Pensei, pensei e decidi que Hemlock Grove seria minha indicação de série para este Halloween, um seriado que o sobrenatural é tratado como “normal”, um terror gótico onde tentaremos conhecer as nuances de humanidade que existem nesses “monstros” e de que maneira até eles têm seus próprios medos.  Confesso que assisti os cinco primeiros episódios da série e parei, até que chegou o mês de outubro e idealizando como seria está semana para o blog tentei achar uma série que abordasse todos os elementos possíveis dignos de terror, suspense, mistério, clima sobrenatural e agoniante, tudo que os adoradores do gênero gostam. Resultado? Hemlock Grove.
Eli Roth sempre esteve envolvido neste meio com filmes de peso e como uma boa curiosa que sou, resolvi dar essa segunda chance para a série, ainda mais com toda a notoriedade que ela foi ganhando com o tempo e já que estava ali disponível para mim na Netflix por que não?Hemlock Grove é uma cidade de Pensilvânia onde habitam alguns elementos sobrenaturais, até aí tudo bem, até a noite em que uma garota é encontrada brutalmente assassinada. Diante de muitas suposições e suspeitas, parte da população acredita que um dos culpados desse assassinato sangrento seja Peter Rumancek (Landon Liboiron), um cigano que acabou de se mudar para os arredores da cidade. Mas não é só com este boato que Peter convive, acreditam que Peter seja um lobisomem e como qualquer jovem rebelde faria, ele usa disso para enfrentar o bullying sofrido alimentando a mentira.

O outro forte candidato a ser o culpado pelo crime é Roman Godfrey (Bill Skarsgard), o primogênito da família mais rica e praticamente dona da cidade. Ele tem todos aqueles estereótipos que costumamos apontar para os típicos garotos ricos da sua idade, é arrogante, mal humorado e é totalmente entediado com sua vida boa e fácil. Enquanto o crime segue sem uma solução e a população apontando cada vez mais, os dois como assassinos, Roman e Peter, resolvem se unir para encontrarem o verdadeiro assassino. O problema é que eles vão acabar descobrindo muito mais coisas envolvidas além da verdade por trás disso.

Aos poucos a série vai se aprofundando nos mistérios desses personagens, nos segredos que motivam cada um, suas origens e todo o mistério que envolve a cidade. Então, vai uma dica: esperem pela construção dos personagens, vai valer muito a pena. A série toma outra cara quando finalmente chegamos ao seu ápice.
As atuações dos protagonistas estão surpreendentes, o que ajuda ainda mais a entrar no clima. Famke Janssen como Olivia Godfrey está totalmente envolvente e as cenas com ela prometem muita tensão, por que nunca sabemos o que esperar dela. Letha Godfrey (Penelope Mitchell) e a Dra. Chausser (Kandyse McClure), carregam mistérios com elas que me deixaram louca pelos próximos episódios cada vez que terminava um. Além delas há Christina Wendall (Freya Tingley), personagem que fez eu quase roer as unhas que eu prometi nunca mais colocar na boca. Ahh… e é claro que não poderia esquecer de Shelley Godfrey (Madeleine Martin), que mesmo com toda sua monstruosidade consegue passar sua magia, coragem e doçura.

As cenas de terror são totalmente bem construídas e indo contra todos meus “pré-conceitos”, os efeitos são ótimos, até mesmo, a cena de uma certa transformação aí, que me deixou totalmente agoniada e aflita na frente da tela…Urghhh! E sabem o melhor disso? É que eu adorei! Como uma boa história de terror deve ser, os Lobisomens são seres amaldiçoados e sua transformação não deveria ser rápida e indolor como estamos acostumados a ver. Em Hemlock Grove você sente sua pele se rasgar junto com o personagem, você sente um arrepio ao escutar o grito agonizante de dor. Com certeza é uma das cenas mais memoráveis da série e isso afeta diretamente as pessoas.

Depois dos elogios vem a parte que tenho que contar os contras certo? Mesmo o final compensando tudo, eu sinceramente, não sei se concordo com uma série que se sustenta apenas pelos últimos episódios, acho que a série poderia sim, ter dado mais respostas ao longo dela. Apenas um pouquinho mais de explicações necessárias estaria cem por cento para mim. Mas eu não sou nenhuma expert, pelo contrário, costumo ver muito pouco do gênero, por isso tenho certeza que os amantes de lobisomem e … (não direi mais nada, veja!) vão apreciar a série. Por fim, eu admito! Hemlock Grove é algo original e envolvente, valeu a pena, ainda mais por todas as doses certas de violência e terror.
Lembrando que a série é baseada no livro (editora LeYa) que leva o mesmo nome, de Brian McGreevy, responsável também pela criação da série. Muito legal ter o idealizador tão perto assim da adaptação né?! E é ainda mais satisfatório saber que apenas com uma semana de estreia, Hemlock Grove foi vista por mais membros no mundo todo do que House of Cards, também da Netflix. Isso garantiu aos fãs a renovação da série que já está em sua segunda temporada e pronta para a terceira, que concluirá tudo.
Roth chegou com uma fórmula criada para Hemlock Grove, ele acreditou que o ideal é estabelecer bem os personagens antes da ação realmente começar, por isso do terror na série não ser tão dividido durante a temporada. Entre as minhas dúvidas, acredito que a fórmula tenha me convencido, pois depois do final da primeira temporada agora estou louca pela segunda que promete ser muito melhor.

  • Hemlock Grove
  • Lançamento: 2013
  • Criado por: Brian McGreevy e Lee Shipman
  • Com: Famke Janssen, Bill Skarsgård , Landon Liboiron
  • Gênero: Terror, Suspense
  • Duração: 13 episódios - 52 minutos

rela
ciona
dos