Jurassic World

Lançamento: 11 de junho de 2015
Com: Chris Pratt, Bryce Dallas, Nick Robinson
Gênero: Aventura, Ação, Ficção Cientifica

Oi gente! Hoje a resenha será sobre o filme Jurassic World, do qual tive a oportunidade de prestigiar exatamente no seu dia de estreia. Já posso falar de antemão que o filme não se trata de um remake como eu imaginei que fosse e sim, uma continuação! O filme de 93 foi inspirado no livro homônimo Jurassic Park de Michael Crichton, aliás a editora Aleph acabou de relançar uma versão linda dele, já viram?
É verdade que tanto Jurassic Park: O Mundo Perdido e Jurassic Park III não tiveram tanto sucesso quanto o primeiro. O clássico virou um ícone na cultura pop, e trouxe pela primeira vez os dinossauros para as telas do cinema. Eu lembro até hoje da minha fita VHS que imitavam fosseis na capa. Saudades! Depois de 22 anos Jurassic World volta para reavivar a franquia de forma esplendida e se tornando a maior estreia de bilheteria da história.

Agora, finalmente o Parque de Dinossauros – Jurassic World está aberta para o público e funcionando a todo o vapor na Ilha Nublar. O parque é um sucesso e a todo ano promete trazer uma nova atração para chamar cada vez mais pessoas, entre elas, shows, contato com os filhotes de dinossauros e até passeios com veículos em seu habitat. É nessa necessidade de ter algo novo que a equipe da doutora Clare (Bryce Dallas) passa a fazer experiências com o DND dos dinossauros para criar novas espécies.

Além disso a influência humana sobre os dinossauros está cada vez mais presente. Os dinossauros mais amistosos estão cada vez mais domesticados e os que antes eram uma verdadeira ameaça como no caso dos velociraptors estão sendo adestrados. Um dos responsáveis por isso é Owen (Chris Pratt), e que tem sob sua responsabilidade o treinamento de quatro da espécie. Isso acaba também chamando a atenção dos militares que pretendem usar estes dinossauros treinados nas frentes de linha de guerras. Loucura né?

A parte infantil do filme, dessa vez fica ao cargo de Zach (Nick Robinson) e seu irmão mais novo Gray (Ty Simpkins), sobrinhos de Clare, é com eles que acontece toda a parte dramática do filme e acredite isso não ficou chato. Apresentados os personagens principais, a trama começa a se desenvolver no momento que a mais nova criação do laboratório do parque, a Indominus Rex, modificada geneticamente arma sua fuga. Sim ela planeja isso! Bem não vou falar mais nada, por que não quero e nem devo dar spoiler sobre este filme, mas o que posso dizer é, vejam! Sim, pode parecer repetitivo, mas não, o filme surpreende – vale cada segundo.

Tem ação, humor (estamos lidando com Chris Pratt) enfim, sequencias sensacionais. Falando nele, vi totalmente seu potencial de atuar em mais um reboot, ele é merecedor do papel do novo Indiana Jones, vou ficar na torcida! Mas voltando, os efeitos especiais estão dignos da franquia. Todos os atores conseguiram segurar bem seus papeis, mesmo Bryce correndo de salto alto e não o tirando em momento algum durante o filme. OK, vou relevar, só porque como um todo, o filme é incrível.

O mais legal do filme é ver diversas referências do primeiro filme nas cenas, são muitas cenas nostálgicas, são muitos os elementos inseridos, como a permanência do portão original do parque, a faixa que cai a frente do nosso querido T-Rex ♥ e a descoberta do antigo Centro de Visitantes no meio do novo parque. São muitas as cenas e todas féis ao primeiro, e eu adorei de verdade rever tudo isso. E nossa! Como foi emocionante escutar a música tema de novo, obrigada John Williams! Ahhh… a última coisa, eu juro! O final é mais uma grande homenagem a um “herói” do primeiro filme. Surtem!

Concluindo, ainda bem que Hollywood anda não poupando gastos em clássicos como Jurassic Park. Que época boa de ser viver, de ver ícones de nossa infância ganhando uma nova chance no presente. Jurassic World sozinho, consegue ser um filme fechadinho que agradará a nova geração, mas que com certeza vai agradar os antigos fãs que se sentiram assim como eu, presenteados. Estamos em uma época criativa perfeita, somada com tudo que a tecnologia atual permite a tendência é só melhorar. Eu agradeço por isso! Que venham mais continuações, remakes e reboots! A hora é agora!

rela
ciona
dos