Resenha: Se Joga!

14 jul, 2015 Por Joi Cardoso

Título Original: Jump…and yout life will appear
Autora: Nancy Levin
Ano: 2014
Editora: Gente
Páginas: 192
Compre aqui

Se Joga! é o livro que toda pessoa, que um dia se sentiu ou se sente estagnada, deveria ler. O livro é uma dose de consciência. Nancy Levin compartilha de forma intima com o leitor o momento “x” de sua vida, onde ela tinha apenas duas opções: recuar ou se jogar. Ela escolheu se jogar e através dessa leitura nós conseguimos tirar proveito da experiência dela para nossas vidas.
A autora relata todo o seu divórcio, o antes, o durante e o depois. E através dele ela nos ensina a ultrapassar este tipo de dor, não apenas problemas amorosos, mas sim tantos outros que as vezes fazem parte de nossa vida e nem ao menos sabemos, ou simplesmente não queremos saber. É o livro onde a autora juntamente com sua experiência pessoal vê a chance de mostrar ás pessoa os erros que cometemos durante nossa vida e como concerta-los.

Durante a leitura somos submetidos à discussão e exercícios, possibilitando que identifiquemos o que nos incomoda em nossas vidas, o que escondemos a sete chaves em nosso intimo apenas para satisfazer a sociedade em que vivemos, apenas para nos encaixa em um grupo, ela nos ensina a perdermos esta necessidade de nos moldarmos a quem está a nossa volta. É este tipo de desapego, ao querer satisfazer os outros e querer satisfazer nós mesmos que trabalhamos em Se Joga! Em primeiro lugar devemos nos amar, nos conhecer, para depois sermos capaz de amar outras pessoas.
Nancy apenas se deu conta disso e de muitas outras coisas abordadas no livro, depois de estar casada por 18 anos em um relacionamento onde ela vivia para agradar seu ex-marido. Ao mesmo tempo que vamos tirando várias lições através dos relatos de Nancy e de seus clientes que também contribuem com livro, também vamos acompanhando toda a jornada da autora em busca do seu autoconhecimento.
Se Joga! é um autoajuda sim, mas que te envolve tanto com os relatos da autora que a leitura flui muito facilmente. O livro fala principalmente pela tomada de grandes decisões, e como o nosso medo de seguir em frente, as vezes nos paralisa. Estar em uma zona familiar realmente é mais reconfortante, mas como descobriremos o novo se nunca tentarmos não é mesmo?!
Eu achei a leitura extremamente válida para mim, que hoje com meus 26 anos já me vi adiando planos por medo de muitas coisas. Adorei conhecer a experiência de Nancy, adorei ver seu amadurecimento e adorei ver o modo que ela encontrou de ajudar pessoas que passam ou passaram pelos mesmo tipos de questionamentos. Mas principalmente, aprendi a estabelecer limites para mim e respeita-los, acima de tudo, não desviar de qualquer problema apenas para evitar o que virá depois.

Os exercícios do livro são divididos por passos em cada capitulo. E eles são realmente eficientes para conhecermos mais de nós mesmos e para despirmos as máscaras que vestimos diariamente. O primeiro passo e mais relevante que tirei do livro como um todo, é assumir-se autêntica como realmente sou. Depois vieram lições como ter a a certeza do alinhamento do meu verdadeiro eu, me aceitar, ser livre e se jogar realmente. Sem medo! Venho trabalhando muito isso na minha vida, e agora enfim, tenho tempo para correr atrás dos meus sonhos e fazer aquilo que realmente me faz feliz. 
Leiam, tenho certeza que Se Joga! irá ajudar não só aqueles que realmente precisam de um empurrãozinho em suas vidas, mas também aqueles que precisam apenas de um estalo. Lembrem-se, pedir ou buscar ajuda não significa não ser bom o suficiente, nada vai desmoronar se isso acontecer, isso não é uma fraqueza. Significa: “Opa! Eu estou viva, estou aqui. Vamos viver da melhor maneira possível por que a vida é só uma”

rela
ciona
dos