Título Original: Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children
Autor: Ransom Riggs
Ano: 2016
Editora: Leya
Páginas: 336
Compre aqui

Há algum tempo tem se falando nesse livro, muitas resenhas têm sido escritas e diversos elogios tem sido proferidos em relação à essa história. Por isso eu estava extremamente ansiosa com essa leitura e, assim que vi uma promoção, corri para comprar o livro.

O Orfanato para Crianças Peculiares da Srta. Peregrine é um livro bastante intrigante, que nos apresenta um universo completamente novo e cheio de possibilidades interessantes. Somos iniciados na história através dos olhos de Jacob Portman, um garoto de dezesseis anos conformado com sua vida monótona e sem grandes acontecimentos.

Jacob acredita que sua vida é completamente comum e sem graça, seus dias passam devagar enquanto ele trabalha em uma das lojas de sua família. As coisas mudam no dia que ele recebe uma ligação estranha do avô, o senhor pede para que ele lhe diga onde estão as chaves de seu armário de armas. Jacob não entende porque ele precisaria de armas sendo que vive em uma vizinhança pacífica e está aposentado de seus dias na guerra há muitos anos.
Mesmo com todas as suas desconfianças quanto ao estado mental do avô, Jake decide ir até a casa dele para checar se tudo está bem, entretanto, o que o garoto acaba encontrando por lá com certeza mudará completamente sua vida tediosa para sempre.

Quando Jake era criança, seu avô costumava contar histórias fantásticas de crianças com habilidades peculiares que viviam em um orfanato, num lugar bonito e com uma tutora sábia e igualmente peculiar. Porém, os pais de Jacob sempre foram céticos e com o passar dos anos, acabaram influenciando o filho a pensar da mesma maneira e abandonar as aventuras incríveis, porém improváveis do avô.

Entretanto um dia algo fora do comum acontece na vida de Jake e ele percebe que, na verdade, o tempo todo, tudo o que seu avô fez foi lhe contar a verdade. A partir daí o leitor embarca em uma viagem sem volta para o passado de Abe, avô de Jake, onde descobrimos que o mundo pode ser um pouco mais complicado do que aparenta.

A obra tem um quê de interação com o leitor, já que as fotos que ilustram a capa e o interior do livro permitem que quem o leia tenha um registro em foto dos personagens, o que pode dar mais credibilidade à história. Além disso, Ransom descreve extremamente bem as cenas, talvez isso se deva à sua experiência escrevendo roteiros, por isso, enquanto lemos, podemos visualizar com precisão a cena que está se desenrolando.

Sem dúvidas a história contém grandes emoções e seus personagens nos conquistam com sua inocência e virtudes. Como é o caso de Emma, uma das crianças do Orfanato (na verdade não tão criança assim), no começo ela se mostra arisca à Jake, acreditando piamente que ele seja um ser maligno, mas bastam poucos dias ao lado do garoto para ela vê-lo com outros olhos.
O interessante é que Abe, avô de Jake, viveu com aquelas mesmas pessoas, naquele mesmo orfanato e Jake se parece em muitos aspectos com o avô, então é como se ele substituísse o papel do avô no lar, inclusive em sua habilidade peculiar. Por outro lado, o próprio Jake percebesse disso e trata logo de mostrar que ele é uma pessoa diferente de Abe e tem suas próprias percepções de mundo.

A única coisa que incomoda um pouco no livro é o ritmo que o autor deu para os acontecimentos. Parece que, na verdade, o primeiro livro é mais uma premissa para os próximos. Como se o autor tivesse escrito a história toda e depois decidiu separá-la em mais de um volume.
De qualquer maneira, gostei muito do que encontrei em O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, mesmo querendo ler os demais livros para encontrar mais ação da parte de Jake e seus amigos peculiares. A trama termina justamente com essa expectativa de que algo grande está para acontecer e instiga o leitor a buscar os próximos volumes para concluir as aventuras do protagonista neste novo mundo fantástico.

Confira a resenha da adaptação da obra aqui.

rela
ciona
dos