Resenha: Ivvi

07 out, 2014 Por Joi Cardoso

Título Original: Ivvi
Autor: Leandro Andreo
Ano: 2014
Editora: Pandorga
Páginas: 120
Compre aqui

Ler poemas, poesias e sonetos para mim sempre foram um desafio. Não por não conseguir concluir a leitura mas sim por ter receio de não conseguir sentir o que o autor, na maioria das vezes quer passar. Definitivamente não é o que acontece com Ivvi, do autor nacional Leandro Andreo, eu senti cada etapa de seu trabalho e pude fortalecer ainda mais minha vontade de ler este gênero e de tornar isso um hábito.
Mas antes de qualquer coisa, preciso falar sobre a edição da editora que está impecável, o cuidado e o capricho do livro é evidente assim que abrimos a primeira página que são decoradas, os poemas estão separados e organizados e sem contar a capa lindíssima. A editora Pandorga está de parabéns e hoje me sinto feliz por ter este exemplar em minha estante! Obrigada Leandro pela oportunidade de apreciar sua obra.
O início da leitura começou acanhada, mas aos poucos fui perdendo totalmente a timidez e me entreguei a leitura, peguei o time, as rimas, entrei totalmente no clima. Acredito que tenha que ser assim quando vamos ler algo sobre o amor e sentimentos e só assim, podemos entender o que o poeta quer transmitir, degustando cada palavra, cada rima, uma por vez. Falar sobre o amor, é algo que admiro, para um autor do gênero os sentimentos devem estar bem aflorados e totalmente esclarecidos em seu ser, em cada partícula. Afinal, ele irá representar em palavras o que sente, e o desafio maior é fazer com que o leitor sinta o mesmo.

A personagem Ivvi não é apenas a inspiração do autor neste livro, durante a leitura, entendemos que ela passa a ser qualquer pessoa que um dia foi amada, seja pelo poeta, por mim ou por você. E mesmo sendo um livro de poemas, eu consegui identificar um enredo latente por aqui, e que existe uma história por trás das palavras casadas.
Em suas 5 partes, sendo elas: O Amor, Sobre Ivvi, Para Ivvi, Sem Ivvi, e a Coroa de Sonetos percebemos as diversas etapas desse “relacionamento”, assim como a descoberta do sentimento, o anseio por ele e até uma possível decepção. Tudo é sentido com muito transparência e isso foi o que mais me agradou na leitura. Não é preciso ser nenhum entendedor ou fã do gênero para entender, basta ler.
Normalmente, quando lemos algo assim, vemos um apanhado de poemas e só. Mas em Ivvi não, vemos a preocupação do autor em demonstrar sua evolução e a trajetória do poeta, da maneira que ele resolve se expressar e até a forma que ele muda ao longo do livro. Por fim, o que falar da Coroa de Sonetos? Ela é tão implacável, que lacra a obra com propriedade. Garanto que fará qualquer leitor de apaixonar. Como um todo, Ivvi é um deleite. As rimas, as palavras tudo se encaixa, tudo faz sentido. O leitor conclui que Ivvi não se encontra só neste livro, Ivvi se encontra em todos os corações que se apaixonam.
Ivvi está presente 
em nossas vidas 
e dela não há como fugir 
Eu vou ficando por aqui, pois
fiquei tão inspirada por sua obra
Leandro, que só tenho que aplaudir. 
Mas vejam só, 
até a resenha já está virando rima 
e não quero admitir.
Mas faço uso dela agora, 
para mais leitores atrair.

rela
ciona
dos