Título Original: A História Esquecida da Hospedaria na Estrada
Autora: C.A. Saltoris
Ano: 2015
Editora: Chiado
Páginas: 354
Compre aqui
Seria uma grande coincidência se não fosse assustador o que vou acabar de contar para vocês rs. Há um ano eu fazia uma pequena resenha do capítulo 5 desse livro. Exatamente no mesmo dia, hoje eu volto para trazer a resenha completa do dele.
A História Esquecida da Hospedaria na Estrada é um livro totalmente original para mim, sou novata no gênero eu admito, então me arrisco a dizer isso. São muitas as coisas novas que vi na escrita de Saltoris mas o que mais me intrigou foi Chronos, nosso narrador.
O livro todo é narrado por ele, pelo Deus do Tempo. Ele está presente em todos os cantos, em todos os lugares, com todas as pessoas, portanto, sabe tudo, de todos. Além dele narrar esta bela história ele também participa dela, e conta parte da sua. Em uma capa de um menino de 16 anos, Christopher. Um Deus queria ter todas as experiências humanas, todas aquelas que ele nunca pode ter, apenas vivenciar, e é claro, ele queria estar perto de Linumê.
Linumê era a guardiã do portal que separava o submundo do nosso, e este portal fica dentro de S’mentry Manor, a hospedaria na estrada. O trabalho de Linumê é basicamente simples, aqueles que chegassem em sua hospedaria deveriam ser levados para o outro lado. Os sonhos mortos de seus inquilinos era a fonte de energia dessas criaturas. Assim, aconteceu durante anos, décadas…até o dia que Mathew Roberts é atraído pela hospedaria. Se ele chegou lá, existia apenas um destino para ele, mas algo muda e Linumê acaba quebrando todas as regras do submundo.

Mathew é homem comum, sem anseios, com uma vida padrão, moldada, sem graça e sem sonhos. Não mais. É e por este motivo que ele acaba na hospedaria de Linumê, ou seria ao contrário? Foi a busca do seu sonho que o levou até lá? Uma vez lá, qualquer inquilino da hospedaria começava a apresentar sintomas irreversíveis, gradativamente começavam a esquecer de sua vida, do que os levou até lá, a memória fica confusa. Só existe olhos e mente para os encantos de Linumê, fazia parte dos poderes dela. Da sedução à morte.
A história começa a se desenvolver a partir da hesitação de Linumê diante Mathew, por que ela não conseguia mata-lo? Nem ela entendia, mas Chronos sabia, ele já havia visto isso muitas e muitas vezes.

“Para tudo há um começo, eu lhes digo. E como amar, então, senão imediatamente?”

Como disse em minha resenha anterior, Linumê é o tipo de personagem que por mais que saibamos que precisamos odiá-la nós não conseguimos. A personagem revela-se numa nuance inimaginável para seu ser, uma Fada da Morte apaixonada, quem diria? Complexa e cheia de possibilidades. Além dela existem diversas criaturas que por mais que fizessem coisas horrendas dentro daquela hospedaria é difícil desgosta-los e isso é o ponto alto na história de Saltoris. Ela construiu personagens incríveis, dos mais perversos aos não tão piores. Cada um deles nos prende à sua maneira, de forma que fique impossível largar o livro durante a leitura.

Mas Chronos é um caso à parte. Como sabe de tudo, é por este motivo ele consegue detalhar cada personagem durante sua narrativa. A sua história, em que ponto e porque tal personagem chegou a hospedaria. O Deus nos carrega numa viagem ao tempo, entre o passado e o presente. Saltoris consegue conduzir o leitor sem perder o ritmo da narrativa, sem monotonia. Por mais que você queira saber o que vai acontecer no presente, é importantíssimo saber desses pequenos trechos do passado. Claramente ela aprendeu muito com Chronos, ou seria o inverso?!
Saltoris amarrou sua história de maneira surpreendente, do início ao fim. É difícil deduzir qual desfecho acontecerá, e lhes garanto o final é formidável. Se você gosta de uma história bem trabalhada, que te apresente criaturas horripilantes, um amor impossível e narrado de forma única. Uma história que apesar do gênero, te permite refletir sobre a essência humana, que nos faz refletir pelas tantas coisas que deixamos para depois, esta é a história ideal para você. Com tudo isso, eu não tenho dúvidas que A História Esquecida da Hospedaria na Estrada irá te conquistar. Mesmo para os novatos do gênero, se arrisquem, e não sintam medo, o medo nos enfraquece, não deixem seus sonhos morrerem.

Por fim, destaco que a edição da Chiado que está ótima para a leitura. Encontrei um ou dois errinhos de revisão, mas nada que atrapalhe o entendimento do enredo. Na capa há uma bela imagem do que S’mentry Manor, o que revela como ela realmente é na ausência das ilusões de Linumê. Para quem quiser ver a caracterização de Linumê, deixarei o link da página da autora, onde ela mesma se vestiu como Fada da Morte. E sim Saltoris, eu li todo o livro com sua imagem na cabeça, inclusive falando todas as falas do jeito que só você sabe como Linumê faria! Mais uma vez parabéns por toda sua entrega nessa história.
Curiosidade: a ideia do livro surgiu através da obsessão da autora com esta música.



rela
ciona
dos