Folheando sobre as Edições Brasileiras


Oi pessoal, o Folheando voltou! Se você está meio perdido, esta nova coluna será um espaço onde falaremos de assuntos literários em geral, onde poderemos trocar ideias e opiniões. E hoje o assunto será Edições Brasileiras VS Edições Estrangeiras

Mas vejam bem, nós falaremos apenas das diferenças físicas, não entraremos em outros quesitos como custos de impressão, compra de direitos autorais, impostos e todos os argumentos que as editoras podem usar para se defende, isso pode até ser assunto para outro post! Mas não hoje.

Sabemos bem as diferenças entre um livro lançado lá fora com as edições que as editoras brasileiras lançam aqui, certo?!A principal característica que notamos ao pegar ambas versões em mãos, sem dúvidas, é a capa. A maioria dos livros estrangeiros são feitos em hardcover, ou seja, capa dura e pode conter também a inclusão da jacket, que é a arte da capa impressa para envolver o livro. 


Uma forma de obter um livro de capa dura por aqui, é comprando as edições especiais, como as comemorativas. E o fato de um livro ser em capa dura eleva o valor lá nas alturas, e as vezes sem jacket, daquele modo simples mesmoAqui em casa eu tenho quatro livros de capa dura sem jacket, são O Chamado do Cuco, O Morro dos Ventos Uivantes, o Assassinato no Expresso do Oriente e O Cavaleiro dos Sete Reinos, são todos exatamente como a versão em paperback, os chamados brochura, apenas com a capa dura sem nenhum outro plus e em todos eu paguei um preço significativo.

Atualmente, a mais nova editora parceria aqui do blog, a Novo Conceito está formulando todos os livros do selo Irado em hardcover e eu estou achando o máximo, pois todos que vi são de capas lindas demais.


O que me parece, é que lá fora, as editoras apostam bem mais na impressão de várias edições dos livros, possibilitando assim o alcance de vários tipos de leitores. Podemos encontrar livros em edições para todos os gostos, mas sinceramente? Quem não gostaria de uma versão, linda de capa dura e que dure muito mais na estante?

Convenhamos, se você, meu amigo e amiga brasileira é muito fã de algo, e deseja investir nisso, você não escolheria algo mais durável e bonito? Eu concordo plenamente que o preço por uma edição melhor vai ser maior, eu não me importaria comprar uma edição mais cara se a mesma fosse de qualidade. E as vezes não é nossa realidade no Brasil, o que é uma pena.

Vou comparar meus 3 livros da biblioteca de Hogwarts, eu tenho as edições brasileiras e as americanas e gostaria muito que vocês opinassem sobre o assunto. Eu acredito, sinceramente, que a Editora Rocco está perdendo um bom dinheiro por não fazerem versões mais apresentareis desses livros, ainda mais que parte da renda vai para instituições de caridade, já que foi este o propósito da J.K quando os lançou.







Bastante diferença né gente? E um capricho muito maior, sem dúvidas! Ah, não se esqueçam que para trazer um livro importado não pagamos impostos, não importa quanto ele custa, pode comprar quantos livros quiserem, o governo não interfere em seu valor. Então para quem não se importa em esperar um pouquinho e consegue ler em inglês, se joga nas comprinhas online, mesmo para aqueles que só querem como itens colecionáveis.

18 comentários

  1. Oi Joi!
    Eu concordo com você: quando se trata de um livro que eu gosto muito ou de um autor que quero ter a coleção completa, eu não me importaria em pagar mais pelo exemplar em capa dura (meu sonho são as edições da L&PM da Agatha Christie em tamanho normal e capa dura <3). Mas no geral não me importo muito, principalmente porque as brochuras brasileiras são infinitamente superiores às americanas. Tenho alguns paperbacks e a capa é tão molenga e as folhas tão fininhas que o livro parece uma revista. Em compensação os hardcover são maravilhosos, como você disse. Não estragam e ficam lindos na coleção.
    Quanto às edições brasileiras, eu sou tão obsessiva com meus livros que, mesmo em brochura, termino de ler e eles parecem que nunca foram tocados, rsrs
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te entendo Mari eu tbm sou assim, quase leio os livros de luva hahaha

      Excluir
  2. Oiee

    Não tenho costume de colecionar livros iguais mas de lugares diferentes então não posso opinar muito, mas se fossem iguais o povo não precisaria comprar os livros de outros lugares né, talvez seja até marketing não sei, mas enfim edição precisa pelo menos ter o mesmo capricho né!

    Beijos
    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olha eu sinceramente tenho que confessar que acho bastante diferente os livros americanos, porque quando fui para Orlando-FL eu entrei em uma livraria e sinceramente fiquei deslumbrada com os livros por conta de todos serem de capa dura. Acho que isso faz uma grande diferença, até porque é muito mais atraente e acho que fica até melhor na estante. Mas os Brasileiros alguns tbm são muito bonitos, mas o contra mesmo é ser de brochura e que as vezes fica com a parte de baixo um pouco machucadas e tudo mais. Enfim...acho que depende muito

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/03/resenha-perdendo-me.html

    ResponderExcluir
  4. É realmente frustante que as editoras cobrem caro por um livro e eles não tem o cuidado de fazer algo diferente e bonito, eu pagaria sem problemas R$40,00 reais em um livro hardcover.
    Eu pago sim pela leitura, pelo conhecimento, mas como uma leitora voraz eu amo mostrar os meus livros na estante tenho o maior orgulho da minha estante.
    Sei que implica vários fatores eles não fazerem isso aqui, mas adoro quando editoras arriscam e fazem livros diferentes.

    :)

    Beijos!
    auniversitaria.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você Ray, na realidade eu queria os dois, livros bons, lindos e baratos! hahah quem não?!

      Excluir
  5. Pelo menos nisso o Brasil não atrapalha senhor. E poxa nos pagamos um valor alto por livro, eles bem que podiam fazer um trabalho melhor néh.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podiam mesmo mas isso implica em impostos e tals =/ uma pena!

      Excluir
  6. Ter um livro que ama em hardcover é tudo de bom, mas seria melhor ainda não ter que pagar absurdos para ter edições lindas. Não faço questão de ter o mesmo livro em várias edições, mas se fosse tipo edição top blaster e definitiva por um preço ok até pensaria em comprar. Como por exemplo uma das edições belíssimas de Os miseráveis. Custa caro, mas é linda!
    Tudo que Motiva

    ResponderExcluir
  7. Não ligo muito pra diferença de capa, mas as hardcover dão um visual bem mais legal, principalmente na prateleira ;D Acho que aqui os livros são superfaturados e muitas vezes as edição brasileiras são mal traduzidas e com capas simples demais o que não corresponde com o seu valor.

    Bjs
    http://livros-e-tantos-vicios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Joi.
    Nossa, eu adoro livros com capa dura... São tão lindos! Mas o preço não é muito agradável. Os livros da editora DarkSide, por exemplo, alguns são com capa dura e são lindos de morrer! Quero todos na minha estante. A editora investe nos detalhes e isso me deixa tão encantada. Já a Rocco não me agrada muito. Eu comprei uma edição limitada de Harry Potter, mas os livros têm letras pequenas, páginas brancas e as capas são dessas que desgasta rápido, mesmo sendo lindas (é aquela edição com as capas brancas). Nunca tentei comprar livros importados, mas acho que vou tentar, já que não me importo em ler em inglês.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ain se tu não se importa e consegue ler em inglês te joga mulher, aqui tenho que me achar nos BR mesmo! =/

      Excluir
  9. Assim como você, não me importaria em comprar uma edição mais cara, mas particularmente acho que ainda pode demorar um tempo para que as editoras passem a apostar nesse tipo de edição e, mais do que isso, na variedade para agradar diferentes públicos. Para os leitores mais assíduos, acredito que seja impossível não preferir isso, mesmo porque para nós a importância de um "simples livro na estante" é muito mais significativa.

    Beijos,
    Ricardo - www.overshockblog.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Ricardo, mas esqueci de falar no post que já tem editoras que apostam em edições lindas, como a Darkside, mas como sabemos o preço é mais elevado.

      Excluir
  10. Olá!
    Também não me importo de pagar mais caro por uma edição. Eu sendo muito fã do livro, e fã do autor, eu compraria sim!
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Tem umas editoras brasileiras que são bem preguiçosas nessa questão, e não acho que é muito por causa do custo porque outras já trazem muitos livros com capa dura, as vezes nem de autores muito conhecidos, um trabalho tao caprichoso que você vê que se preocuparam em oferecer um produto de qualidade e durável.
    A Rocco deveria repensar isso, na pagina dela no face tem muita reclamação de livros que a capa descola com pouco tempo de manuseio, e ela tem títulos fantásticos com uma legião de fãs e não lança edições em capa dura com um trabalho caprichado nos detalhes. Esses livros extra do Harry Potter li em ebook e não me animo a comprar porque tem muita reclamação sobre a edição física. E o que me dá tristeza é que a Rocco publica Clarice Lispector e ate hoje não teve a consideração de lançar edições decentes de acordo com a importância dessa mulher, as capas são feias demais um verdadeiro descaso.
    Esses livros do selo Irado não tem apenas a capa dura e bonita mas todo o projeto gráfico é bem trabalhado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Rafa, tenho que concordar, e a Rocco é considerada uma editora de luxo, pelo menos para os blogs que nunca conseguem parceria com eles, minha trilogia de JV está bem judiada e só eu li.

      Excluir
  12. Livros de capa dura com certeza são melhores por terem uma durabilidade maior.
    Eu não tenho interesse em comprar livros iguais apenas por mudar a capa ou a qualidade da mesma. Mas, quem sabe algum dia eu possa adquirir alum livro assim.

    Abs

    ResponderExcluir