Open Grave

Lançamento: 14 de agosto de 2013
Com: Sharlto Copley, Josie Ho, Joseph Morgan
Gênero: Terror, Suspense, Drama

Eu andava esperando pela oportunidade de assistir esse filme já fazia um tempo, o trailer me chamou muito a atenção, a história intrigante me conquistou foi capaz de criar um suspense no ar! As minhas expectativas cresceram mais ainda quando eu li diversos comentários positivos com relação ao filme e quando li sobre a ótima atuação de Sharlto Copley (Rei Estefan no filme Malévola). Não poderia esperar um filme ruim!
Quando se trata de filmes de terror eu sou bem crítica, talvez até demais, sempre espero pelo melhor, por uma história interessante, sustos, arrepios e apreensão. Por isso Open Grave foi uma grande decepção e uma grande alegria! Mas não se preocupem que eu vou explicar tudo para vocês.
Open Grave começa direto, sem te enrolar, sem te fornecer qualquer explicação sobre a história. Ele se inicia com um homem (Sharlto Copley) acordando, mas ele sente dor, como se antes de dormir ele tivesse sido jogado, ou tivesse se jogado em uma enorme vala, um enorme túmulo aberto cheio de cadáveres. Esse homem não se lembra de nada, não lembra nem mesmo de seu próprio nome, não recorda como chegou ali ou o que aconteceu com ele. O tempo passa e ele percebe que está sendo observado, existe uma pessoa acima da vala, uma mulher e ela joga uma corda para que ele saia de lá. Porém, quando ele consegue sair a mulher já havia desaparecido.
Vagando pelo local e adentrando em um bosque que circundava o túmulo ele encontra uma casa com luzes acessas, estava chovendo forte e ele decide entrar. Dentro da casa ele encontra cinco pessoas, sendo duas mulheres e três homens, uma das mulheres foi quem o tirou de lá. A mulher que o “salvou” é muda e incapaz de se comunicar com os demais por não compreender a língua inglesa, ela só fala e escreve em japonês. Os demais também não se lembram de nada, as únicas informações que eles possuem foram retiradas dos objetos pessoais que encontraram em seus bolsos. Com isso cada um reconhece vagamente algum elemento de sua vida, e o homem do túmulo aos poucos se lembra de seu nome: Jonas.

Vasculhando a casa o grupo descobre um arsenal de armas, mas quem viveria com tantas armas em casa? O que estava acontecendo ali? Com armas nas mãos eles decidem se separar, uma parte do grupo ficaria em casa, enquanto os outros iriam sair em buscas de respostas. No bosque o grupo encontra mais cadáveres, eles estão amarrados as árvores, pendurados pelos galhos, como um aviso, como uma forma de afastar intrusos?

Com o passar do tempo, através de objetos encontrados e fitas de vídeo, as memórias de cada membro do grupo retornam, mas elas são apenas fragmentos, algumas não fazem sentido, outras são interpretadas de forma errada, porém todas fazem parte do enorme quebra cabeça ao qual eles estão inseridos. A única pessoa que realmente parece saber o que está acontecendo ali é a mulher muda, mas a dificuldade de comunicação com os outros membros do grupo faz com que ela seja impedida de ajudar.
Diversas vezes eles se deparam com o número 18, o que significa esse número? Ele também está marcado no calendário, o que acontecerá no dia 18? E percebemos que a história nos entrega pequenas pistas, peças que são encaixadas apenas no final.

O grande trunfo e a minha grande alegria nesse filme está na história, na sua trajetória, na forma como buscamos por respostas a todo o momento, como tentamos entender o que acontece e ao final perceber que tudo se encaixa, perceber que a história foi boa! Não é o seu ponto de chegada que importa, mas a sua jornada, tudo o que aconteceu até o momento em que você chegou ao seu destino, quando a história termina. Junte isso a Sharlto Copley, que conseguiu me encantar, entrou para a lista de atores que eu admiro, conseguiu me fazer torcer por seu personagem e esperar por novos filmes com o ator.

O que me decepcionou, e muito nesse filme, foi a fraqueza de como o gênero terror é explorado. Não vou mentir, ele é bom, tem uma história que te prende, possui uma dose de drama, e provavelmente algumas pessoas até sentirão medo ao assisti-lo. Mas para a pessoa que escreve agora, aqui atrás da tela do computador, ele deixou a desejar no quesito terror.

“Estávamos aqui para ajudar… Mas falhamos… A praga se espalhou”

Recomendo o filme, para todos os amantes de terror, de suspense e de zumbis… Sim! Zumbis! Mas essa é a última informação que dou a vocês! Acredito que cada um terá sua opinião sobre o filme, e eu acho isso maravilhoso, por isso se você tiver a oportunidade de assistir não esquece de me dizer o que achou, se concorda comigo ou não! Adoraria saber a opinião de vocês!

rela
ciona
dos