Resenha: O Que Me Faz Pular

Título Original: Jiheisho no boku ga tobihaneru riyu
Autor: Naoki Higashida
Ano: 2014
Editora: Intrínseca
Páginas: 190

Quando penso na imensidão do território pertencente ao mundo da literatura, fico extremamente encantada. A literatura é inclusiva não apenas na quantidade de assuntos e temáticas abordadas nas páginas e mais páginas delicadamente guardadas nas estantes de seu reino. Ela é inclusiva em sua essência, no real sentido da palavra. Para além das temáticas ou assuntos polêmicos, das obras desconhecidas ou dos livros mais vendidos, a literatura abraça com carinho as mais diversas culturas, os mais diversos povos, cada indivíduo, suas características e tudo aquilo que nos difere e nos une como seres humanos.

Em meio a tantas histórias fantásticas, repletas de importância sendo reais ou fictícias. Dentre tantas narrativas inspiradoras, uma chama a atenção por sua simplicidade, pela graça com que foi capaz de abordar um assunto delicado e principalmente, pela idade do autor que a escreveu. 

Naoki Higashida, pessoa formidável que me acompanha na jornada da passagem dos anos – nós dois nascemos em 1992 – foi diagnosticado com tendências autistas e, mais tarde, acaba sendo localizado, demarcado em um ponto mediano dentro do espectro do autismo. Naoki enxerga o mundo de forma única, de uma maneira que nós talvez nunca seremos capazes de compreender em sua totalidade. A forma como ele se conecta com as pessoas, com o mundo a sua volta, é extremamente diferente da qual estamos acostumados, da qual em nossa ignorância consideramos como “normal”. Ele enfrenta dificuldades que se assemelham e diferem das nossas, ao mesmo tempo, encara um dia após o outro. E assim como muitos de nós, enfrenta batalhas que o resto do mundo talvez nunca tenha ouvido falar.


Quando tinha apenas treze anos Naoki realiza algo que, em meio ao pensamento racional, limitado e totalmente especializado, era considerado uma grande dificuldade, quase impossível de ser concretizado. Porém, aos olhos daqueles que o acompanhavam dia após dia, conheciam suas batalhas e dedicavam tempo e afeto, o impulsionavam e serviam de suporte para tentar cada vez mais, mostrava apenas o quanto a paciência, carinho e a forma como lidamos com as situações realmente fazem a diferença na vida das pessoas. Com apenas treze anos, Naoki Higashida escreve um livro e responde perguntas preciosas para todos aqueles que convivem com o autismo, mas principalmente, abre as portas de seu mundo para todos aqueles que, como eu, nunca realmente compreenderam o que é o autismo.

O Que Me Faz Pular se apresenta através da estratégia de perguntas e respostas. Com uma escrita simples, direta, graciosa e acolhedora, Naoki nos insere em seu mundo. A obra pode contar com apenas 190 páginas, mas as lições, mensagens e informações contidas dentro de si vão muito além dos números que representam. Este livro mostra como, verdadeiramente, um autista pensa, porque faz o que faz, age como age, quais são suas dificuldades e o que sentem quando não somos capazes de compreender o que estão passando. Ele introduz um tema delicado e importante ao mundo literário, abre espaço para discussão e compreensão, mas acima de tudo, mostra que, embora as batalhas sejam diferentes, e nem sempre sejam analisadas sob o mesmo prisma, assim como nós, um autista muitas vezes só precisa de apoio, carinho e suporte para superar seus obstáculos.

Muito mais do que deixar a sua marca no mundo, ter sido abraçado pelo adorável mundo da literatura, Naoki Higashida nos mostra a importância da compreensão, da empatia, do suporte que oferecemos uns aos outros e que faz toda a diferença quando enfrentamos nossas batalhas. 


Em um mundo em que o conhecimento está parcializado, onde evitamos falar sobre determinados assuntos por medo ou falta de compreensão, O Que Me Faz Pular nos insere em uma realidade que, por muito tempo manteve-se desconhecida, e mostra o quanto ainda precisamos percorrer para que o senso comum e a falta de empatia sejam superados. Muito mais do que uma dica de leitura, esse livro é obrigatório. E muito mais do que repleta de informações importantes, essa obra, com toda sua graça e habilidade, surge para nos mostrar que mesmo diferentes, mesmo enxergando o mundo de formas diversas, em essência somos todos iguais!

18 comentários

  1. Nossa como eu ainda não conhecia esse livro?
    Normalmente não é o tipo de leitura que eu leio, mais como não fica curiosa depois de sabe sobre o que esse livro fala? impossível não fica interessada.
    Ele parece um daqueles livros que mesmo depois de termina a leitura a gente ainda se pega pensando sobre ele. Já sei qual próximo livro que vou compra e ainda passa na frente dos outros pra ler, ainda porque é um livro pequeno e com certeza com uma leitura rápida.

    ResponderExcluir
  2. Izabel!
    Interessante ver como uma pessoa que quase não consegue se comunicar, supera suas dificuldades e chega a escrever um livro que pode auxiliar muitas outras pessoas que estão na sua condição e ainda fala sobre seus sentimentos e traz outros escritos dele.
    Fascinante!
    Desejo uma ótima semana!
    “A vida guarda a sabedoria do equilíbrio e nada acontece sem uma razão justa.” (Zíbia Gasparetto)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Nossa, que livro fantástico! Traz um tema tão importante e difícil, oferecendo conhecimento e reflexão. Como você citou, é uma leitura obrigatória. Gostaria muito de saber mais do assunto. Espero ter a chance de fazer a leitura!
    Resenha perfeita.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, parece incrível!!! Me interessei muito! Sempre quis entender melhor o mundo de um autista.

    Ps.: Pra quem não tem muito contato com a literatura oriental este parece nome de escritor de mangá! E o título é impossível de ser lido! hahahaha

    ResponderExcluir
  5. Sempre me interesso e muito por livros que se tratam do autismo, pois de certa forma este e um transtorno ainda muito pouco conhecido, e só quem passa pode dizer aos outros o que ter este sentimento, ou o que se passa em sua cabeça, e construção da sua personalidade. Enfim, algo que me incomodou nesta obra foi o fato de ser realmente uma entrevista, pergunta resposta, que limita e muito o que se deve ou não dizer, talvez se fosse descrito em texto corrido talvez fosse uma estória mais aproveitada. Ainda pretendo dar uma chance a esta obra.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Tenho tido um certo fascínio por obras que nos mostra assuntos delicados por um prisma mais delicado e muitas vezes um olhar infantil dos personagem sobre o assunto (como em O Extraordinário, O Olhar de Milo,...) Mas esse se deferencia pelo fato do próprio autor ser o dono da história, digamos assim. Definitivamente entrou pra lista de livros que quero ler :)

    Psicose da Nina

    ResponderExcluir
  7. Esse parecer ser um livro que mesmo depois de já ter acabado de ler, ainda fica lembrando das mensagens que ele passou!
    E eu amo isso, adorei esse livro e espero ler em breve, parece ser muito fácil de ler e tem poucas páginas, porém cada linha tem um significado especial!

    ResponderExcluir
  8. Eu li esse livro no ano passado. Eu tinha me interessado por esse livro, justamente por falar um pouco do autismo. Eu nunca tinha lido nada parecido, mas esse realmente é um tema que me interessa bastante. Eu também gostei muito do livro, apesar dele ser curtinho, ele consegue passar um ótima mensagem. Com certeza também entrou para os meus favoritos.
    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  9. Eu já vi esse livro na livraria, mas nunca tinha dado muita atenção a ele. Achei ele interessante por tratar do autismo, esse realmente é um tema bem delicado, e eu conheço muito pouco o assunto. Fiquei com bastante vontade de ler esse livro, ele parece ser muito bom mesmo. Adorei a dica!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Interessante e importante essa leitura por abordar esse tema, que dificilmente se vê em livros e ainda mais pelo próprio autor ser o narrador e ter autismo, desperta curiosidade em saber como ele conseguiu e como convive no dia a dia com as dificuldades que aparecem.

    ResponderExcluir
  11. Oii Izabel ;)
    Gosto de livros que abordam temas fortes, e acho que nunca tinha lido um livro em que o próprio autor teve esse problema de autismo e aborda ele no livro.
    Ele parece uma pessoa incrível, e conseguiu um feito desse, de abrir as portas do seu mundinho para que os outros, leitores como nós, pudessemos entender o que se passa na mente dele.
    Adorei sua resenha, me deixou com muita vontade de ler o livro e espero me emocionar com a história do Naoki ;)
    Bjos

    ResponderExcluir
  12. Eu não conhecia este livro, mas acabei adicionando ele em minha lista de leituras após ler sua resenha, achei bem diferente a história ser através da estratégia de perguntas e respostas, sem dúvidas é uma história delicada e forte em que Naoki Higashida, conta sua história.

    ResponderExcluir
  13. Oi.
    Essa é a primeira vez que vejo falar desse livro porém confesso que essa capa já me encantou a Dora que tem essa coisa de perguntas e respostas O que é difícil ver em muitos livros, enfim adorei estou muito ansiosa para ler.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  14. O livro parece ser bem interessante, acho fantástico que alguém como Naoki Higashida possa transmitir para todos nos que podemos realizar várias coisas boas!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia o livro, mas estou encantada!
    Acho bem legal quando autor colocar esse esquema de perguntas e respostas, e ainda nos faz ver como a compreensão e empatia são algo muito importantes.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  16. Oi Izebel,
    Adoro livros com temáticas delicadas assim, num mundo de tanto ódio, é importante desenvolvermos a empatia, compreensão.. Infelizmente as pessoas que realmente deveriam desenvolver esses sentimentos, não desenvolvem, por isso que as coisas estão do jeito que estão :/
    A leitura parece ser bem rápida e já adicionei no Skoob!

    ResponderExcluir
  17. Oi Izabel,
    Confesso que não dei atenção a esse livro quando vi o lançamento, que ledo engano! Foi uma grata surpresa ler essa resenha e me deparar com esse livro maravilhoso. Histórias como a do Naoki nos traz um sentimento tão necessário hoje em dia: a empatia. Somos induzidos a apontar e a condenar os erros dos outros, sem tentar compreender o que realmente esta acontecendo, a triste e cruel realidade de julgarmos sem nos colocarmos no lugar da outra pessoa. Também não sei praticamente nada sobre o autismo, então fiquei cativada por esse livro, quero conhecer a história desse autor tão jovem e que em poucas páginas traz belas e valiosas lições sobre esse tema, conquistando o leitor com sua escrita simples e direta.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Uaw! Que livro diferente!
    A resenha me deixou bem interessada!
    Vou ficar de olho nele! =)
    Bjs

    ResponderExcluir