Resenha: O Nome em Seu Pulso

Título Original: The Name on Your Wrist
Autora: Helen Hiorns
Ano: 2015
Editora: Farol Literário
Páginas: 256
Compre aqui

Logo que vi o lançamento de O Nome em Seu Pulso eu fiquei curiosa, faz tempo que as distopias vêm se tornando o meu gênero literário favorito, então era mais do que certo que eu leria este livro.

A minha surpresa é que ao começar a leitura, senti falta justamente dos elementos distópicos em si, daquilo que sempre me conquista, detalhes da sociedade e vestígios de como eles haviam chegado naquele ponto. Com a ausência disso, eu já começava a contentar-me com mais uma distopia mediana, até que eu cheguei nos últimos capítulos do livro. Então tudo mudou. Foi uma explosão na minha cabeça, e me vi refletindo sobre esta história por horas. Me pegou totalmente despreparada, foi como um tapa de luva.

Na sociedade em que Corin vive, nossa protagonista, logo nos primeiros anos de vida cada pessoa recebe um nome em seu pulso. Estes nomes são escondidos por protetores de pulso e ninguém, nem mesmos seus pais, podem ver o nome da sua alma gêmea. Sim! O governo além de controlar a natalidade da população e a profissão mais adequada a seguir, eles também escolhiam a sua alma gêmea, a pessoa que você será destinada a viver pelo resto de sua vida.


Depois de certa idade é natural que os jovens saiam para a busca. Viajar pelo mundo a procura da sua alma gêmea, que pode estar na sua cidade ou até mesmo do outro lado do continente. Porém, Corin faz exatamente o contrário, Corin já está com 19 anos e tenta o quando pode resistir ao sistema. Ela não quer que um nome em seu pulso a defina como pessoa. Desde a morte do seu pai e um incidente com sua irmã Jacinta, ela caminha para o lado contrário. Sua percepção sobre o mundo mudou desde que viu Jacinta quase perder a vida por alguém, e depois de ver a felicidade de sua mãe se transformar em algo robótico.

Ela escolheu um nome qualquer e namorou todos os rapazes que os tinham, despistando a todos sobre o seu real anima-vinculum. Era o jeito dela de quebrar as regras, ela usava estes jovens e depois ao terminar o namoro os expunha, como se eles usassem ela apenas para sexo. Ela se afastou de amigos e colegas, preferia viver sozinha, pois constatou que quanto menos ela precisasse de pessoas, menos as pessoas precisariam dela. Sozinha em seu quarto, e imersa ao seu CPT (um tipo de tablet e GPS para todos os indivíduos dessa sociedade) ela vivia, tentando encontrar um significado para tudo isso, e um modo de superar o seu drama familiar.

Neste meio tempo, Corin é percebida por Colton, seu colega de escola, e que recentemente vem tentando aproximar-se dela. Ele muito rapidamente, sacou toda a máscara mal-humorada e sarcástica que Corin usava para afastar as pessoas, e seu atrevimento foi suficiente para que Corin aceitasse sua amizade. Não demora muito até que a amizade seja algo a mais. Porém, esta parte romântica do livro para por aí, o foco não é o romance, muito pelo contrário, mas serve para o grande estopim do final. 

A distopia que estava, até então pouco desenvolvida e deixada de lado por uma boa parte do livro, se une a este novo elemento. É como se a autora estivesse nos preparando, nos conduzindo num corredor escuro. Aos poucos confiamos nela e daí tudo se revela. Obviamente que não posso contar sobre a grande surpresa do livro, mas eu posso garantir para todos os leitores que cada página de O Nome em Seu Pulso vale a pena. Tudo é uma grande construção para o desfecho incrível que Helen criou.

Uma das discussões do livro é que a sua alma gêmea pode ser qualquer um, enquanto alguns românticos sonham com seu par perfeito, outros começam a busca apenas pela obrigação de constituir uma família, e outros como Corin, apenas não queriam ser encontrados. Aí que entra o debate principal. E se esta pessoa simplesmente não ser o que se espera? Se os sentimentos dessa pessoa não corresponderem aos meus? São estes e muitos dos questionamentos e tipos de relações que o livro aborda. Gostei de encontrar casais que se uniram mesmo tendo orientações sexuais diferentes e também dos casais que desafiaram o sistema e constituíram uma família mesmo tendo em seus pulsos o nome de outras pessoas, é claro que estes, são vistos como "abominações" pela sociedade e pelo governo.

Mesmo a autora explicando, posteriormente, vários dos detalhes distópicos da trama algumas pontinhas ficaram soltas na minha cabeça, mas isso pode ser coisa minha. De jeito nenhum isso estraga o livro, de jeito nenhum ele deixa a desejar. 

O que posso dizer para concluir, é que O Nome em Seu Pulso vai levantar assuntos como, a oportunidade de escolha, a liberdade em si, o altruísmo de forma genuína e principalmente o egoísmo humano. Um livro que me ensinou que nem todo mundo que deseja a liberdade tem inteligência o suficiente de saber usa-la de uma maneira que faça bem não só a si mesmo mas para todos a sua volta. Que fala sobre um dos maiores medos da humanidade, que vem depois da morte, a solidão. Um livro que define nossa sociedade como incapaz de tomar suas próprias decisões. Incrível e reflexivo, leiam!

38 comentários

  1. Lembro do lançamento desse livro, houve uma votação para escolher a capa e eu fiquei feliz com a que foi elegida.
    Porém eu não sabia muito bem sobre o que era o livro, na verdade eu achava que era algum romance, nada a ver com a estória de verdade. haha
    Mas gostei da proposta, achei interessante. Na verdade eu gosto bastante de distopias.

    Beeijos Joi!
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Votei nesta caoa, então fiquei satisfeita hahaha. Distopia é sempre bom e ainda mais quando nos surpreendem como este!

      Excluir
  2. Dá um desespero quando as coisas mudam bem no final né? hahahah

    Beijos
    http://postandotrechos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, mas neste caso é sensacional, recomendo!

      Excluir
  3. Joi, que resenha linda foi essa?
    Estava sentindo falta de livros únicos com temas fortes, que não precisam continuar em outro e mais outro. Dá um fecho legal e a gente ainda fica pensando na história por dias!
    Achei muito interessante a premissa desse livro e já quero ler, de verdade. O que um nome no pulso não pode fazer nessa sociedade hein? Algo tão simples...
    Obrigada pela dica!
    Abraços! | Blog Saphy | Fanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Divana, consegui escrever com o feeling na pele ainda ^^

      Excluir
  4. Nossa que resenha linda.
    Livros únicos, onde a história começa e termina, me chamam bastante atenção. Acho que deixa o leitor mais vivo com os personagens e os dramas que eles vivem.;
    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  5. Pela capa eu nunca imaginaria que é uma distopia! E uma tão boa, aliás. Adoreei sua resenha, parece ser uma história bem original, que te cativa do início ao fim *-*

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog sobre séries, vem conferir!

    ResponderExcluir
  6. Oi Joi, tudo bom?
    Vi que a Farol tinha feito uma votação para a escolha da capa e eu votei justamente nessa. Achei tããão linda <3
    Adorei a sua resenha e pasme... Eu nem sabia que se tratava de uma distopia :O
    Eu também aaaaaaaamo o gênero! Algum dia hei de escrever um livro totalmente distópico, mas por enquanto é só um desejo mesmo. "Ponte de cristal" é um new adult, mas bem que eu me arrisquei a inserir alguns elementos característicos de distopia (não aguentei :x), rsss!
    Beijo grande ♥

    Se você gosta de escrever, conheça o projeto "doze por doze" e venha fazer parte dele!


    >Thati Machado;
    http://nemteconto.org

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AHhhaa não sabia disso Thati, já sei que vou adorar! E sim é uma distopia e sensacional!

      Excluir
  7. Essa capa me encantou e a história então... Nem se fala. Nossa, a resenha realmente me instigou, já citei que não costumo ler livros desse gênero, mas ao conhecer esse cantinho meus gostos estão começando a se expandirem. A história me parece realmente reflexiva, como você citou e sem dúvidas ela estará na minha lista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre bom se aventurar por outros gêneros Mari, tente!

      Excluir
  8. ja tinha visto a capa do livro antes, quando estava para escolha, e dps nem ouvi mais falar sobre ele.. a historia que vc apresentou realmente me atraiu, eu ate anotei aqui o nome do livro para ler, adorei sua resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Fico feliz de ter te influenciado positivamente!

      Excluir
  9. Gente Joi! Eu pensei que o tema era totalmente outro, esse sim a capa engana e gostei.
    Me convenceu a comprar kkk

    Beijos

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Ainda não conhecia esse livro e julgando só pela capa pensaria ser um livro de suspense. Adorei a resenha, fiquei com muita vontade de ler esse livro agora.
    bjus
    http://reticenciasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Ai meu deus, Joi!! Ameeei a resenha e fiquei suuuper curiosa para conferir o Nome em Seu Pulso (mesmo me lembrando uma outra trilogia não muito boa...)!! Realmente faz um tempinho que você não dá cinco estrelas para um livro, então esse dever ser meio especial, kkk... Ok, enfim, já o adicionaei na minha listinha de prõximas leituras, e estou tentada à passá-lo na frente dos outros;) Viu o que vc faz comigo ) O..O
    Bjs, Juh.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAhaa fico feliz por isso! É exatamente esta intensão, trazer boas leituras para vocês!

      Excluir
  12. Fiquei muito curiosa para ler, parece ser uma distopia que prende o leitor!
    Beijos,
    http://www.moleca20.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Hello, esse livro é uma das distopias que mais quero ler. Eu quase pedi o livro pra a editora! Mas acabei escolhendo outro q queria há mais tempo. O próximo eu peço, pq gostei da história.
    Acho que os pontos tratatados no livro fala mto da condição de mta gente, q nao tem poder de escolha, e a dúvida sobre essa de encontrar a alma gêmea.
    A capa está bem bonita.. Chama bem a atenção.
    Adorei a resenha, me deu mais vontade de ler ainda.
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Suzzy se tiver a oportunidade solicite este, vale cada página!

      Excluir
  14. Gostei muito dessa distopia, e das suas reflexões que surgiram após a leitura, quero muito ler para tirar minhas próprias conclusões, muito forte essa história de saber que uma sociedade comanda totalmente a sua vida, é para se pensar de verdade, valeu pela dica, a capa está fabulosa!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Vania, gosto de livros assim que depois que o fechamos pensamos nele sem parar!

      Excluir
  15. Não conhecia esse livro, mas gostei de saber... Ao julgar pela capa pensei algo totalmente diferente com a história que ele realmente tem haha;

    Beijos ♥
    http://intoxicadosporlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Os assuntos que o livro aborda são interessantes, mas mesmo assim eu não acho que seria um livro que me prenderia a atenção e por esse motivo acho que não leria

    ResponderExcluir
  17. Oi Joi, tudo bem? Que resenha incrível e já estava com vontade de ler esse livro, e agora quero ainda mais.

    Que bom que mesmo com os elementos distópicos sendo deixados um pouco de lado no início, ele conseguiu te envolver e o final foi surpreendente. Acho a mensagem principal do livro, sobre a liberdade de escolha e lutar por aquilo que ache certo ótima. Os personagens parecem ser bem desenvolvidos e a Corin parece ser bem determinada e verdadeira, mesmo com essa máscara que ela mostra ao mundo.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Rafa e personagem é ótima apesar de que no final não gostei tanto dela assim, mas é compreensível!

      Excluir
  18. Quando comecei a ler a resenha, não imaginei que fosse um livro que abordaria tantos temas e que fosse tão reflexivo assim. Já estava interessada em saber qual é esse desfecho tão surpreendente que você menciona, agora eu estou ainda mais, quero muito essa mensagem do livro.
    Um beijo!
    www.raciocinacomigo.com

    ResponderExcluir
  19. Eu tinha visto o livro e me interessado logo que li a sinopse. O nome em seu pulso parece ser uma distopia ótima e essa crítica que faz à sociedade só deve deixar o enredo melhor. Adoro ler livros críticos e reflexivos.
    Fiquei super curiosa para conhecer um pouco mais dessa história e pretendo ler em breve.
    Bjs Joi!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Formula perfeita né, bom+poucas páginas= leitura certa!

      Excluir
  20. Adorei sua resenhaa.
    Não conhecia esse livro, mas adicionei imediatamente em minha lista de leitura e preciso ler urgentemente.
    Achei super diferente essa coisa de ter o nome da alma gêmea no pulso, estou super curiosa com esse livro, e depois de ler essa resenha super positiva como não ficar?
    Pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir
  21. Gostei muito desse livro, principalmente de sua premissa, desde que soube que ele seria lançado. Distopia está também entre os meus gêneros preferidos, e eu sempre procuro alguma história nova pra ler. Confesso que esse livro me enganou pela capa antes de ler a sinopse rs
    Adorei a forma como a autora construiu a narrativa, entregando as informações ao leitor pouco a pouco, acredito que isso nos prenda ainda mais à trama. Além disso, o fato de o romance estar em segundo plano e não substituir o foco central da história me agrada muito, é difícil os escritores conseguirem fazer essa diferenciação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Patrini, e acredite este livro é de estreia da autora!

      Excluir
  22. Joi que resenha maravilhosa!!! Que premissa maravilhosa!! Eu preciso desse livro pra ontem, o governo controla até sua alma gêmea, to quase aceitando entrar nesse sistema kkkkkk, brincadeiras a parte achei a ideia super interessante e já que você deu 5 estrelas o livro deve realmente ser muito bom adicionando ao skoob!!

    Xo
    Alisson
    Re.View

    ResponderExcluir