Resenha: Minha Vida Fora dos Trilhos

Título Original: Moon Over Manifest
Autora: Clare Vanderpool
Ano: 2017
Editora: Darkside
Páginas: 320
Amazon - Saraiva

Clare Vanderpool é uma escritora americana que em 2013 lançou o bestseller Em Algum Lugar nas Estrelas. Depois do sucesso com este livro a Darkside resolveu trazer o primeiro livro da autora para o Brasil Minha Vida Fora dos Trilhos, e o resultado foi maravilhoso.

 Abilene é uma menina de 12 anos, acostumada a não parar muito tempo em uma cidade e por isso solitária. Ela é enviada sozinha de trem, pelo seu pai Gideon, para Manifest, uma pequena cidade do estado americano de Kansas. O ano é 1936, a cidade se movimenta envolta da ferrovia e o período escolar ainda não havia começado e então seu pai a deixa sobre os cuidados do pastor da cidade. Abi é uma menina muito curiosa e a solidão provoca nela a busca por fazer coisas novas e até mesmo o interesse sobre o passado das cidades por onde passou. Lendo jornais para saber mais sobre a cidade ela conhece a jornalista Happer, de quem é grande fã.

E é por sua curiosidade que ela acaba descobrindo uma caixa de charutos antiga, pertencente a um antigo soldado que traz memórias do distante ano de 1918. Dentro da caixa? Vários objetos, até mesmo um cartão postal do Kansas, ambos objetos que você, leitor, tem em mãos durante a leitura. É óbvio que a nossa menininha ficaria se roendo para descobrir quem era aquele soldado, se ele ainda estaria vivo e para quem ele mandava todas aquelas cartas e muito mais além disso.

"Para mim, aquelas coisas eram como tesouros de um museu, objetos que uma pessoa podia estudar para aprender sobre outro tempo e os indivíduos que nele viveram."



Não tenho problemas nenhum em admitir que comprei Minha Vida Fora dos Trilhos apenas por causa da capa. A história era segundo plano total pra mim, mas me alegro em dizer que fui surpreendido pela história também.

O livro começa a alternar as datas, ao mesmo tempo que Abi e seus novos amigos vão descobrindo coisas sobre a cidade e a caixa de charutos em 1936. O livro também mostra como as coisas eram na época do antigo soldado, o que ele vivia, quem ele era e o que acontecia durante a guerra, em 1918. Existem duas histórias em uma, o que é muito perigoso na literatura, se elas não estão bem claras e separadas uma da outra. Por isso, a cada início de capítulo teremos o ano sobre o qual aquelas páginas falarão e a data exata em que está se passando, deixando bem claro para o leitor sobre quem está sendo falado e onde está cada um dos personagens daquela época. Estas duas histórias se ligam, elas estão conectadas e não se atrapalham, uma faz total sentido pra outra, mais uma vez perfeito. Além de tudo, o livro ainda traz ao fim de cada capítulo matérias do jornal da época, mostrando exatamente o que Abi leu ou o que acontecia na cidade durante ambas épocas.

Como falei mais acima, preciso dedicar alguns linhas para falar sobre a capa desta sua capa. A edição é em capa dura, imitando uma caixa de charutos, que adivinhem só: tem tudo a ver com a história. Com direito a lacres rompidos para mostrar que ela está aberta, indicando que a caixa era uma edição especial. Além disso, ainda na capa, existe o desenho de um trilho envolvendo um trem, outro elemento do livro, já que a cidade onde a personagem principal desembarca tem esse modo de locomoção como o mais comum. Um trabalho gráfico caprichado e que fisga o leitor logo de cara.







A capa original do livro é apenas a foto de uma menina andando sobre os trilhos. Linda, mas a Darkside conseguiu sobressair-se em relação a edição americana. Não tenho nenhuma dúvida de que é o livro mais lindo que comprei este ano e um dos mais bonitos que tenho, o que já gera um carinho enorme pela obra. A segunda capa também recebe a reprodução de um mapa ferroviário. Eu sou apaixonado por mapas e esse ficou perfeitamente colocado na obra, somado a isso, as folhas de guarda recebem a ilustração de uma locomotiva, o que também é perfeito. O livro conta também com um cartão postal de Kansas, mas não pintado em uma página, ele vem como cartão postal real. Todo este carinho não é resultado apenas de uma uma edição limitada, ele vem em todos os livros.
  
Minha Vida Fora dos Trilhos é a obra prima da edição aliada com uma boa história, ela não desenvolve nenhum grande mistério, é apenas a evolução da curiosidade de uma criança aliada ao amadurecimento dela própria, o que funciona perfeitamente bem, o livro flui com facilidade e é uma maravilha literária para qualquer tipo de pessoa. Este é um livro para fazer sorrir e para surpreender o leitor, um livro que passa paz ao mesmo tempo em que você se aventura, vale cada linha dessa leitura. Realmente um dos melhores livros do ano.

10 comentários

  1. Bruno!
    Gosto muito quando a ambientação se dá na primeira guerra (mesmo que aqui seja apenas uma parte do livro) e gosto ainda mais quando tem cartas no enredo, elas são reveladoras e guardam segredos do passado que ninguém se preocupa em vasculhar.
    Deve ser um livro mais que emocionante.
    Os livros da editora são sempre um arraso.
    Bem quero embarcar nesses trilhos e curtir a viagem nas folhas do trem, deverá ser emocionante.
    “O primeiro passo para a cura é saber qual é a doença.” (Provérbio Latino)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. Oi Bruno, a edição parece estar mesmo maravilhosa pelas descrições que você nos deu na resenha e pelas fotos, fiquei encantada e é bem legal quando compramos um livro pela capa e somos presenteados com uma ótima história. Ainda não conhecia a autora mas fiquei bem curiosa pra ler essa história que intercala duas em momentos diferentes e saber como se ligam. Ótima dica e amei a resenha *__*

    ResponderExcluir
  3. Esse livro tá entre um dos meus mais desejados da editora. Li o outro da autora e virou favorito do ano. Ela escreveu umas coisas tão lindas que fiquei com vontade de conhecer outros livros pra ver se tem o mesmo tipo de trama neles. Parece que essa é outra história bem bonita. Já gostei da passagem do tempo nele, as duas histórias e a época delas já chamou minha atenção. E confesso que adoro esse tipo de narrativa, com duas tramas assim. Gostei desse livro. Parece ser muito bonito e poder acompanhar essa jornada da garota, o crescimento dela e a trama sendo levada pela curiosidade de criança é bem fofo. E que amor a capa ter a ver muito com a história e o que a gente vai encontrar ali. Ahh isso é demais *-*
    Tá aí outro que acho que vou favoritar.

    ResponderExcluir
  4. Que livro mais lindo. Não conhecia a história e a sinopse é bem legal.
    Não sei se leria esse livro agora, estou mais para gêneros de ação e aventura onde tem muita coisa acontecendo!
    Já esse livro parece ser mais parado no quesito ação mesmo, então nas férias talvez eu vá ler.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  5. Adorei o livro e a resenha. E fiquei feliz em saber que é bom, pq se vc comprou pela capa eu comprei por ser da mesma escritora de Em algum lugar nas estrelas. Nem sabia a sinopse...hahahahaha
    Bjos!

    ResponderExcluir
  6. Confesso que achei que teria um grande mistério envolvendo essa caixa de charutos e seu conteúdo rs. Mas mesmo assim fiquei interessada em ler, gosto quando envolve cartas nas historias ainda mais quando não se sabe para quem elas iriam, é um bom motivo para a personagem procura saber isso deve deixar a leitura envolvente o o leitor curiosa em saber como vai ser o desenrolar disso.

    ResponderExcluir
  7. Eu já vi a capa desse livro na livraria e confesso que também tinha vontade de ler ele só por essa capa! Nossa, essa capa é perfeita!! E adorei saber que a história do livro também é muito boa, e que mesmo o livro tendo duas histórias, as duas ficaram boas! E achei muito legal o livro também ter esses objetos da caixa. A Darkside realmente fez um ótimo trabalho nesse livro, estou doida por ele também <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Bruno,
    Histórias entrelaçadas em um mesmo livro sempre acrescentam mais emoção para a trama, eu, particularmente, gosto deste tipo de narrativa, principalmente quando é bem construída. Um adulto quando encontra algo não dá muita importância, agora quando uma criança se depara com um objeto diferente, a curiosidade e, na maioria das vezes, a mente fértil faz com que ela queira saber sobre o item e assim Minha vida fora dos trilhos leva o leitor nessa jornada junto com a protagonista. Sobre a edição, não há o que falar, só que está perfeita e é mais um trabalho muito bem feito pela Darkside.

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu também tenho essa mania de compra livros só por causa da capa mas também quando leio fico bastante impressionada com a história. Gostei do livro, uma temática muito maravilhosa, mostra se uma aventura incriveis por conhecer aquela época e como era as coisas antes e depois da guerra.

    ResponderExcluir
  10. Oi Bruno.
    A capa desse livro realmente é muito linda. Mas fico feliz em saber que a história é muito boa também.
    Gosto bastante de narrativas em tempos diferentes. Acho que deixa a história bem mais interessante.
    Abi parece ser uma personagem bem cativante. Fiquei curiosa em saber mai sobre esse soldado e desvendar o mistério junto com ela.
    Bjs

    ResponderExcluir