Título Original: The Girl With The Dragon Tattoo

Autor: Stieg Larsson
Ano: 2015
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 528
Compre aqui
Com o lançamento do quarto livro da trilogia Millennium e com uma forcinha da editora, achei que estava mais do que na hora de contar o que eu acho dessa história, que por sinal, é uma das minhas preferidas. Eu li a trilogia há um bom tempo, mas ela nunca me sai da memória em detalhes, e quando me perguntam o meu top 10 de livros, Millennium está ali, naquele lugarzinho especial, junto com outras obras que eu amo.
O primeiro livro da série se chama Os Homens que Não Amavam as Mulheres, que por sinal é muito revelador, mas Ok! Tudo começa com o aclamado jornalista Mikael Blomkvist sendo denunciado por calúnia, após publicar notícias sobre o financista Wennerström. Mikael acreditou em uma pista, que se provou calúnia. Após diversos ataques contra sua revista, Millennium, Mikael decide que é hora de sair de cena, antes que a revista fique sem credibilidade nenhuma, assim como ele.
Lisbeth Salander é uma investigadora informal. Trabalha para uma conceituada empresa de investigação, e chama a atenção por sua magreza, piercings, tatuagens e genialidade. Quando ninguém mais consegue fazer o serviço, é Lisbeth quem o faz. Apesar de já ser maior de idade, ainda precisa de um tutor que cuida de todo o seu dinheiro, já que desde de pequena é declarada “incapaz”.
Henrik Vanger é dono do império Vanger, empresas de sucesso há muitos anos na Suécia. Os Vanger são muitos, e moram todos em uma ilha particular. Em 1966, a Vanger preferida de Henrik, sua sobrinha Harriet, some misteriosamente da ilha. Todos da família estavam na ilha, e a ilha estava interditada, ou seja, não havia a menor possibilidade de ninguém entrar ou sair. Todo ano em seu aniversário, Henrik recebe uma flor rara em um quadro, presente dado por Harriet antes de ela sumir, e continuam até hoje, mais de 40 anos após o seu sumiço. 

“I am a sadistic pig, a pervert and a rapist.”

Henrik conhece bem o tipo de familiares que tem, bem por isso acredita que um de seus familiares matou a jovem Harriet. Sabiam que quando Henrik morresse, deixaria tudo para Harriet, e por isso, à mataram o quanto antes. Isso tudo é o que ele acredita e vem pesquisando e investigando ao longo dos anos. Cansado e doente, Henrik percebe que não terá como descobrir sozinho este mistério. Após contratar uma importante empresa de investigação (adivinha quem era a investigadora do caso? Ahá!) Henrik decide contratar Mikael para escrever uma “biografia” da família Vanger. O detalhe apenas eles sabem, trata-se pura e exclusivamente da continuidade da investigação de Henrik, disfarçada, para que os familiares loucos instáveis, de Henrik não desconfiem.
Duas cabeças pensam melhor que uma, juntando duas cabeças geniais então! Assim, Mikael conta com a ajuda de Lisbeth, a pessoa que sabe tudo sobre a sua vida, para desvendar este mistério. Acreditem, eu falei tudo isso aqui, mas não falei nada! Larsson fez uma história tão intrincada, tão complexa e tão cheia de detalhes, que é simplesmente impossível fazer uma resenha no nível que este livro merece. Acho que foi por isso que demorei tanto para escrevê-la. E isso tudo é apenas o primeiro livro, os outros são tão incríveis quanto.
A trilogia já virou filme duas vezes! Uma versão sueca rodou, em 2009, todos os três filmes e é, simplesmente horrível, para não falar coisa pior. Eles mudam a história, mudam a essência tão marcada de cada personagem, que eu nem consegui assistir. Olhei apenas até a metade do segundo filme, e chorando!

“Nunca antes havia estado face a face com um de seus objetos de investigação. Ele sabe onde eu moro! Ele estava em sua cozinha. Impossível! Isso não podia estar acontecendo. Ele sabe quem eu sou!”

Graças a Deus, resolveram filmar novamente o primeiro filme, e em grande estilo. Em janeiro de 2012 tive o prazer de ir ao cinema ver o perfeito Daniel Craig se tornar Mikael, e Rooney Mara se tornar a diva Lisbeth e eu amei o resultado. Ficou mais do bom! Como é uma história muito complexa (como não me canso de falar), obviamente que o filme não passou tudo do livro, mas ficou bem fiel, com atuações incríveis, recomendo.
Voltando aos livros, Stieg Larsson escreveu esses três livros incríveis e nos deixou. É realmente uma pena quando perdemos pessoas (sempre é), mas estas tão talentosas, e que amamos tanto o trabalho, é como perder um familiar próximo praticamente. Agora vocês entendem a minha super surpresa, quando fico sabendo que um quarto livro, A Garota na Teia de Aranha, seria lançado! Como assim? Eu explico. O escritor David Lagercrantz foi escolhido pelo pai e pelo filho de Larsson para continuar esta empreitada, e ele aceitou! Aproveitando o ensejo a editora Companhia das Letras repaginou toda a série em versões incríveis!

Agora é aguardar, ler essa nova obra, e conferir se David foi fiel ao estilo de Larsson, mantendo a personalidade e questões fundamentais que fizeram tantos de nós, amarem estes livros. Em breve resenho o livro dois A Menina que Brincava com Fogo e três  A Rainha do Castelo de Ar.  Já leu a série? Deixe a sua opinião!

XO,
Enjoy!


rela
ciona
dos