Resenha: Azul é a Cor Mais Quente

Título Original: Le Bleu Est Une Couleur Chaude
Autora: Julie Maroh
Ano: 2013
Editora: Martins Fontes
Páginas: 160
Compre aqui

Passado a febre repentina de Cinquenta Tons, eu fui procurar pela internet mais filmes "polêmicos". Obviamente, eu parei no cinema europeu, por lá eu encontrei vários nomes até parar em Azul é Cor Mais Quente.

Desde seu estouro, ainda não havia surgido curiosidade sobre o mesmo, até agora. Depois de assistir quase as 3 horas de filme, fui correndo para a obra original, a HQ de apenas 160 páginas. Agora vou falar um pouquinho sobre o que achei sobre está história. Para quem viu apenas o filme, pode parecer spoiler, mas não, a HQ começa depois da morte de Clementine, a protagonista da trama e é através de seus diários que vamos conhecer sua história e de que forma ela descobriu as diversas nuances que ela poderia ter em sua vida sem cor. Mas para isso voltaremos ao passado primeiro.

Clementine é uma garota de 15 anos e está no ensino médio. Como qualquer adolescente, as vezes, Clem se sente deslocada, não se encaixa no seu círculo de amizades. Clem tenta manter as aparências, se enturma e até tenta manter um namoro com um colega de escola, mas algo não a completa. Até que em uma de suas caminhadas, algo novo lhe chama atenção.

"Eu quero que eles fiquem com você, neles estão as minhas lembranças de adolescência coloridas de azul. Azul escuro, azul celeste, azul marinho...o azul se tornou uma cor quente."

O cabelo e os olhos azuis de uma garota a hipnotizam na rua, foi inevitável não encara-la, tudo nela despertava sua atenção. A dona desses cabelos é Emma, que está no quarto ano do curso de artes na faculdade. É por intermédio de um amigo que Clem visita um bar gay, e por lá ela conhece finalmente Emma e a partir daí que a história começa a mudar, ela começa a travar um embate interno com ela mesma.


Emma começa a invadir os sonhos de Clem, sem saber o porquê, ela não sai de seus pensamentos e Clem sendo apenas uma garota entende o que acontece, ela poderia estar apaixonada por outra garota? Na HQ os dilemas entre querer e assumir ficam nítidos durante os quadrinhos. Neste momento a insegurança quanto sua sexualidade e o medo dos preconceitos da sociedade e dela mesmo começam a ser explorados a fundo, envolvendo ainda mais o leitor.

Clementine se joga num mundo de descobertas, com Emma ela descobre o amor, algo que ela nunca havia sentido, as maravilhas que isso pode proporcionar e também as tristezas que um relacionamento pode trazer. Mas como qualquer relacionamento, as duas tem seus altos e baixos. Na minha opinião o que contribui com isso, foi sem dúvidas, a maturidade cultural entre as duas, enquanto Emma sempre buscou se socializar com pessoas mais cults para compartilhar sua arte, Clementine queria apenas ser professora. Consequentemente, existe um certo afastamento, por conta disso Clem comete o seu maior erro, mesmo depois de anos.

"O amor é abstrato demais, e indiscernível. Ele depende de nós, de como nós o percebemos e vivemos. Se nós não existíssemos, ele não existiria. E nós somos tão inconstantes… Então o amor não pode não o ser também"

Azul é a Cor Mais Quente nada mais é do que uma história bonita de amor, com começo, meio e fim. Julie Morah define o que amor, da sua forma mais simples, sem rótulos, sem regras ou gêneros impostos. É uma novela gráfica, com uma história simples, totalmente emocional e sensível, tem um pouco de sexualidade mas sem exageros. É um drama, que fala sobre amor, dor e escolhas e as personagens conseguem passar muito bem as complexidades do amadurecimento. 

As questões aqui, são muito bem trabalhadas, mesmo com quase nada de diálogos, somos guiados pelas páginas dos diários de Clementine e ela consegue nos passar todos seus sentimentos impressos naquelas páginas, até nos momentos de silêncio. Enquanto Emma lê cada página, conseguimos se emocionar junto com ela e sentir toda a dor que ela sente no momento.

"O amor se inflama, morre, se quebra, nos destroça, se reanima, nos reanima. O amor talvez não seja eterno, mas a nós ele torna eternos."

A cor azul está presente em quase todas as páginas da HQ, e ela não se remete apenas a Emma. O azul é a cor dos sentimentos de Clementine, é a cor do amor. O traço dos quadrinhos é muito bonito e eu me senti super confortável com as cores secundárias escolhidas, as tonalidades de cada página foi escolhida conforme os dilemas sofridos pelos personagens.

Fazendo uma breve comparação com o filme, eu senti que na HQ eu consegui captar muito mais a sensibilidade da história e a mensagem que a autora quis passar. A direção que os roteiristas tomaram também são bem diferentes em relação ao original. As cenas "polêmicas" de sexo explícito entre as atrizes eu achei exageradas, pois este nunca foi a mensagem que o HQ quer passar, acredito que foi apenas uma forma do diretor chamar a atenção.

Por fim, Temos uma conclusão triste, é verdade, que nem chega a ser uma conclusão, já que ficamos sabendo disso desde a primeira página. É através desta história dolorida que presenciamos um lindo amor, e a forma que uma pessoa pode ser essencial na vida de outra, a colorindo um pouco mais, sem apologias, sem rótulos, apenas amor.

"Para além da nossa morte, o amor que nós despertamos continua a seguir o seu caminho"

32 comentários

  1. Oi Joi, desde que foi lançado e todos comentando sobre o livro, fiquei tão curiosa para ler, adorei sua resenha e preciso ler logo e ver o filme também!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com

    ResponderExcluir
  2. É, pelo que ouvi do filme é que a história não é bem bonita, mas sim cheia de pornografia, mais que cinquenta tons de cinza até. Pela sua resenha, a HQ deve transmitir mais a essência do que o filme, mas só conferindo pra saber né

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem post novo no blog sobre filmes, vem conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Carol, apenas venda para sentir, eu preferi a HQ!

      Excluir
  3. "Apenas amor" <3 eu amei sua resenha e fiquei espantada por saber que o Azul é a cor mais quente é HQ, imaginava que era livro convencional mesmo. Estou mais encantada ainda <3 Vou ler!

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir
  4. Oi, Joi.
    Eu sempre tive vontade de ver o filme, mas sempre fui adiando. Nem sabia que a história era inspirada em uma HQ. HQ, aliás, que agora fiquei com muita vontade de ler; A história em si, pelo que percebi, é bem comum – duas pessoas se conhecem, se apaixonam e tem que lidar com problemas comuns de relacionamento. Com o acréscimo, que, por se tratar de um relacionamento homossexual, as personagens enfrentam todos os problemas relativos ao preconceito na sociedade. E talvez seja por isso que a obra seja interessante, ver a forma como a autora sensibilizou o assunto.
    Ótima resenha!

    Abraços,
    Diego.

    pecasdeoito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Diego, é bem isso mas a autora soube transformar até então um enredo simples em algo bem tocante.

      Excluir
  5. Oi, Joi!
    Eu baixei esse filme uma vez, mas acabei não assistindo e excluí. Não sabia que era baseado em uma HQ. Achei lindos os traços e a história. Gostei do que conseguiram transmitir em poucas páginas. Acho que vou procurar também e quem saiba depois me dê curiosidade de ver o filme.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te indico ler primeiro e depois veja o filme.

      Excluir
  6. Oi Joi,
    Não sabia que o filme tinha sido inspirada em uma HQ.
    Não conheço mto o universo das HQs, mas nao esperaria encontrar um romance/drama neste formato. Só para me mostrar que criatividade nao tem limites, né?
    A estória é simples, mas parece ser bem impactante. Os quotes são ótimos.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Alexandre, eu adorei, recomendo bastante.

      Excluir
  7. Oi Joi
    Ai eu não quis ler a HQ, o filme me deixou tão bem que não queria estragar, eu só sei que chorei kkk

    Beijos

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, leia a HQ pois o filme é bem mais ou menos perto do livro.

      Excluir
  8. Eu preciso MUITO dessa HQ, desde que estourou pela mída eu morro de vontade de ler (e ter na estante, porque com um desenho desses só tendo na estante!), mas infelizmente ainda não consegui nem comprar :(

    Quem sabe um dia né.

    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
  9. Só vi o filme até hoje a adorei o jeito retratado do relacionamento. Gays são como todas as outras pessoas, sentem amor, carinho, raiva, dúvidas. E o que mais gostei foi disso, de tratarem como um relacionamento real.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
  10. Oi, Joi.
    Fiquei fascinada em saber que foi baseada num HQ. Quero conferir jáaaaa.
    A capa está belíssima.
    Fiquei curiosa para ler sobre esse livro que fala sobre um drama recheado de coisas.
    Adorei a resenha.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 3 ganhadores e você escolhe o livro que deseja ganhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Naty! Leia sim é maravilhoso e tocante.

      Excluir
  11. Oi Joi, tudo bem??

    Eu conhecia a HQ, e ouvi falar do filme, mas ainda não li nem assisti! Bateu mesmo a curiosidade ao ler sua resenha, adoro HQs e acredito que essa seria uma ótima pedida. A autora parece ser muito boa, o tema é delicado e bonito a sua maneira e parece ser um "must read" da vida. Pretendo ler com certeza um dia, e também estou curiosa pelos traços e pela arte!

    Sobre o filme, acho que vou ver primeiro, então, assim eles se completam! Curti muito a sua resenha, primeira que li sobre Azul é a cor mais quente =D

    Beijo!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caah recomendo que leia a HQ, vale bem mais a pena, por que a visão final que tu tira é bem diferente.

      Excluir
  12. Gente, que trailer é esse hein? Não tenho o costume de ler quadrinhos/mangás mas por ver muita gente falar deles, acaba que bate uma certa curiosidade. Acabei de conhecer o blog e já to acompanhando.
    Abraços :)
    www.chamandoumleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Desde que saiu o filme fiquei muito interessante em assistir, até saber que era 'livro'. Agora quero ler muito e já até coloquei para ler esse ano.
    Tudo que Motiva

    ResponderExcluir
  14. Olá Joi,

    Não conhecia o livro, achei muito boa a premissa, bom vir aqui pois conhecemos coisas novas....abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz com seu comentário Marco, adoramos saber que transmitimos bem novidades =D

      Excluir
  15. Eu sabia que o filme era baseado em um livro, mas não sabia que era uma HQ. Fiquei bem interessada em ler. Mais pelo HQ que pelo filme, até.
    Parabéns pela resenha, ficou maravilhosa!

    Infinitos Livros

    ResponderExcluir
  16. tbm ouvi falarem desse filme e eu quis muito ver, por se tratar de uma história que tá sendo abordada atualmente e nada mais q a realidade. gostei de saber q tem livro... quero ler tb

    abs

    ResponderExcluir
  17. Eu sempre tive curiosidade em assistir o filme, mas estava adiando, porque eu sou um poço de preguiça - é claro. Bem, você acabou de reacender minha curiosidade, e eu preciso ler essa HQ (que eu não sabia que era existente), já entrou para minha Wishlist, fora que essa capa está maravilhosa, e a jogada de cores que você citou é genial! Vou assistir ao filme, o mais rápido possível, ver o trailer novamente me deixou animada, haha. Ah, a resenha está ótima ;) .
    Até mais!
    www.nossosmundos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Natálie, a HQ é linda e tem uma harmonia de cores bem agradável aos olhos ^^ Bjs e obrigada pela visita!

      Excluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir