Apesar do nome comum, para quem não conhece, Jessica Jones é uma super-heroína do universo Marvel, que agora, ganhou sua série na Netflix. Ganhando vida pela a interpretação de Krysten Ritter, Jessica é uma ex-super-heroína. Sua breve carreira teve um final trágico, e anos depois ela ainda tenta superar seus traumas. Ela se esconde como investigadora particular em seu próprio escritório, a Alias Investigations localizado em Hell’s Kitchen, em Nova York, mesmas ruas por onde anda O Demolidor, também da Netflix.
Mesmo querendo que seus poderes passem despercebido, Jessica utiliza de seus dons quando necessário, no seu caso, a super força. Na sociedade me que Jessica está situada os super-heróis apesar de já serem mencionados, ainda são vistos com uma certa anormalidade. A população já vivenciou os horrores e os estragos que estes seres com superpoderes podem trazer, referindo-se diretamente ao último filme de Os Vingadores. Inclusive, durante a série, os personagens dos filmes são diversas vezes mencionados.
Jones tem um passado sombrio, depois de perder seus pais em um grave acidente de carro, Jessica acaba na casa de Trish (Rachael Taylor)e sua mãe, que obriga a filha a ser uma celebridade mirim. Ambas acabam virando grande amigas ao longo dos anos, apoiando-se quando necessário. Já adultas e incentivada por Trish, Jessica resolve tentar usar seus dons para fazer o bem. Mas a coisa começa a desandar quando ela conhece Killgrave (David Tennant), o vilão com o superpoder de controlar mentes e que agora, resolve voltar do seu passado para assombra-la novamente.

Fazia tempo que não “maratonava” uma série antes. Relutei um pouco com Jessica Jones, mas acabei cedendo. Em no máximo 2 dias acabei finalizando a série, que traz uma mensagem mais do atual para seus fãs, traz uma mensagem importantíssima para o público jovem. Apesar de estarmos falando sobre uma série de TV com super-heróis, se tirássemos todo o conteúdo sobrenatural da série a mensagem seria a mesma. Relacionamento abusivos.

E não são apenas os relacionamentos entre casais que ganha foco, mas também entre pais e filhos. Em uma época onde o empoderamento da mulher está em destaque na mídia, Jessica Jones chegou na hora exata, onde realmente faria com que as pessoas pensassem e isso para mim é o grande trunfo dela. Se compararmos a produção de Jessica Jones em relação a outras séries e a outros filmes de super-heróis, realmente JJ deixa a desejar, mas acredito que a intensão dos produtores nunca foi essa.
O final para mim foi morno, não poderia deixar de dizer, achei que, apesar de ser o esperado, eles poderiam ter arriscado um pouco mais, porém está feito. Acho que como uma primeira temporada, os 13 episódios fizeram seus papeis. Foi uma temporada introdutória de muita coisa que Jessica Jones ainda pode trazer para o público, e eu espero ansiosamente.
Não poderia deixar de falar sobre o grande elenco e as sensacionais interpretações. Krysten é a Jessica que os fãs poderiam pedir, ela passa toda a fragilidade que o psicológico abalado da personagem pede, mas também toda a força que ela tem. Mike Colter, como Luke Cage também faz um ótimo papel, o herói indestrutível despedaçado pela morte de sua mulher. E por fim temos David Tannent, com certeza a série não teria todo o sucesso sem a atuação de David no papel de vilão da série. Todos os personagens trazem uma ambiguidade em suas personalidades, e com Killgrave não poderia ser diferente. Isso não seria tão palpável se não fosse David. Só tenho que dar os parabéns.
Com certeza Jessica Jones é uma série que deve ser apreciada, é um drama, que aborda assuntos relevantes e atuais, mas que também usa do humor como válvula de escape para aliviar toda a tensão. Sem dúvidas, a primeira temporada de JJ começou muito bem, mostrando a essência da personagem acima de tudo. Se você procura apenas ação e cenas coreografadas de luta pode se decepcionar um pouco, apesar da existência dos superpoderes, aqui a visão psicológica de cada personagem será muito mais trabalhada.


Criado por: Melissa Rosenberg
Com: Krysten Ritter, David Tennant, Mike Colter
Gênero: Drama, Fantasia, Policial
Duração: 13 episódios – 42 minutos
Lançamento: 2015

rela
ciona
dos