Resenha: Mentirosos

27 jan, 2015 Por Joi Cardoso

Título Original: We Were Liars
Autora: E. Lockhart
Ano: 2014
Editora: Seguinte
Páginas: 272
Compre aqui
Talvez, seja cedo demais. Sim, é cedo demais, já que estamos em janeiro mas eu preciso dizer. Mentirosos é minha melhor leitura de 2015. Para vocês terem uma ideia eu enrolei esta resenha o quanto pude para conseguir colocar em ordem minhas ideias, este livro é perturbador e intenso e ao mesmo tempo sutil e sensível.
Quando você pensa que sabe algo, é outra coisa totalmente diferente. Vou tentar explicar aqui, para que vocês possam sentir um pouquinho do que senti com esta leitura, mas é claro, sem mencionar qualquer detalhe do segredo desta obra, porque é justamente ele que a engrandece. Também não farei nenhuma comparação a outro livro ou filme, porque isso também estragaria tudo.
Cadence é uma garota de quase dezoito anos e ela faz parte da família Sinclair. Os Sinclair são um tanto peculiares ou não, misteriosos e gostam de manter as aparências. Harris Sinclair é o patriarca da família e depois da morte da sua esposa, suas três filhas disputam a atenção e herança do velho, que sabe usar muito bem disso para seu poder, ele controla todas as atitudes e decisões de suas filhas diretamente. Cady é filha de Penny, prima de Mirren e Johnny que tem um melhor amigo chamado Gat, juntos eles são chamados de Mentirosos. Os quatro cresceram em Beechwood, a ilha particular dos Sinclair. Lá, em todos os verões desde os oito anos de idade, eles se encontram e vivem seus melhores momentos juntos.

“Johnny é estalo, iniciativa e sarcasmo. Mirren é açúcar, curiosidade e chuva. Gat é contemplação e entusiasmo, ambição e café forte.”


Mas a história começa há 2 anos. Com 15 anos, Cadence tentava se recuperar da separação dos seus pais quando juntamente com seus amigos, que antes não enxergavam além das aparências de sua família, começam a perceber todos os problemas que os Sinclair carregam. Inclusive é através de Gat que conseguimos enxergar o lado obscuro da família, ele que alerta Cady e nós, leitores. De um lado, temos a forte amizade entre estes quatro amigos e do outro temos as imperfeições dessa família, que por baixo dos panos só disputam entre si. Tudo é uma grande fachada, a família “perfeita” está em ruínas, definhando financeiramente e psicologicamente, deturpados pela mentira e pela ganância.
Com todas estas descobertas, a história dos Sinclair é lapidada no meio desse turbilhão de sentimentos. Até que certa noite, Candence, nossa protagonista e narradora, é encontrada na praia, sozinha, desacordada, sem parte de suas roupas e sem se lembrar de nada. Seu problema foi nominado como traumatismo craniano encefálico. E agora longe da ilha, ela tenta controlar suas fortes dores de cabeça e amnésia com remédios.
Depois de dois anos ela resolve que para se lembrar do seu acidente e dos motivos que levou a isso, ela precisa voltar para ilha e reencontrar seus melhores amigos. Conforme Cadence vai se lembrando, o leitor vai se ambientando na história, e é inevitável que não fiquemos angustiados e curiosos para saber o que realmente aconteceu com ela, e impossível não criar teorias e soluções, mas de todos os meus palpites, nenhum chegou perto do verdadeiro segredo da personagem.

“Seja um pouco mais gentil do que precisa ser. Sempre faça aquilo que teme. Não aceite um mal que você possa mudar.”

Peço encarecidamente, se vocês querem ser surpreendidos com uma história sensacional como está, não procurem spoilers, tomem cuidado com algumas resenhas por aí e apenas leiam o livro. Ele supera qualquer romance, qualquer drama, ele vai além disso e grande parte, se não 100% disso é pela narrativa sem igual da autora E. Lockhart. Com capítulos curtinhos, somos jogados de um lado ao outro no meio de nossas suposições, recheados de duplos sentidos e metáforas, poucos autores conseguem fazer isso sem que o leitor se perca.
As peças estavam todas ali, escondida em cada frase de Mentirosos, em cada ação de Cadence gritando para mim, a cada página que eu virava melhor o livro ficava e ao final posso garantir a todos, vão morrer de vontade de ler o livro novamente. Eu quis, para saber: “O que eu perdi?” Tudo faz sentido, tudo foi muito bem contextualizado e é tudo carregado de sentimentos, você sentirá tudo ao mesmo tempo e vai refletir e muito sobre isso.
Mentirosos fala sobre traumas, recomeço, uma amizade verdadeira e um amor grandioso. É uma história fictícia, é verdade mas que mostram problemas reais, que fazem com que no final da leitura eu tenha ficado totalmente abalada, eu não quis aceitar mas depois me rendi e me conformei. Concluo que nem tudo é o que parece ser… isso se encaixa em vários cantos desse livro, no seu título, nesta família, nesta ilha, nesta história, nesses personagens. Não julguem e apenas leiam, eu juro que vai valer cada página.


rela
ciona
dos