Resenha: 31

30 jun, 2017 Por Joi Cardoso

Título Original: 31 – Viagens da Ficção
Autoras: Cacau Ideguchi e Maria Fernanda Nogueira
Ano: 2017
Editora: Chiado
Páginas: 120
Compre pelo site da Chiado Editora.

Lançado pela Chiado Editora no início de 2017, 31 é um livro de contos das autoras Cacau Ideguchi e Maria Fernanda Nogueira. O livro faz parte de uma coleção chamada Viagens na Ficção.
Como o próprio título sugere, teremos 31 contos e apesar de suas características, cenários e personagens, os contos que podem ser lidos separadamente, também podem se entrelaçar ao longo das páginas dependendo de sua perspectiva. Nestes contos conheceremos quatro nomes. Marcelo e Marcela. Eduardo e Eduarda. A mudança de gênero dos nomes pode causar uma certa estranheza de início, mas logo captamos característica singulares de suas personalidades.
Em cada conto, presenciaremos estes personagens se cruzando em situações distintas, em épocas e espaços diferentes. Desta forma as autoras conseguem trabalhar os mais distintos sentimentos e emoções. Cada conto também receberá um número, mas engana-se quem achar que encontraremos eles de forma crescente e isso é totalmente proposital. Para aqueles que preferirem ler as histórias individualmente, é possível correr pelas páginas da forma habitual, uma após a outra. Para quem busca, talvez, os pontos que poderão conectar a vida desses personagens é possível correr pelo livro atrás da sequência certa.

“No meio da exposição internacional de fotografias havia uma, em preto e branco, com uma pessoa sentada no meio-fio. O título era Stranger, assim mesmo, escrito em inglês e itálico, datada de três anos atrás. Marcela parou em frente à foto permaneceu lá, o dia inteiro, até ser expulsa pelo segurança no final do último turno, aproveitando a única oportunidade que teria de ver Eduarda daquela vez. (4)”

Gostei da ligação que é possível criar com os personagens e gostei ainda mais da forma que as autoras passam isso entre eles também. Aqui teremos vínculos bastante fortes, íntimos ao extremo, uma conexão que por vezes vai além do entendimento, mas que compreendemos ser algo que vai além. Que ultrapassa a distância, a idade, o gênero e o tempo, entre outros diversos contextos que iremos encontrar por aqui. Duas almas que lutam para se encontrarem, mesmo que não compreendam o porquê.
Eu particularmente adoro ler contos. Por serem histórias breves, é fácil de se conectar com a leitura. A narrativa das autoras é bastante fluida e sem muitos floreios, mas isso não significa que as mesmas não deem um toque de sentimentalismo em suas palavras. Uma boa história é aquela que toca a alma, que desperta no leitor diversos sentimentos, que fazem com que nos identifiquemos com o que estamos lendo. Que façam com que vejamos estampados nestas páginas um fragmento de nós mesmos. 
A forma que estas histórias foram contadas fazem com que o leitor torça pelo destino desses personagens. Que estas incríveis histórias – ou esta história – tenha aquele sonhado final feliz. Que sejam mais do que simples encontros e desencontros da vida. Eu adorei o formato e adorei esta viagem no tempo. Já havia lido livros de contos que brincam com a dinâmica, mas nunca um que fosse tão arquitetado. Sem dúvidas é de se parabenizar o trabalho dessas duas autoras que juntas criaram um amor único entre almas, que transcende o físico e que nos faz refletir sobre a grandeza e a complexidade humana. Desejo sucesso e a certeza que histórias mais belas virão! 

rela
ciona
dos