Título Original: 魔の断片
Autor: Junji Ito
Ano: 2017
Editora: Darkside
Páginas: 224
Amazon – Saraiva
Junji Ito é um conhecido artista de mangás japonês, especializado no gênero do terror. Após 8 anos, desde o lançamento de New Voices in the Dark, o artista volta para o mercado editorial com uma nova coletânea, Fragmentos do Horror. O mangá é o primeiro lançado pelo selo Darkside Graphic Novel e estas histórias não poderiam estar integrando uma casa melhor.
Está é minha primeira experiência com o autor, mas pelo que li, percebo que Junji Ito não tem reservas ao explorar o extraordinário. É perceptível que o artista desenha o que imagina, sem perder tempo para ponderar o que pode causar as pessoas ou agrada-las. As coisas não precisam fazer um sentido lógico e nem poderiam, afinal, o terror é criado através do desconhecido e com isso é possível criar as mais diversas histórias. É com isso que Ito trabalha, suas histórias causam conflito e desordem em nossas cabeças, são nauseantes, perturbadoras e extremamente bizarras, mas que cativam o leitor por serem bastante cruas e despertarem uma certa curiosidade mórbida.
A coletânea é composta por oito histórias, oito contos de terror igualmente inusitados e eficazes em impressionar o leitor. Dentre os que mais me impressionaram está o repugnante Pássaro Negro, onde um ser misterioso está disposto a alimentar o jovem protagonista com uma carne um tanto quanto duvidosa e Tomio – Gola Rulê Vermelha é um conto bastante agoniante, juntamente com Magami Nanakuse. Por fim, o que mais me agradou foi a A Mulher que Sussurra. Neste conto em especial o autor falará sobre relacionamento abusivo e a influência que uma pessoa consegue ter sob outra, mas claro, sem perder o tom estarrecedor que a premissa exige.

“…tinha um gosto horrível… a carne…”

Os assuntos abordados por Junji Ito são variados e todos trabalhados de formas mirabolantes. Algumas histórias até carregando um tom cômico devido as suas bizarrices. Em suas histórias, Junji Ito trabalha o verdadeiro terror dentro da cultura oriental, gênero que até então só tive contato através dos cinemas. Ver isso estampados nas páginas, em cada traço ou expressão desenhada só confirma para mim que só o terror japonês consegue ser verdadeiramente assustador e perturbador em todos os sentidos.
É interessante ler no posfácio da obra, Junji Ito questionando-se se realmente fez um bom trabalho com esta nova coletânea, e se sua aptidão para o gênero teria enfim retornado depois de tanto tempo longe. Espero de coração que o artista tenha escutado seus fãs e tenha recebido o feedback que ao meu ver merece, porém, entendo que para os fãs mais dedicados de Ito, Fragmentos do Horror possa não ser sua melhor obra e tenha apenas mantido a média. O que eu possa dizer é que para mim, uma viajante de primeira viagem, tudo funcionou conforme o seu propósito. Acredito que a coletânea funcione para atrair novos leitores para o gênero, e quem sabe, abrir uma nova porta para o autor conseguir evoluir e criar novamente suas costumeiras histórias de terror que, após esta leitura, estou supercuriosa para conhecer.

A edição está muito bonita. Tomio, de Gola Rulê, estampa a capa, que também reproduz vários elementos que irão aparecer durante as histórias. Em um acabamento em verniz também é possível notar outros elementos das histórias, mas perceptíveis apenas quando colocados contra a luz, achei este detalhe sensacional para um mangá como este. Todo o trabalho gráfico é espetacular, realmente a arte de Junji Ito é cheia de detalhes. Uma informação que achei interessante de se compartilhar é que a tradução do mangá foi feita diretamente do japonês, então sem chances de que qualquer coisa tenha passado aqui.

Para quem nunca teve algum tipo de contato com um mangá, a leitura deve ser feita de trás pra frente e sempre da direita para esquerda. Parece confuso no início, mas lhes garanto que durante a leitura você nem vai perceber que estará lendo assim. A leitura passa a ser instigante, e apesar de todo o material grotesco e repugnante que encontraremos por estas páginas é uma leitura possível de ser concluída em apenas algumas horas, ou seja, se você assim como eu gostar de cortejar a excentricidade que existe no processo criativo de Ito, sem dúvidas vai curtir muito a leitura.

Mas não se esqueça que Fragmentos do Horror é uma coletânea para quem tem estômago forte. Eu recomendo a leitura para quem gosta do gênero, mas para quem deseja simplesmente embarcar no mundo dos mangás, tenham em mente que talvez estas histórias não sejam as mais indicadas para se começar se você se impressiona facilmente. No geral, por serem histórias curtas, o leitor poderá ter contato com diversas facetas do autor e perceber do que está mente alucinante é capaz. Quem sabe, depois, até poderá se aventurar por mais histórias de Junji Ito.

rela
ciona
dos