Título Original: The Tiger Saga #4: Tiger’s Destiny
Autora: Colleen Houck
Tradução: Raquel Zampil
Ano: 2013
Editora: Arqueiro
Páginas: 393
Amazon

Após passarmos por três livros adoravelmente mornos, cheios de informações incríveis e muita, mas muita magia e mitologia envolvida, é chegada a hora de conhecer e enfrentar com os olhos um tanto quanto marejados o encerramento da maldição que transformou dois príncipes indianos em tigres solitários. O capítulo final desta saga maravilhosa pode não estar totalmente certo, devido a certos boatos e cochichos que existem  na internet relacionados ao lançamento de um quinto livro, porém até o momento é neste livro que devemos confiar para aproveitar de pertinho toda a aventura presente na Saga do Tigre. E assim como devemos confiar, devemos amá-lo, e guardá-lo com carinho já que o quarto capítulo dessa série possuí mais emoção e magia do que todos os seus antecessores, na minha mais humilde opinião.

“Muito bem. Da próxima vez que minha vida for destruída, vou tentar expressar meu sofrimento de modo silencioso, longe de sua delicada sensibilidade. ”

O Destino do Tigre já se inicia com tensão e apreensão devido ao fato de que nossa querida, e muitas, muitas vezes irritante personagem principal foi capturada por ninguém menos do que Lokesh. Presa e perdida no meio das garras desse vilão ardiloso, Kelsey precisa utilizar toda a sua inteligência, habilidades e força de vontade para se manter o mais longe possível dos olhares e planos mortais de Lokesh. Porém seu coração sempre estará voltado para seus amados tigres enquanto almeja por sua segurança e sonha que eles possam ajudá-la a escapar de alguma maneira. A ajuda chega durante um momento decisivo, e bem, bem complicado, digno de filme, e como se não bastasse, logo nos estágios iniciais de nossa aventura final somos agraciados por uma cena de luta e ação contagiante, capaz de deixar qualquer leitor ávido pelo que vem a seguir.
A partir do momento em que Kelsey é resgatada seremos entregados a um mundo mágico cheio de aventuras, lutas, ação, escolhas e muita, mas muita informação e mitologia, como não poderia deixar de ser. Quando Kelsey se reúne à Ren, Kishan, Nilima e o Senhor Kadam percebemos uma grande mudança de ares, todos os nossos queridos personagens estão mudados em sua própria maneira de ser, cada um passou por alterações sutis ou drásticas durante suas aventuras e é justamente nesta última etapa que percebemos o quanto cada um evoluiu, amadureceu e o quanto essas mudanças afetarão o rumo da história. Porém a maior mudança percebida e perfeitamente evidenciada nesse livro foi na própria Kelsey. Após nossos três capítulos anteriores, após todo o mimimi da personagem, após toda a sua indecisão e mudança de opinião, percebemos que no quarto livro da série ela está mais obstinada e centrada do que nunca, diversos aspectos da personagem mudaram e evoluíram para que ela chegasse onde chegou, e percebemos que, mesmo com certas distrações, seu foco está em quebrar de uma vez por todas a maldição, derrotar Lokesh e encontrar o último presente da Deusa Durga.

“Valorize suas experiências, pois momentos preciosos passam rápido demais por você e, se estiver sempre correndo em direção ao futuro ou ansiando o passado, irá se esquecer de desfrutar e apreciar o presente. ”

Não sei exatamente por onde deveria começar a falar sobre o final dessa série. Passei muito tempo pensando em tudo o que havia comentado sobre os livros anteriores e percebi que ao contrário de tudo o que havia destacado em minhas três primeiras resenhas, ao longo da leitura do quarto livro eu não senti qualquer irritação por parte de qualquer personagem que não fosse o próprio Lokesh. Todos os personagens sofreram mudanças, privações e evoluíram muito, assim sendo, cada um acabou perdendo os pontos que conseguiam me deixar tão nervosa. Eles passaram a agir com mais precisão, com maior racionalidade e mesmo durante os momentos de decaída eu percebia maior realidade e motivação em seus sentimentos, acredito que gostei de ver motivações mais sóbrias e menos daquele ciúme e indecisão dos outros livros. Cada personagem que havia conquistado meu coração, mas ainda me deixava com dúvidas no coração conseguiu provar o seu valor, porém um deles foi capaz de superar todas as minhas expectativas e até me fazer derramar algumas lágrimas. Estou falando de uma escolha difícil de nosso amado Kishan.
Como já faz parte de todos os livros da nossa querida Colleen Houck, nesta obra também recebemos uma quantidade considerável de informações, curiosidades e mitologia. Mas confesso que percebi que, e talvez isso tenha acontecido devido a minha enorme felicidade quando encontro uma pesquisa  bem desenvolvida e inserida em qualquer que seja o livro, no caso dessa etapa da história a pesquisa está viva, ela se estende de uma forma bela e maravilhosa por todas as aventuras encontradas pelos nossos personagens. Aqui cada mitologia criada pela autora ou inserida de maneira memorável a história é cheia de energia, muito mais do que mera explanação, ela parte para as paisagens encontradas, paras as aventuras e lutas pelas quais os personagens deverão enfrentar, até mesmo os secundários personagens ardilosos e cruéis encontrados em reinos secretos são a pesquisa viva da autora.

“Eu lhe ofereci a rara oportunidade de expurgar a tristeza que pesa sobre sua alma, mas agora precisa fazer uma escolha: retomar esse fardo ou permanecer livre dele. ”

De maneira geral a famosa Saga do Tigre é constante, se mantém morna na maior parte do tempo, porém quando chegamos ao final da aventura recebemos muito mais do que constância e fórmulas modificadas e reutilizadas a cada novo livro. Quando se trata de criar um final emocionante, sensível e belo, Colleen Houck sabe nos encher os olhos. Através das páginas deste último capítulo pude ver tudo o que a autora tinha para oferecer e tudo o que ela vinha salvando para o grande final. Se os três primeiros livros foram mornos, o quarto nos enche o coração, nos mostra a
beleza do amor, seus sacrifícios e sua esperança, ele abre espaço em nosso coração para uma luz que nem sempre se mostra ao final de uma série. Sou sim, toda elogios para esse final, e tenho certeza de que todo amante dessa história adorável também vivenciou o que fui capaz de vivenciar nessas últimas páginas!
Após passar por tantos sentimentos com essa série, só me resta sonhar, almejar e torcer com todas as minhas forças para que, o até então apenas comentado por aí, O Sonho do Tigre seja muito mais do que falação ou apenas um plano. Mesmo não fazendo ideia sobre o que essa possível continuação irá abordar, tenho certeza de que vou precisar dela em minha estante, assim como irei adorar conferir suas palavras, frases e capítulos um após o outro, tudo para matar a saudade e a curiosidade de conhecer mais um pouquinho do destino de meus amados personagens. Enquanto esse projeto não saí, eu dou um jeitinho de ler A Promessa do Tigre.

“Jamais se obtém a vitória sem primeiro tomar a decisão de partir. C ada passo que você deu, cada inimigo que você venceu, cada provação que suportou, trouxe você aqui, agora, a este momento. ”

rela
ciona
dos