Título Original: O Colecionador de Borboletas
Autor: Cecília Mouta
Ano: 2012
Editora: Novo Século
Páginas: 256
Compre aqui


Hoje, a fofa da Ana Karolini vai aparecer mais uma vez aqui! O livro da vez é O Colecionador de Borboletas da autora nacional Cecília Mouta, vamos conhecer o que ela achou sobre está história incrível?

Quem nunca quis voltar ao tempo para concertar um erro do passado? E se este simples erro mudasse todo seu futuro? Quem não gostaria de reviver algo do passado? Apenas para matar a saudade? Mas e se este “simples” fato arremetesse uma série de consequências no presente? Talvez voltar, não seja o mais recomendável.

Um homem que perdeu a memória pode fazer estas coisas incríveis acontecerem, voltar no tempo e muda-lo. E sem dúvidas este são os acontecimentos mais interessantes e legais do livro. Ter o poder de voltar ao tempo. Durante toda a leitura nós acompanhamos a vida de Nicola que vive algo muito ruim no momento. É um homem que perdeu a memória. Como perder a memória já não fosse ruim o bastante, as vezes ele começa a vislumbrar e lembrar de coisas do passado.

Para o leitor essas são as melhores partes, pois a cada lembrança que ele tem nós conseguimos ligar os pontos e ir entendendo melhor o que já aconteceu na vida desse homem, que no inicio do livro fica um pouco “apagado” para quem lê. Já para Nicola, ter essas lembranças pode ser um pouco ruim pois o perturba não saber muito bem do que elas se tratam e quando ele poderia ver tudo de uma vez e recuperar toda sua memória que já era perdida a um bom tempo.

Agora falando da escrita. Ela é simples, mas é aquela escrita simples recheada de talento. Você lê rápido o livro, mas não só por que ele é curtinho, mas por que você é levada a isso. O jeito que ela escreve te chama atenção, e quando você vê, você já está quase no final do livro descobrindo tudo que aconteceu com Nicola. E o final, é espetacular.

“Voltei a sentar- me na cadeira e tirei a mão dos ouvidos; estavam sangrando um pouco. Nada havia acontecido. Olhei para a caixinha de novo. Lá dentro tinha uma borboleta verde. Tampei a caixinha para conservar a borboleta. Foi então que a memória veio.”

Todo final de livro, nós queremos aquela frase que fecha, aquela frase que marque o livro como ele deveria ser marcado. E nos temos isso em O Colecionador de Borboletas. Apenas lendo todo o livro vocês vão poder entender como essa última frase dá o toque final ao livro, deixando ele mais emocionante ainda. 
A capa do livro também é linda. Não é o tipo de capa que eu costumo comprar (pois sim, eu julgo o livro pela capa). Ela é em um tom de verde muito bonito, com uma borboleta da mesma cor na frente e vemos algumas rachaduras atrás dela. Essas rachaduras no caso seriam o local onde a borboleta fica, mas se você ler o livro vai começar a ve-la de um outro modo, um modo mais significativo que dá outro rumo e outro pensamento em relação a história que a Cecília Mouta nos apresentou.

No livro você não encontra apenas Nicola. Temos também outras e outros personagens importantes que de inicio não parecem que vão fazer alguma diferença, mas depois tudo muda, então fiquem ligados nestes personagens. Para quem lembra do filme protagonizado por Ashton Kutcher, Efeito Borboleta vai se sentir muito familiarizado pelo enredo e para quem gostou do filme a leitura está mais do recomendada.

Agora para fechar tudo, eu diria que o livro é incrível. No inicio eu tinha receio de ler. Pela sinopse, não chamava muito a minha atenção, contudo comecei a ler e isso logo mudou. Esse livro é bom para abrir os olhos e prova que os autores brasileiros tem muita histórias de qualidade para contar. Infelizmente, ainda existe um certo preconceito contra os autores nacionais, mas ainda bem que Cecília está aqui para demostrar todo este talento.


Conheça a autora:

Cecília Mouta Guimarães nasceu no dia 7 de Maio de 1993 em uma pequena cidade do estado do Rio de Janeiro, onde viveu até a adolescência. Atualmente mora na cidade do Rio de Janeiro e faz sua graduação na Pontifícia Universidade Católica (PUC). Desde nova sempre mostrou grande interesse em escrever. Além de poesias, escreve romances e compõe músicas. Toca violão e estuda piano na Fundação Villa Lobos. “O Colecionador de Borboletas” é seu romance de estreia.

Para saber mais acesse: Facebook

rela
ciona
dos