Residue - Única Temporada | Crítica

Criado por: John Harrison
Com: Natalia Tena; Iwan Rheon; Jamie Draven; Danny Webb; Eleanor Matsuura.
Gênero: Terror; Suspense
Duração: 3 episódios – 42 minutos

Residue é uma série piloto composta por apenas três episódios que, muito mais do que uma aposta que não deu certo, trata-se de mais um projeto adoravelmente bem montado, composto por uma narrativa instigante, nomes parcialmente conhecidos pela mídia, e, como se não bastasse, dá um show de fotografia, coloração de imagem e criação de uma atmosfera capaz de absorver o espectador dentro de suas garras sombrias e misteriosas. Infelizmente o seriado não rendeu mais do que três episódios, mas ainda podemos descobrir os segredos que essa história pretendia abordar, além das possibilidades que ela deixou para trás.

Durante uma noite de virada de ano, localizada em uma linha temporal no futuro próximo que aguarda pacientemente pela possibilidade de acontecer, em uma metrópole qualquer da Inglaterra. Enquanto jovens festejam nos mais diversos espaços, e pessoas comemoram mais um ano que se finda, uma única casa de shows, um único ponto geográfico, misteriosamente sucumbe. Durante a noite que anunciava um novo ano, as vidas de diversos jovens são levadas, tomadas por um possível ataque terrorista, pela ação da própria terra, pela construção e ação desenfreada do ser humano, ou por algo ainda mais sombrio.


Após a destruição da casa de shows o governo ergue um grande muro, uma barreira capaz de separar a população dos arredores de onde, segundo os próprios representantes das autoridades responsáveis, uma bomba explodiu. Uma área de quarentena é assim estabelecida, apenas pessoal autorizado pode entrar ou sair. O governo insiste que tudo está sob controle, porém, coisas estranhas começam a acontecer e a afetar as vidas de todos aqueles próximos a área de quarentena, justamente no espaço considerado seguro, nos ambientes em que as vidas deveriam seguir seu rumo natural. 

Pessoas começam a apresentar comportamentos suicidas, homens e mulheres acabam com suas vidas e se veem atormentados por motivos invisíveis. Enquanto muitos vão para longe do lugar, e o governo insiste em manter uma quarentena, além de realizar testes duvidosos, uma única pessoa percebe a ligação entre o que acontece fora dos muros e tudo aquilo que é escondido dos olhos do público.

Residue possuía tudo para se tornar uma queridinha dos apaixonados por terror psicológico, ou até mesmo por aqueles que gostam de um bom suspense. A história aqui apresentada é habilmente capaz de unir elementos de suspense, com até mesmo uma pitada de policial, juntamente a atmosfera instigante, imersiva e aterradora de um bom terror psicológico. O seriado brinca com nossa mente e percepção, lança detalhes no ar para que o espectador possa criar suas teorias, gera dúvida a todo momento. Brinca com as possibilidades de que os eventos apresentados fazem parte de algo sobrenatural, ou não passam de meras ilusões dos personagens. 


Como se não bastasse, o seriado possuí uma fotografia belíssima. Cada cena, posição de câmera e ambientação dos três episódios são um espetáculo, uma prova do cuidado e habilidade daqueles responsáveis por sua execução. Além disso, esse breve seriado, de vida curta e pouco comentada, apresenta as melhores cenas noturnas, com a melhor coloração de imagem que você possivelmente já viu em muito, muito tempo. É impossível comentar sobre essa série sem destacar a graça e beleza com que as cenas noturnas foram elaboradas, o que torna o fato de que o projeto nunca ganhou continuidade, ainda mais triste.

É uma pena que Residue não passe de uma série piloto, de um projeto repleto de possibilidades que nunca recebeu a atenção que merecia, porém, aqueles apaixonados por histórias sombrias, teorias da conspiração, mistérios que se expandem para algo maior do que seus personagens principais, devem se arriscar pelos três episódios deste breve seriado e correr o risco de ter suas mentes testadas pelas possibilidades sombrias dessa história.

5 comentários

  1. Hum...que interssante. Eu não tinha ouvido falar, mas fiquei interessada. Adoro distopias e por ser uma série piloto somente com três episódios já me facilita. kkkkkk Eu não costumo ver série porque não consigo acompanhar então com poucos episódios isso já é resolvido. Gostei da ambientação da trama e a fotografia parece ser muito bonita mesmo.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  2. Olá!!!
    Eu nunca tinha ouvido falar dessa série, mas agora estou MUITO animada para ver, que pena que não vai ter continuação, mas a premissa é muito legal, parece ser o tipo de série que eu iria me apaixonar.
    É chato ver um tanto de séries ruins por ai com várias temporadas e ver uma com tanto potencial sendo desperdiçada. Mas adorei a indicação. Bjos!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Não conhecia essa série, estou mesmo por fora das séries e precisando ver algumas novas. Gostei muito da premissa, parece muito legal e bem o meu estilo de seriado.
    Ainda mais porque é curtinha <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Hum, que série mas interessante.
    Sou super fã de série e gosto sempre de conhece novas, e essa me chamou bastante tenção pela trama, e bem envolvente. O única coisa ruim dela que só tem pouco episódios mas através da para perceber que seria incrível.

    ResponderExcluir
  5. Izabel!
    Nunca tinha ouvido falar da série e pelo visto, tem todos os elementos para ser bem desenvolvida com um enredo policial cheio de mistérios e até um pouco sombrio e ainda com uma fotografia linda como falou.
    Tem coisas que são assim, né? Uma pena!
    “Como eu não tenho o dom de ler pensamentos, eu me preocupo somente em ser amigo e não saber quem é inimigo. Pois assim, eu consigo apertar a mão de quem me odeia e ajudar a quem não faria por mim o mesmo.” (Desconhecido)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir