Quando ouvi o nome American Horror Story pela primeira vez, confesso que não dei muita bola, por algum motivo a Izabel de 2011 não conseguiu compreender e dar a devida atenção para uma das melhores séries de terror que já tive a chance de assistir. O problema era apenas um, naquela época eu ainda não tinha descoberto o maravilhoso mundo das séries, e como se não bastasse, ainda não tinha me encantado por descobrir histórias novas que fossem capazes de me fazer viajar por várias temporadas. Felizmente no ano de 2012, com o lançamento da segunda temporada dessa série maravilhosa, eu me vi instigada, curiosa e morrendo de vontade de conhecer toda a história por trás de um seriado que, de pouco em pouco estava conquistando fãs pelo mundo inteiro.

American Horror Story é uma série de terror/drama/suspense americana, criada por Brad Falchuk e Ryan Murphy. Juntas essas duas cabeças criativas e cheias de ideias insanas foram capazes de criar uma história mais absurda, bizarra, confusa e interessante atrás da outra. É verdade que nem sempre as fórmulas criadas por Falchuk e Murphy foram perfeitas e instigantes, mas o fato de que esses dois buscam inovar a partir de histórias reais, além de utilizarem muito bem várias fórmulas clássicas do terror, é incrível, para não dizer genial.
Uma das coisas mais legais desse seriado é que a cada nova temporada existe uma troca de cadeiras. Atores e atrizes trocam de papéis, desta forma, quem um dia foi malvado, psicopata, lunático ou um babaca completo, pode se transformar em um personagem bonzinho, simpático e agradável na história seguinte. Outra coisa muito legal no seriado é que ele mantém um elenco fixo ao longo das temporadas, porém novos atores também vão surgindo tornando a coisa toda muito mais instigante (Olá Lady Gaga!). E se você estava pensando que era só isso, ainda não acabou não. Cada nova temporada conta com um enredo diferente do anterior, dessa forma você não precisa assistir a primeira temporada para entender a segunda. É claro que acompanhar as histórias é um
espetáculo à parte, mas o espectador sempre possuí a possibilidade de pular uma história caso não veja interesse naquela temática.

Na primeira temporada, American Horror Story nos levou para dentro de uma casa mal-assombrada, a Murder House. Acredito que é justamente por causa dessa primeira história que as pessoas são capazes de dizer se gostam ou não do seriado. Nessa primeira história os criadores usaram temas bem conhecidos do gênero, porém existe algo muito inovador em toda essa história. Os criadores foram felizes o bastante para criar uma mistura bem interessante de várias histórias e modalidades do terror, formando uma direcionados para o Asylum, a segunda temporada do seriado. É aqui que Falchuk e Murphy mostram que o bizarro funciona, que extraterrestres, religiosidade, morte, assassinos e um hospício podem funcionar juntos e de uma forma brilhante. Tudo nessa nova história está muito bem conectado e pensado, a narrativa dá giros, vai ao futuro e volta ao passado, além de nos mostrar que os atores escolhidos sabem muito bem o que estão fazendo.
Com a chegada da terceira temporada iremos observar o ponto baixo do seriado. Em Coven nós iremos acompanhar uma irmandade de bruxas localizada na cidade de Nova Orleans. Não vou comentar muito para não estragar a surpresa para aqueles que ainda não assistiram essa temporada, mas já aviso que essa, dentre as três temporadas que eu tive a chance de conferir, é a pior história do seriado, e digo mais, alguns personagens foram muito mal elaborados, nem mesmo bons atores conseguiram salva-los.Além destas histórias, nós também conheceremos um circo de horrores na quarta temporada, Freak Show e um Hotel na quinta temporada. Infelizmente, eu não consegui assistir a quarta temporada da série para poder comentar alguma coisa com vocês, e nem mesmo começar a acompanhar o desenvolvimento da quinta. Porém, ouvi dizer que a quarta temporada é uma das melhores já lançadas, batendo frente a frente com a Asylum, assim, acredito que a história esteja particularmente sombria, maravilhosa e eletrizante.

American Horror Story, apesar de ser popularmente conhecida como uma série de terror, é focada principalmente no terror psicológico, imersivo, daqueles em que você não consegue parar de pensar na história, nos personagens e em toda a confusão de eventos que passa em sua frente. Gostaria que o seriado tivesse bons sustos e momentos de pular no sofá?! Confesso que sim, porém, o que a série perde em sustos ela ganha em uma ambientação sombria e misteriosa, além conseguir criar algo fantástico à partir de histórias reais e elementos, cenas e fórmulas clássicas do terror.Tudo nesta série é muito bem pensado, conectado e moldado para te fazer criar teorias que não existem. A história irá te manipular, com o desenrolar dos episódios você será apenas um fantoche, alguém que luta para descobrir a verdade por entre os fatos confusos e deturpados. O fato de conseguir entrar e observar o contexto do seriado, criar teorias, se encantar e logo em seguida se decepcionar com personagens, ou amar personagens com apenas um olhar é maravilhoso. A série é completa, não será focada apenas no terror e suspense, em muitos casos ela te fará pensar, refletir, e também te emocionar!

O elenco de peso também não desaponta, poxa, Jessica Lange está presente em todas as temporadas. Todos os atores têm sua chance de brilhar, de mostrar suas qualidades, de mostrar que não estão brincando em serviço. É maravilhoso poder acompanhar um personagem secundário e bonzinho em uma temporada e na próxima, encontrar o mesmo ator na pele de um personagem principal extremamente complexo e mal. Outro fato bem interessante nos personagens criados é que, mesmo com pequenas distinções entre o bom e o mal, o preto e o branco, todos são extremamente humanos. Eles comentem erros, guardam segredos sombrios, se aliam com pessoas erradas, e apesar de muitas vezes discordar e odiar certas escolhas e atitudes dos personagens, nós não podemos deixar de concordar que todos eles são interessantíssimos, complexos, além agirem e pensarem com base em suas personalidades criadas, sendo assim, nenhum personagem foge ao seu propósito e nem mesmo ao que se espera que um personagem como aquele fizesse (com exceção das surpresas).

American Horror Story é uma série de terror e suspense atual, que sabe criar novas fórmulas, mas também consegue se utilizar muito bem daquelas velhas fórmulas que estamos tão acostumados a observar em filmes de terror. Aqui o lado psicológico prevalece e supera qualquer susto nos deixando boquiabertos com o desenrolar dos fatos. Com cenas gore, de violência, além de situações sombrias e pesadas, tudo é montado para fazer com que o telespectador penetre na narrativa, fazendo com que ele selecione seus personagens favoritos, crie suas próprias teorias além de sentir raiva, ódio e desejo de morte por personagens terríveis. Os atores fazem um belíssimo trabalho, os criadores são brilhantes, as histórias são complexas e cheias de nuances. E se tudo o que eu disse até agora não conseguiu te convencer… bom, então só me resta deixar-lhes com um pequeno conselho: “If you look in the face of evil, evil’s gonna look right back at you“.

  • American Horror Story
  • Lançamento: 2011
  • Criado por: Brad Falchuk, Ryan Murphy
  • Com: Evan Peters, Sarah Paulson, Denis O'Hare e outros
  • Gênero: Terror, Thriller
  • Duração: 45 minutos – 13 episódios

rela
ciona
dos