Resenha: Mestre das Chamas

Título Original: The Fireman
Autora: Joe Hill
Ano: 2017
Editora: Arqueiro
Páginas: 592
Amazon - Saraiva

Eis que o filho do “Deus” do terror, está de volta, sim, enquanto tentamos assimilar os contos apresentados por Stephen King em Bazar dos Sonhos Ruins, Joe Hill chega ao Brasil com Mestre das Chamas, uma ótima tradução do nome original, porém, coisa que não se aplicou no livro, infelizmente, mas sobre isso falamos depois.

Ausente das prateleiras brasileiras desde Nosferatu, Joe Hill chega ao país um ano depois de lançar sua obra nos EUA, essa relativa demora acontece quase sempre nas obras de Joe e do seu pai, devido à grande quantidade de termos específicos que eles usam em seus textos, muito bem contextualizados, e que dificultam demais a tradução de suas obras.

Mestre das Chamas conta a história de Harper Grayson, uma enfermeira que cuida de pessoas infectadas por uma grave doença, a Escama de Dragão, algo que surge no corpo das pessoas como uma tatuagem e que dependendo do estado emocional delas as fazem simplesmente entrar em combustão e literalmente incendiar, queimando a si mesmo e a tudo que está ao seu redor. Harper passa a viver um drama quando se descobre grávida e, por ter convivido tão de perto com essas pessoas, as chances de ela estar infectada também são enormes, seu marido tenta convence-la a abortar, mas e o seu sonho de ser mãe? E agora, será que ela realmente está infectada? E o bebê, será que nasceria com a doença também?

"A broca mastigou em um segundo a fina camada de pele, transformando-a no que pareciam flocos molhados de mingau de aveia."


Por trabalhar com os doentes, Harper sabe o destino dos recém-nascidos de mães infectadas, são abruptamente tirados de seus braços ainda no leito do parto e enviados para algum lugar aonde as mães jamais poderiam encontra-los. Depois de fazer os exames, a confirmação vem, ela fica na dúvida sobre levar a gravidez adiante, o marido a abandona e ela se vê sem saída, até descobrir uma colônia, onde pessoas infectadas vivem livremente, com as escamas controladas e teoricamente, sem riscos de entrar em ebulição. Ao chegar nesta colônia ela conhece o chefe, chamado de “Pai” por todos moradores, é ele quem dá as instruções, que vigia as pessoas e que dá a cada uma sua função no lugar. O quanto ele é honesto, capaz de curar pessoas e se realmente do bem, Harper só descobrirá depois de ficar tempo suficiente perto daquelas pessoas.

A obra é dividida em nove livros, nove histórias, todas elas ligadas diretamente à Harper e à doença. A ligação de todas histórias se dá de maneira fluída, sem que seja forçada a barra. Em nenhum momento da leitura fiquei com a impressão de que a enfermeira ou os outros personagens tenham caído de paraquedas naquela parte da história, o que deixa o livro completamente plausível.

A escrita de Joe Hill é dura, cheia de palavrões, como nos livros do seu pai, o autor faz questão de descrever minuciosamente os detalhes de cada corpo incendiando e do que acontece com as coisas que estão ao seu redor, desde a maca queimando no hospital até o olhar de uma vítima que vê seu corpo começar a incendiar.

"AS MENINAS DESSA COLÔNIA SÃO UM BANDO DE PIRANHAS LÉSBICAS, E SE TODAS ELAS QUEIMASSEM AMANHÃ EU NÃO SOLTARIA NEM UM PEIDO DE FUMAÇA."


Meu primeiro contato com o livro foi com sua edição americana, cujo nome original é The Fireman. A palavra Fireman tem como significado direto, em português, de Bombeiro, porém é a mesma forma que os americanos usam para chamar um possível “Homem de Fogo”, esta segunda tradução é a tradução perfeita para The Fireman. Tive medo, logo quando vi o título do livro em inglês, de que o livro brasileiro fosse chamado de “Bombeiro”, o que seria muito ruim, mas Mestre das Chamas serviu perfeitamente bem na capa. Digo na capa, porque durante todo o livro, ao invés de chamarem o personagem que consegue controlar as chamas, pela mesma denominação, o tradutor preferiu chama-lo de “Bombeiro”, sendo que em nenhuma cena ele apaga algum fogo.

Este é um dos únicos erros do livro, e sim, para mim isso pesa bastante na leitura. “Bombeiro” ficou completamente fora de contexto do que realmente aquele personagem é capaz, e faz o título do livro perder total sentido se você não entende que o Bombeiro é o Mestre das Chamas. Eu entendi porque havia lido em inglês, portanto não sei se pessoas que terão contato somente com o livro em português poderão ter alguma dificuldade de entender de quem o título fala realmente.

Outro problema para mim do livro, desta vez em sua escrita e não na sua tradução, é o final abrupto e sem uma resolução total, o exemplar tem quase 600 páginas, evolui de uma maneira tranquila, sem acelerações, até seu último “livro”, onde parece que o escritor quis acabar de uma vez a obra. É como se ele tivesse um limite de páginas para escrever e o acabasse antes do momento certo, inclusive as cenas, sempre bem detalhadas, param de ser descritas da maneira como foram nos livros anteriores.

Voltando a falar sobre a tradução, desta vez para elogios, durante o livro Joe faz várias referências a músicas e bandas de rock, desde Beatles até AC/DC, e a edição apresenta as letras originais das músicas e em seguida a tradução delas, às vezes ao lado, outras como nota de rodapé. Uma ótima solução para aquele leitor com pouco domínio do inglês entender o contexto da citação, ainda bem que o tradutor não expôs só a parte em português, permitindo que quem as conhece e gosta das músicas se identifiquem com a situação.



No começo do livro, Joe Hill abre uma página para agradecer a quem o inspirou na obra, citando alguns escritores, desde J.K. Rowling até Ray Bradbury, mostrando que não é somente seu pai quem lhe dá ideias para suas publicações.

Mestre das Chamas é um ótimo livro de terror, cheio de momentos trágicos e temerosos, entretanto, ele não dá medo, pois não apresenta nenhum vilão e o mal que acontece é algo que nunca irá se tornar realidade nas nossas vidas. Porém, entrando na pele dos personagens, principalmente da enfermeira Harper, você se sente como um amigo e começa a torcer pelas decisões que ela terá que tomar, sofrendo junto com ela, com suas mágoas e problemas criados durante sua caminhada, desde ser abandonada pelo marido até a dúvida de seguir a gravidez de uma criança que talvez nasça com a mesma doença que ela ou abortar e continuar com sua vida normal ao lado do seu marido.

Vocês levariam em frente a gravidez, sabendo que essa decisão irá mudar completamente sua vida e pode inclusive provocar sua morte? Esta é a tônica que faz o livro transcorrer, e em cima dessas decisões de Harper que o terror começa a acontecer. Mestre das Chamas é um belo livro, como todos de Joe Hill, achei aquém de Nosferatu, melhor livro dele na minha opinião, mas um belo passatempo para quem gosta de terror e já leu todos os livros de King e do próprio Hill. Imperdível.

24 comentários

  1. Que doença mais drástica! Nossa!!! E que situação para a nova mamãe, deve ser muito complicado estar envolvida com tudo isso né?
    Fiquei curiosa para saber como o autor conseguiu interligar todas essas histórias a Harper e como será o desfecho dessa gravidez.
    Apesar de não curtir o gênero literário, fiquei interessada nessa obra.
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  2. Oi
    pena que achou o bombeiro sem função na história e que a historia termina de repente . Apesar dos pontos que não gostou, pelo menos no geral curtiu a leitura, eu nunca li nada do autor, mas é porque não curto muito esse gênero literário.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Tem muita coisa boa na obra e outras que não sei se me agradariam tanto. Nunca li nada do autor mas sempre fico com vontade quando vejo um livro novo. Achei legal essa história e por ser dividida em nove livros tem um jeito até mais interessante. Ver as ligações deve ser legal.
    Gosto do jeito que a escrita parece ter, com palavrões e um negócio mais forte, sei lá. Bem detalhado. Mas e esse ultimo pedaço heim? Termina estranho pelo jeito. ão sei se iria gostar. Odeio quando fica parecendo que o final foi apressado, quando não terminam de um jeito que deixa a gente satisfeito com tudo. É um baita de um livro grande e se não terminar com tudo bem fechadinho, as coisas bem resolvidas aí desanima um pouco né =/
    Não sei. Parece valer a pena de qualquer forma e acho que iria gostar se lesse. Mas tem algumas coisas nele que me deixaram com o pé atrás agora...

    ResponderExcluir
  4. Essa capa é magnífica! Já li Estrada da Noite do Joe e gostei, mas ao mesmo tempo fiquei sentindo falta de algo. Acho que ele tem uma escrita ótima e bem desenvolvida, mas a história em si peca sempre em alguns pontos. Adorei sua resenha, bem sincera com as ressalvas e elogios!


    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Só de ter Beatles no livro já quero ler! s2
    Eu achei a capa bem condizente com a história, e quando eu vi, me interessei pra ler.
    É triste quando a tradução não condiz com o original. Eu sou bem cri cri com isso, e eu tento não me incomodar, mas não consigo.
    A história é original, um doença que pode existir até (já deve até ter aparecido em Grey´s Anatomy) mostrando a mudança da protagonista para essa colônia.
    É um livro muito longo pra uma história que não parece ter algo suficiente pra manter o ritmo.
    Mesmo assim, acho que vou dar uma conferida na escrita do Joe.
    Abc

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia este livro, mas achei a história bem diferente, bem interessante ter mais livros, interligados a esta história, eu também acho que a tradução para bombeiro ficou meio fora de contexto para o personagem que consegue controlar as chamas, ficaria bem melhor se ele fosse denominado como o mestre das chamas, mas isto não interferiu no meu interesse em ler este livro, e adicionei ele em minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
  7. Bruno!
    Infelizmente ainda não tive oportunidade de ler nenhum livro do autor, uma pena!
    Lendo sua resenha, não sei porque, lembrei de Caixa de pássaros, onde não se sabia de onde vinha 'as criaturas', a protagonista também estava grávida e viveu o dilema de ter ou não o bebê e no final, encontra um local mais protegido...
    DE qualquer forma, a curiosidade me faz desejar fazer a leitura.
    Desejo uma semana de luz e paz!
    “Não há saber mais ou saber menos: Há saberes diferentes.” (Paulo Freire)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  8. Olá, esta, sem sombra de dúvidas, é a obra com a capa mais linda de 2017 até agora, eu nem li a obra e já quero comprá-la para emoldurar minha estante. Mas quanto ao livro, apesar do problema do bombeiro, percebe-se que o autor só enfatiza seu enorme talento, em destaque no que se refere a sua escrita bem detalhada.

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Não conhecia o autor e nem o livro mas adorei a capa ! Tá perfeita !
    Livros de terror só li King e adorei !! Gostei muito da premissa do livro !!
    Decisão difícil essa que Harper tem que tomar, não ?!

    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Olá!!
    Eu adoro esse gênero e já conhecia o Joe Hill e minha experiência com seus livros não poderia ser melhor. Adoro sua forma de escrita e pelo jeito vou adorar Mestre das chamas. Obrigado pela indicação. Bjos!

    ResponderExcluir
  11. Li um livro do autor e gostei esse chamou minha atenção pela capa essa é a primeira resenha que leio, que doença cruel essa e que dilema para essa mãe continuar com a gravidez ou não. Parece que a leitura nos envolve mesmo com alguma falha. Confesso que pensei que daria medo a historia rsrs.

    ResponderExcluir
  12. Pela premissa desta obra não imaginava que fosse terror, para mim seria mais um mistério, e por isso me surpreendi com sua resenha, e mesmo abordando um gênero que não costumo ler ainda pretendo dar uma chance a esta leitura. Outro ponto e que já quero saber o que acontece com as pessoas, e como surge esse fogo. Imagino que as descrições sobre os corpos carbonizados, deve nos dar arrepios. Uma pena que a tradução do título não condiz muito com a trama

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Ai, não sei que iria querer ler este livro não...hahahaha
    Não gosto desta escrita com palavrões e meio agressiva. Estou a fim de ler coisas mais alegres no momento....hahahaha
    Mas a sua resenha está ótima!

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Fiquei com muita vontade de ler esse livro <3
    Estou em uma época de gostar de ler livros de terror, estou lendo bastante Stephen King, Raphael Montes e mais alguns da Darkside, então com certeza vou adicionar esse na listinha de desejados <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi.
    Esse livro está na minha lista, assim como Nosferatu. Tenho A Estrada da Noite, mas ainda não li.
    Gosto desse estilo de leitura, apesar de ainda não ter lido nada do autor. King, mora em meu coração!
    Resenha perfeita, parabéns.
    A dica está super anotada e espero ter a oportunidade de ler em breve. Amei essa capa.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Oi Bruno,
    Bom, vou aproveitar sua resenha para me convencer a ler um livro deste autor, pois apesar de ter muita curiosidade em conhecer sua escrita ainda não li nenhuma de suas obras. Adoro histórias que tenham uma epidemia como ponto de partida da trama. Harper é uma mulher corajosa, pois mesmo quando descobre a gravidez ela continua seu trabalho com os infectados e se mantém firme em suas decisões, mesmo que isto custe seu casamento e sua saúde. Acho que minha maior preocupação em livro como esse é em como a história será contada, pois em uma trama onde mistérios e dramas pessoas se misturam o foco pode se desviar e a história central não é tão explorada. Mas como Joe Hill não é nenhum amador no gênero, não tenho dúvidas de a leitura será surpreendente. Em relação a tradução, é uma pena que as editoras não prestam tanto atenção assim nos detalhes, estes que fazem diferença, sim, durante a leitura.

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Que livro maravilhoso!
    Me fez lembra de King com seus livros terror. Esse escritor fez uma história original é incrível. A doença realmente me pareceu drástica é estranha, é claro fiquei me pergunta do de onde veio essa doença, e como surgiu?
    A trama é uma maravilhosa, já foi pra lista de leitura.

    ResponderExcluir
  18. O único livro que li do autor é O Pacto, e gostei bastante do livro. Fiquei muito interessada nesse livro, achei o enredo dele muito interessante, e fiquei bem curiosa pra saber se ela vai levar a frente a gravidez. É uma pena que tenham traduzido fireman pra bombeiro, e que isso ficou bem fora de contexto no livro :/
    Mas fiquei com vontade de ler esse livro :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia Nosferatu, vc não ira se arrepender.

      Excluir
  19. Oi, Bruno!!
    Gostei muito da sua sinceridade no decorrer da resenha. Adoro livros de terror mas infelizmente ainda não li nada desse autor, com relação a estória o livro parece ser bem interessante, bom espero conseguir ler esse livro e tirar minhas próprias conclusões sobre esse livro.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  20. Infelizmente esse livro não me agradou. É difìcil a situação da mãe e até fiquei curiosa para saber o final, mas não aguentaria ler. Infelizmente! Legal o seu ponto de vista sobre o livro, pontos positivos e negativos, gostei muito.

    ResponderExcluir
  21. Olá Bruno,
    Não conhecia o teor da obra, achei bem interessante a questão da doença e a batalha que Harper enfrentará para ter o bebê. Acho que esta colônica para infectados deve ter alguns mistérios.
    Uma pena que pecaram na tradução do termo dentro do livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Oi! Nossa, que livro doido hahah Amo livros de terror, e quero muito ler pra saber mais sobre essa doença estranha. Que bom que tu leu em inglês e já deixou "explicado" o erro na tradução do O mestre das chamas. Sinceramente não sei se no meu caso eu manteria a gravidez, e por isso quero ler para descobrir a decisão da mãe. Beijoss

    ResponderExcluir
  23. Estou lendo o livro e estou gostando bastante, apesar de não ser tão "devorante" como Nosferatu (Que ja li 2 vezes porque é simplesmente ótimo, o melhor de todos )segue um padrão de Hill de fazer com que nossa cabeça fique pensando no livro o tempo todo, estava esperando "The Fireman" desde a bienal do ano passado.

    ResponderExcluir