Resenha: Sejamos Todos Feministas

Título Original: We Should All Be Feminists
Autora: Chimamanda Ngozi Adiche
Ano: 2014
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 64
Compre aqui

Sejamos Todos Feministas foi o livro de ação do mês de março da Companhia das Letras. Como uma forma de homenagear o mês da mulher, várias editoras acabaram lançando e relançando livros que foram e são um marco no empoderamento da mulher. Sejamos Todos Feministas é um desses livros e esta é sua terceira edição. 

O livro na realidade é uma edição adaptada de uma palestra que a autora Chimamanda Ngozi Adiche fez numa conferência anual da África chamada TEDxEuston. O evento reúne diversos estudiosos convidados para inspirar e desafiar as pessoas, e Chimamanda foi falar sobre o feminismo. Em seu discurso, Chimamanda começa uma discussão, até então, pouco debatida, mas extremamente necessária. Um assunto que a cada dia vem ganhando força nas mãos das grandes mulheres que temos. Chimamanda com certeza é uma delas.

Não é spoiler algum eu falar que ao final de seu discurso, Chimamanda foi ovacionada em pé e assim como a autora diz é um fio de esperança para uma sociedade tão machista.


Ao longo de suas palavras veremos diversas situações descritas com humor, e as vezes, nem tanto humor assim, de que as mulheres passaram e passam em nossa sociedade, a maneira como nós devemos e precisamos nos posicionar. Isso não é novidade para nenhuma mulher, mas ao finalizar esta leitura, temos certeza que ainda há muito a que fazer pela igualdade de gêneros. O quanto ainda existe teorias erradas quanto ao feminismo, que de jeito nenhum visa superioridade, mas apenas a igualdade. Uma coisa interessante que a autora menciona justamente sobre a igualdade de gênero é que isso não "favorecerá" apenas a mulher, mas também homens que crescem sendo obrigados a se encaixar num estereotipo ideal de homem.


Durante seu discurso, a autora vai abordar outros pontos relevantes que pairam sobre a mulher e sua independência, então a leitura está mais do que indicada para todos os gêneros e idades :) O livro é super curtinho e não quero tirar a boa experiência de ninguém que queira ler a obra, então vou deixar aqui o clipe da música Flawless da cantora Béyonce, outra artista que desempenha um importante papel em várias causas sociais, como desigualdade de gênero, social e racial. A cantora usou parte do discurso da Chimamanda para esta música. Espero que gostem.

A versão ao vivo você pode conferir clicando aqui.


4 comentários

  1. Oi Joy! Tudo bem?

    Eu sempre penso que existe feminismo e feminismo. A independência extrema não foi criada nem para o homem, nem para a mulher. Ninguém consegue viver sozinho, e quando digo sozinho, é completamente sozinho, sem uma alma viva por perto.
    A igualdade de gêneros é super necessária e quero muito ler esse livro para saber mais, conhecer mais e pensar um tanto sobre o assunto.
    Tem um vídeo no TED sobre a Chimamanda e vou deixar o link aqui embaixo. É legendado.
    TED: https://www.ted.com/talks/chimamanda_adichie_the_danger_of_a_single_story

    Abraços Joy! | Blog

    ResponderExcluir
  2. Oi joy, acho que nunca li nenhum livro que abordasse esse tema, embora saiba da importância do mesmo. Li todo o seu post e parabéns, você escreve muito bem. Fiquei com vontade de ler esse livro e tenho certeza que não será perda de tempo.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  3. Olá, Joi.
    Eu gosto bastante da Chimamanda. Já li todos seus livros publicados aqui no Brasil e este, em que ela fala sobre feminismo, assisti primeiro ao discurso e depois li o livro.
    Eu concordo com as ideias expostas pela autora e acho o livro bastante didático e elucidativo.
    Abraços.

    Minhas Impressões

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Não lembro onde exatamente soube sobre este livro, lembro apenas que o procurei na internet e o adquirir. Fiquei meio em dúvida quanto a sua leitura de imediato, pois gostaria de saber mais sobre ele. é estranho admitir que depois de tanto tempo ouvindo falar de tantas e tantas teorias e falatórios sobre o feminimo, perdi o interesse pelo tema. Contudo, é algo que preciso conhecer, até inclusive para entender para poder falar.
    Sua resenha e a música escolhida me ajudou a me convencer a ler o livro o que é bom!

    Jônatas Amaral
    alma-critica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir