniss e Peeta tem a ajuda de Effie Trinket e do único vencedor vivo do seu distrito, Haymitch Abernathy. Pressionada a embarcar na ideia de Peeta em criar “o casal desafortunado”, Katniss se entrega a algumas cenas de romantismo afim de encantar o público e consequentemente obter mais ajuda e patrocínio na arena. Ela aceita, afinal, seria tudo uma grande encenação certo?

Katniss é uma personagem muito bem construída, não só ela mas como todos da saga, ela é uma garota forte, centrada, lutadora e de personalidade marcante. Envolvida com o plano de Peeta e cada vez mais próxima dele, Katniss tem nele a única lembrança de casa, e ao conhecê-lo mais, ambos se veem envolvidos demais e quase incapazes de aceitar a triste realidade que no fim, apenas um sairia vivo da arena. Estariam ambos dispostos a lutar por suas vidas? As escolhas eram nulas, é matar ou morrer, e o mais capaz venceria!

“Que os Jogos Comecem!”

O livro é surpreendente, desde a hora que é feito a colheita ao fim, é lindo mas trágico, e tem a dose de emoção exata, conta uma história original e com muitas cenas de lutas físicas, mas vai muito além: fala sobre superação.

É com esta resenha que tento expor o porquê do livro ser um best-seller e um fenômeno, tanto em sua história original quanto nos cinemas. Jogos Vorazes é uma leitura gostosa rápida e envolvente, chorei, ri, morri de medo, e no final chorei mais, parece exagero, mas chorei muito. O melhor de ter visto o filme primeiro, foi poder reviver cada cena com os personagens traçados, cada expressão detalhada e clara em minha memória, mesmo aquelas cenas que não estão no filme eu as dirigi dentro da minha cabeça com meus queridinhos atores Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth e mais.

Leiam Jogos Vorazes e entrem nesse jogo de emoções. Se você já viu o filme e não leu o livro volte aqui após lerem e discutiremos sobre um detalhe “importante” que no filme não foi mencionado! Mas eu fiquei cho-ca-da!

CURIOSIDADE: O que significa o Tordo? Há 75 anos, quando os 13 distritos se rebelaram, a Capital criou bestantes chamadas “Gaios Tagarelas” a fim de espionar os planos dos rebeldes. As criaturas conseguiam reproduzir exatamente o que os rebeldes diziam. Os rebeldes logo descobriram e começaram a sabotar os planos da Capital, com esta descoberta os Gaios, agora inúteis, foram soltos na natureza a mercê da própria sorte para morrerem. Para sobreviverem os Gaios acabaram cruzando com outros pássaros, criando então uma nova raça, Tordos (Mockingjay na versão original – a raça foi criada para a trilogia, então não adianta procurar no Google). O Tordo significa, sobrevivência e resistência, uma raça liberta do poder da Capital.



Confira a série Jogos Vorazes:

1. Jogos Vorazes

2. Em Chamas

3. A Esperança

rela
ciona
dos