Título
Original:
A Head Full of Ghosts
Autor:
Paul Tremblay
Ano:
2017
Editora:
Bertrand Brasil
Páginas:
262
Existe
uma casa, localizada em um agradável bairro familiar, onde os vizinhos são próximos e as
crianças brincam nas calçadas, que presenciou eventos inimagináveis para a
maioria dos moradores. Esta casa encontra-se abandonada, perdida no tempo e no
espaço, em uma busca desesperada pela oportunidade de abrigar novamente uma família e,
com sorte, ser a garantia de boas lembranças e risadas fáceis, além de seguir por um caminho diferente do vivenciado por seus antigos donos. 
Quando, quinze anos depois, a única sobrevivente da família Barrett retorna
para a residência que é seu maior trauma da infância, da mesma forma como foi a responsável por transformá-la na adulta que é,
fantasmas e segredos ressurgem com o único intuito de contar a verdade sobre o
que realmente aconteceu ali.
A
família de classe média, composta por uma mãe trabalhadora e preocupada, um pai
recém desempregado e possivelmente machista, além das irmãs Marjorie e Merry,
morava em uma residência de dois andares em um bairro familiar. A perda
do emprego afeta o patriarca de forma considerável, fazendo com que este se
torne irritadiço e volte suas esperanças para a fé que, durante muito tempo esqueceu, na santa igreja católica. Marjorie, a irmã mais velha, cujas histórias encantavam a pequena
Merry, passa a apresentar comportamento distante, suas histórias se tornam
sombrias, suas atitudes geram desconforto na irmã mais nova e trazem consigo a
preocupação dos pais. Enquanto Merry possuí posição privilegiada como
observadora das mudanças na casa, a mãe trabalha como nunca para manter a
rotina da família, o pai se volta para a igreja como nunca antes, e Marjorie
começa a ter surtos nunca antes vistos.

“Mamãe se deitara ao meu lado. Eu chorava histericamente e perguntava sem parar o que havia de errado com a minha irmã. Ela esfregara minha testa e mentira para mim, dizendo que tudo ficaria bem.”


A
irmã mais velha passa a se consultar com um terapeuta, porém, a cada dia ela parece piorar cada vez mais. Seu comportamento se torna cada vez mais estranho e sombrio, como se algo ou alguma coisa estivesse controlando seu ser e
transformando sua vida da pior maneira possível. Não demora muito para que o
pai a leve para uma conversa com o padre de sua mais nova congregação, o que direciona a família para, através da enorme preocupação do padre que só queria ajudar, a uma equipe de televisão. Esta, por sua vez, surge com o intuito único e verdadeiro de divulgar a
ação de um demônio que age sob o corpo e alma de uma jovem garota de quatorze anos. 
Na
Escuridão da Mente
possuí uma proposta instigante. Trata-se de uma história
construída com o intuito de estabelecer a velocidade perfeita – tirando as
tristes exceções – para ótimo aproveitamento do leitor. Além é claro, de
destacar-se por sua narrativa bem amarrada e repleta de reviravoltas capazes
de fazer com que toda e qualquer teoria seja arremessada pela janela a todo e
qualquer momento. Isso tudo, por conta da sagacidade do autor. 
Ao mesmo tempo, ouso dizer
que esse livro não se trata, necessariamente, de uma história de terror. É
verdade que se aproveita de elementos do terror clássico, possuindo cenas
dignas de cinema e um enredo com pé no sobrenatural. Porém, a real sacada do
livro, seu maior trunfo, não está na apresentação de elementos próprios à histórias de terror, mas sim na criação de algo capaz de gerar confusão e
dúvidas no leitor, fazendo com que não pare de virar as páginas até ser capaz
de descobrir a verdade por trás dos fatos.
Apesar
de apresentar uma trama principal, ligada aos eventos que acontecem no passado,
extremamente bem montada e amarrada, o livro se perde e desanimada por forçar
novos formatos e quebras na narrativa. A presença de postagens de um blog
ligado ao programa de televisão que foi produzido de maneira a estar voltado para os eventos vivenciados pela
família Barrett, nada acrescenta ao enredo além de pouquíssimos detalhes e a terrível quebra na curiosidade do leitor. Justamente quando a trama ganha força e prende
a atenção, são inseridas as postagens, gerando frustração e
distanciamento de uma trama imersiva e adoravelmente misteriosa.
Na
Escuridão da Mente
se apresenta como uma história de terror, porém, sua força
está no fato de que no final, a obra é muito mais voltada para um thriller
misterioso e cheio de reviravoltas, do que algo capaz de assustar o leitor.
Além de apresentar os segredos e desafios de uma família de classe média, a
trama possui em sua essência uma reflexão pertinente acerca do perigo crescente
ao não se tratar, ou mesmo perceber, doenças cerebrais nos membros de uma família. A narrativa desenvolve-se de maneira a destacar a
ignorância, olhares cegos e como indivíduos podem se aproveitar da falta de
percepção de uma família em pedaços. É uma pena que o título original não foi mantido, pois, ao
chegarmos ao fim desta história, nossa única certeza é de que os fantasmas
realmente vivem em nossas mentes.

rela
ciona
dos