The Hunger Games: Mockingjay – Part 2

Lançamento: 18 de novembro de 2015
Com: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth
Gênero: Aventura, Ficção Científica, Guerra
Então, chegamos a grande conclusão desta adaptação. Conclusão de uma saga que não só revolucionou o cinema atual, mas também foi responsável pelo ressurgimento de grandes heroínas para o cinema. Jogos Vorazes deixou sua marca eternizada na cultura popular, tornando-se um ícone.
Nesta parte final, Katniss continua sua representação como o Tordo da revolução, e manipulada como peça de propaganda para Coin (Julianne Moore). Os rebeldes estão muito próximos de conquistar a capital. A pouca resistência que existe está fraca, e com os treze distritos unidos Snow (Donald Sutherland) tem poucas chances. Sua última alternativa é atrair os rebeldes para o centro da capital e usar suas últimas e mais letais armas.

É difícil dizer o quanto gostei dessa saga, Jogos Vorazes foi um fenômeno, conquistou corações, e também fez com que muitos enxergassem o que estava por trás dos rostos de Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson e Liam Hemsworth e Liam. O pano de fundo político da saga precisa ser destacado, Jogos Vorazes é uma crítica dura a nossa sociedade, e quando Suzanne Collins a escreveu ela também se incluía junto a sua obra. É impactante perceber o que realmente nos entretêm, e Jogos Vorazes é a prova real do que a autora, e também a adaptação, até certo ponto, conseguiram passar.



A adaptação pecou nas mesmas coisas que a obra, talvez com alguns agravantes a mais no final. O filme dá dicas explicitas do que vai acontecer em sua conclusão. Senti como se Francis Lawrence fosse Snow, que manipulou e guiou os telespectadores apenas para um caminho. O grande clímax desta parte da história foi pouco a pouco antecipada. O que poderia ser épico e lacrar a franquia, acabou virando apenas algo esperado e óbvio.

Cenas com impasses bobos e a insistência na relação de Katniss com Gale é desnecessária, o que acabou resultando em personagens mal aproveitados, inclusive personagens interessantes como por exemplo, a de Gwendoline Christie que apareceu em apenas uma cena. A velocidade dos acontecimentos também não permitiu que a protagonista sentisse a morte de outros. Para quem esperava uma reação sentimental, foi tudo muito contido, como se os elos criados durante toda a saga não significassem nada. Ficou contraditório a personagem reagir de forma tão entorpecida pela guerra, sendo que há 3 anos, esses elos foram a causa.

Por fim, faltou o drama que as últimas páginas do livro carregam. Para quem leu, o epilogo, é de rasgar o coração, é intenso e sombrio, mas ao mesmo tempo, é aceitável. Na adaptação ficou enfeitado e aqui, a franquia se contradiz sem qualquer sutileza. No final de A Esperança a mídia hollywoodiana é quem mandou, e a franquia se rendeu. A regra de que todos os finais devem ser felizes e floridos acontece, o que revolta tantos fãs e desrespeita a história.
Isso não desmerece o sucesso da franquia e nem desvaloriza Jogos Vorazes, como falei, a franquia já se solidificou desde o seu primeiro. Bem, a verdade é que, tudo isso são lamentações de uma fã saudosa, que viu durante estes 4 anos a saga terminar, mesmo desejando que nunca acabasse. Mesmo com pequenas coisas me chateando, o filme foi fiel ao livro. A verdade tem que ser dita.

Josh estará eternizado como meu querido Peeta, o padeiro. Liam com todo seu desejo de justiça ao interpretar Gale. Jennifer como Katniss, o Tordo que revolucionou não só Panem. Banks, que por sua atuação, acabou virando personagem regular de toda a saga. Woody Harrelson que personificou o Haymitch perfeito, se é que isso é possível.  E todos os outros personagens que passaram por esta saga.

Jogos Vorazes vai deixar saudades e meu coração apertado, mas sei que conquistou milhares de corações, leitores ou não, a mensagem foi passada. Como fã, é gratificante ver tópicos como: manipulação da mídia, autoritarismo e desigualdade social entrando na cabeça de muitos jovens adolescentes, e o melhor, sendo debatido. Nisso a missão foi cumprida. Eu espero que cada um tire o melhor de tudo vimos. É muito difícil falar sobre algo que gostamos muito, algo que marcou parte da minha vida e parte de minhas emoções agora.

rela
ciona
dos