Criado por: Peter Nowalk / Shonda Rhimes

Com: Viola Davis, Alfred Enoch, Katie Findlay, Jack Falahee. 
Gênero: Suspense, Drama
Duração: 43 minutos -15 episódios
Lançamento: 2014

Estou simplesmente amando essa segunda edição da Semana do Horror, aqui na Estante. Muita resenha bacana, com livros, filmes e séries. Resolvi que uma das minhas resenhas deveria ser essa série maravilhosa, que comecei a assistir há pouco tempo, chamada How To Get Away With Murder. Já tinha assistido a várias propagandas dela no Canal Sony, mas meus horários andavam muito corrido, e não tinha conseguido assistir. Certo dia, escolhendo algo para ver no Netflix nosso de cada dia, dei o play na série, e não consegui mais parar de assistir, até terminar a primeira temporada.

A série inicia com o jovem Wes Gibbins (Alfred Enoch), conseguindo uma vaga no curso de Direito, após um período na lista de espera. Já na sua primeira aula, passa por diversos testes e provações. Sua professora é a famosa advogada criminal Annalise Keating (Viola Davis). Annalise é muito bem sucedida na vida profissional, sendo uma advogada famosa por ganhar suas causas, além de exímia professora. Diferente dos demais professores, Annalise resolveu ensinar seus alunos a pensar como assassinos, aprendendo assim, todos os seus passos. O nome da disciplina? How to get away with murder

A disciplina é concorridíssima, e já no primeiro dia, fica claro para Wes que será fácil sobressair-se neste meio. Todos os alunos já haviam recebidos as tarefas que deveriam estar prontas no primeiro dia de aula, menos Wes, uma vez que só se matriculou dias antes do início das aulas. Além desta desvantagem, após não saber uma resposta da professora, todos os colegas ficaram sabendo que Wes estava na fila de espera, ou seja, não foi bom o suficiente para entrar na primeira tentativa.
Annalise gosta de acirrar a concorrência, e de ter com ela os melhores da classe. Desta maneira, ela convida os melhores alunos para estagiarem em seu escritório de advocacia, acompanhando os casos da professora, e ainda ajudando a solucioná-los. Ao final da primeira parte do curso, ela divulga os alunos selecionados. Dentre eles, para a surpresa de todos, Wes Gibbins.

Agora a disputa fica ainda mais acirrada, pois eles possuem casos reais, e precisam trabalhar muito para ganhar o reconhecimento que sonham e ainda ganhar o caso. Os colegas de Wes são todos ricos, e sonham com a carreira desde cedo. Wes sente-se deslocado, pois sempre passou por dificuldade, financeiras e emocionais, mas Annalise viu algo a mais no jovem, e está disposta a mostrar e ajudar Wes.

Tudo seria mil maravilhas se fosse apenas necessário o trabalho duro. O problema é que tudo começa a degringolar quando os casos começam a ficar pessoal demais. Tudo o que aprenderam na disciplina deve ser colocado em prática, pois eles estão participando de um assassinato agora. No meio de tudo isso, tramas pessoais desenvolvem-se, tornando tudo mais complicado do que realmente é.

Com relação a atuação dos atores, Viola é um show à parte. Consegue passar tranquilamente a advogada durona, que sabe que é a melhor, e que coloca que medo em todos. Em contrapartida, consegue expressar as dores de uma vida pessoal mal resolvida, e as incertezas emocionais. Nos episódios mais próximos ao final da primeira temporada (don´t worry, no spoilers!) ela atua tão perfeitamente, que eu consegui sentir o que ela estava sentindo, chorar pelo que ela estava chorando. Foi realmente lindo de ver. Alfred Enoch, o meu para sempre Dino, de Harry Potter, fez, e está fazendo, um ótimo trabalho.
O foco da série é Annalise, juntamente com Wes, dessa maneira muitas facetas de Wes são apresentadas, e Alfred cumpriu bem com o seu papel. Sobre os outros atores, confesso que não conheço o trabalho deles, mas achei todos muito consistentes, já que todos os personagens tem uma trama por trás, um jovem gay, a jovem certinha (não tão certinha) noiva do cara rico, a jovem que se apaixona pelo cara errado, o riquinho sem noção. Nenhum deles é sem graça, nenhum é sem conteúdo, e eu adorei isso.

Espero não ter entrado muito na história, acredito que não, e quem não assistiu a serie ainda, corre lá e aproveita! Vale muito, o combo drama + suspense é muito bom, e vai te prender na telinha!

Feliz Dia das Bruxas!
XO!

rela
ciona
dos