Resenha: O Sorriso da Hiena

Título original: O Sorriso da Hiena
Autor: Gustavo Ávila
Ano: 2017
Editora: Verus
Páginas: 261

Seria possível detectar as nuances encontradas na diversidade de indivíduos que compõem uma sociedade e, através de uma análise profunda, perceber aqueles cujas ações culminariam em atos de crueldade? Nascemos com a maldade em nossa essência ou seriam os eventos vivenciados, as trajetórias de nossas vidas que levam a agirmos de maneira desprezível? Não seria o ser humano, em toda sua diversidade e peculiaridade, capaz de decidir acerca de suas próprias tomadas de decisões?

Aconteceu em uma noite escura. Um garoto de oito anos é amarrado no centro da sala de estar daquela residência que um dia chamou de lar. Ele é forçado a assistir de olhos abertos o assassinato de seu pai e mãe, aqueles que o amaram e buscaram proteger. O assassinato é cometido com requintes de crueldade. A língua do pai é cortada e o mesmo é amordaçado de maneira a engasgar-se com o próprio sangue. A mãe, por motivos incertos, recebe misericórdia, levando um tiro na cabeça e falecendo logo em seguida. 

O garoto é abandonado na cena do crime, vivo, em choque, livre para seguir com os anos que lhe restam e ser assombrado pelo passado. A falta de tratamento necessário, sua possível tendência para o mal, talvez a falta de uma compreensão acerca da ética, que deveria ser construída ao longo de seu crescimento, levam David, a, anos mais tarde, cometer exatamente o mesmo crime, utilizando as mesmas características, as mesmas armas, porém, com motivações de cunho “científico”.


“Basta a vida tocar no lugar certo para despertar o pior em qualquer pessoa.”


David entra em contato com William, um psicólogo promissor especializado no tratamento de crianças, cuja tese de doutorado apresentava uma teoria – e trata-se apenas de uma teoria – que aborda as consequências de eventos traumáticos no crescimento e amadurecimento das crianças que os vivenciaram. William sempre se sentiu na obrigação de contribuir ao máximo para com a sociedade, e, mesmo anos após ter publicado sua tese continua questionando-se acerca das verdades de sua teoria nunca comprovada. Ele acaba aceitando a proposta de David, que irá responsabilizar-se pelo assassinato de cinco pais e mães, provenientes de classes sociais, culturas e regiões diferentes, porém próximos entre si, deixando para trás apenas um sobrevivente, uma criança de oito anos.

Por meio dos assassinatos, William entraria em contato com as crianças sendo capaz de analisar e observar seus traumas, vindo a compreender as consequências de um evento trágico como esse na vida, crescimento e amadurecimento destas crianças. Uma vez que os assassinatos têm início, um novo peso é posto na balança. O investigador de homicídios Artur, cuja mente afiada, olhar objetivo e peculiaridades serão posicionados nos caminhos que cruzam com os de William e David, deverá descobrir os segredos por trás da destruição de famílias, dos traumas afligidos sob crianças pelas mãos de um monstro ainda em liberdade, e também, de um possível experimento que se desenvolve sob seu olhar aguçado.

O Sorriso da Hiena constrói-se de maneira a espelhar a realidade em uma narrativa fictícia. Aqui encontramos eventos possíveis, situações que embora ainda não tenham ocorrido no mundo real, poderiam ver a acontecer com uma facilidade assustadora. A narrativa avança com um ritmo instigante, vindo a apresentar ao leitor a caçada de um policial correto e justo por um assassino serial, da mesma forma, apresenta com ótimo detalhamento os avanços do assassino e as escolhas que fez ao selecionar suas vítimas. Quando observada através de suas características de suspense policial, o livro prende o leitor do início ao fim, firmando-se muito mais na empreitada de um policial em busca de descobrir o rosto por trás da máscara de assassino, do que das reflexões que se propõem a levantar.


Por me interessar profundamente pela temática apresentada nesta obra, estar familiarizada com as reflexões propostas, e, por tratar-se de uma obra cuja lógica e desenvolvimento baseia-se naquilo que encontramos em nosso mundo, na realidade de nossas vivências, me vi frustrada com pequenos detalhes e a falta de profundidade e abordagem do debate aqui presente. Detalhes como o fato de um doutor em psicologia propor-se a concretizar um estudo com apenas cinco exemplares me incomodaram. Elementos como, além de contentar-se com apenas cinco exemplares para análise, o doutor em psicologia ignora o fato de que, a cada nova pesquisa divulgada, a ciência confirma que cada indivíduo se desenvolve de forma única, e as funções e conexões cerebrais não serão iguais a de nenhum outro indivíduo embora possuam semelhanças, faria com que o psicologo lançasse mão de uma estratégia diferente, o que não ocorre. A própria experiência vivida pelo personagem demonstram que, e ninguém compreende como ninguém percebeu, esteve possivelmente sempre alheio a uma ética para com a sociedade e aqueles que lhe eram mais próximos.

O que encontramos ao longo do desenvolvimento de O Sorriso da Hiena pode muito bem classificar-se - embora não tenha conhecimento se o autor teve ou não esse objetivo - como a pura banalidade do mal abordada por Hannah Arendt

Gustavo Ávila, e aqui inicio minhas próprias reflexões e críticas com relação a obra, destaca a banalização do mal por meio de um indivíduo que nunca enfrentou metade dos desafios vividos por pessoas e pessoas ao redor do mundo. O mesmo destaca-se por seu acesso a cultura, por possuir formação superior, tendo passado inclusive por um doutorado, e, assim iniciam-se minhas indagações: como um doutor em psicologia com uma ética falha nunca foi detectado? Como um psicólogo, que eventualmente tratava-se com outro psicólogo, nunca foi diagnosticado pelos graves problemas mentais que possuía? Como um psicólogo, noivo de uma psicóloga, que eventualmente fazia sessões de terapia, foi capaz de passar despercebido por tanto tempo? 


Talvez o maior debate proposto pela obra volta-se para a total e escancarada falta de ética. Aqui encontramos um psicólogo movido por egoísmo, pelo sentimento (falso) de contribuição para com a sociedade. 

É possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem? Não. Pois - peço desculpas a todos aqueles que não perceberam, mas para mim está claro - o bem que se acredita fazer não passa de uma ilusão criada pela mente egoísta de um ser humano que contou a si mesmo que seu estudo, realizado com cinco exemplos, baseado no assassinato de pais e mães, que ignora os avanços do conhecimento científico neurológico, cognitivo e psicológico, e, por fim, destrói a família de crianças indefesas mostra apenas a falta de ética do indivíduo e sua deturpação da realidade.

O Sorriso da Hiena me ganhou por seus detalhes e desenvolvimento com relação ao gênero policial. Porém, são as reflexões não aprofundadas, o debate fértil e interessantíssimo que percebi, mas, que não sei dizer até onde é capaz de chegar - até onde é Izabel pensando e até onde outros leitores poderão pensar a respeito - que me frustou ao longo da leitura. Não tiro o mérito do autor, muito menos ignoro seu talento e coragem para escrever sobre um tema tão complexo, e é verdade que a leitura é válida, mas, após ler obras como Senhor das Moscas, Precisamos Falar sobre o Kevin, e Laranja Mecânica, seria difícil deixar de lado não apenas essas leituras, mas tudo aquilo que sei hoje e que mudam totalmente minha percepção da obra.

28 comentários

  1. Oi Isabel!

    Tudo bem?

    Eu estou lendo muitas críticas sobre este livro e a cada perspectiva sinto mais vontade de lê-lo, mas ainda não tive essa oportunidade, apesar de já ter entrevistado o autor no meu site.

    Adorei a resenha!

    Grande abraço!
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha a chance de conferir a obra. Depois de ter realizado a leitura, não esquece de me contar o que achou. ;)

      Excluir
  2. Eu li esse livro e foi uma das melhores leituras do meu ano, porque é diferente ler algo a partir da perspectiva do psicologo né?

    ResponderExcluir
  3. Que capa medonha! Não por ser feia, mas por me amedrontar mesmo! hahahaha
    Acho que nunca li um livro parecido, fiquei bem interessada!
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha a chance de conferir essa obra, estou curiosa para saber o que vai achar !!!

      Excluir
  4. Gosto muito de livros ligados ao comportamento humano. Recebi ótimas indicações desse livro em questão. Essa é a primeira resenha que leio, onde são apontados situações que causam furos no enredo. Isso me faz pensar se todos estão lendo com um verdadeiro senso critico.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada universo por pessoas como você, que conferem minha resenha do início ao fim e percebem meus descontentamentos com relação a uma obra que, assim como você, também só tinha encontrado gente elogiando !!!
      Não tenho muito conhecimento de caso, mas acredito que o pessoal que elogia a obra não possui muita bagagem com relação a outras leituras que se assemelham a essa. Mas novamente, a resenha também contém a minha opinião, no fim, tudo se baseia a quem está lendo o livro né ?! XD

      Excluir
  5. Izabel!
    Gosto dos livros no estilo, onde podemos confrontar determinados comportamentos do que é ou não ético, principalmente relacionado a pesquisas ‘científicas’ que poderão possibilitar comportamentos futuros sobre determinado assunto e posicionamento.
    Se os protagonistas são cativantes e bem estruturados pelo autor, fica ainda melhor de fazer a leitura.
    Semaninha de muita luz e paz!
    “Todo o nosso saber se reduz a isto: renunciar à nossa existência para podermos existir.” (Johann Goethe)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rudy, gosto bastante desse tipo de leitura, tenho uma certa queda por obras que seguem essa linha. Mesmo com os problemas que encontrei ao longo da leitura, ainda é um livro válido, principalmente para quem quer conhecer mais sobre obras do tipo !!! XD

      Excluir
  6. Quero ler esse livro parece bem reflexivo, já me fiz essa pergunta se as pessoas nascem cruéis ou se tornam devido aos acontecimentos em suas vidas, eu acho que alguns nascem outros vão ficando com o tempo, é complexo rs. Mas achei um absurdo essa ideia do personagem de fazer essas experiências para saber é uma total falta de humanidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma das tentativas de questionamento e reflexão da obra é justamente com relação a "pesquisa" realizada ao longo da obra, tu já sacou um ponto chave do livro flor !!! ;)
      Espero que tenha a chance de conferir, estou curiosa para saber o que vai achar !!!

      Excluir
  7. Este livro parece conter uma história bem forte e impactante; Achei bem diferente a história ser construída de maneira a espelhar a realidade em uma narrativa fictícia, que bom que a narrativa deixa o leitor curioso em relação a história.
    Fiquei bem curiosa para conferir a história deste livro, então adicionei O Sorriso da Hiena em minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha a chance de conferir essa obra, adoro conhecer a opinião de vocês com relação aos livros que comente por aqui !!!

      Excluir
  8. Eu achei a história um pouco macabra mas isso não deixa de lado as questões que podem ser levantadas na obra, ou seja, não é violencia gratuita ou sem sentido, o contrário. Pra mim pode ser difícil pois não sou acostumado com esse tipo de obra mas estou muito interessado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não está acostumado com esse estilo de livro, acredito que O Sorriso da Hiena seja uma boa obra para começar Marcos !!! Por também pender para o gênero policial ele transforma a leitura em algo mais instigantes e "rápido", ao contrário de outros livros.
      Depois, caso tenha interesse, você pode seguir para Laranja Mecânica, Senhor das Moscas, Precisamos Falar Sobre o Kevin, Fábrica de Vespas ... são apenas algumas indicações !!!

      Excluir
  9. Oi!!
    Adoro livros que tenham um pouco de terror e suspense, e desde que li as resenhas falando sobre essa estória do Gustavo Ávila fiquei bem interessada, acho bem instigante a premissa do livro é por causa disso esse livro já está adicionando na minha lista de compras.
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha a chance de conferir essa obra. Depois que realizar a leitura, não esquece de voltar aqui e me contar o que achou !!!

      Excluir
  10. Começar um livro assim, de uma forma tão dura e crua não é muito fácil não. Uma criança carregando um peso assim, tendo que "viver" em meio as dores e levando o estigma junto de si? Ainda mais isso sendo retratado onde as crianças andam tendo que amadurecer rápido demais.
    A imaginação, os motivos, a doença.
    Quero muito poder conhecer mais a fundo!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha a chance de conferir essa obra, acredito que tiraria muitas reflexões da narrativa !!! ^-^

      Excluir
  11. Estou pasma com essa sinopse, e completa envolvida ao mesmo tempo.
    Adoro suspense psicológico porque consegue completamente focar minha mente no livro e só consigo aquietar quando acabo livro.
    É uma tema bem forte.
    A capa não chamou muita atenção, mas a sinopse me ganhou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro quando as dicas conquistam futuros leitores !!! ;)

      Excluir
  12. Olá!
    Mas que crueldade faz com uma criança de 8 anos a presencia a morte dos próprios pais. Eu gostei da premissa do livro, mostrasse ser um livro bastante horripilante, já que a criança ao crescer faz a mesma coisa. Eu não sei se leria mas tentaria algum dia.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro segue uma temática que não é exatamente a praia de muitos leitores né ?! Aborda assuntos bem pesados e polêmicos, mas gosto muito desse tipo de obra e acredito que mais pessoas deveriam se arriscar em obras como essa !!! Espero que um dia tenha a chance de conferir a obra !!!

      Excluir
  13. Oi! Nunca li, e nem sabia que os livros Senhor das Moscas, Precisamos Falar sobre o Kevin, e Laranja Mecânica eram desse gênero literário. Acho que preciso dar uma pesquisadinha sobre eles ahaha Logo no inicio da resenha, ao ser descrito o assassinato do protagonista, imaginei que a obra iria seguir um rumo diferente do que seguiu, e talvez por isso e não tenha ficado tão interessada na história. Mas acho que não custa dar uma chance ao livro, por mais que falte profundidade. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de O Sorriso da Hiena não seguir, exatamente, o mesmo gênero dos outros livros que citei, e de que, nenhum deles segue um gênero próximo ao do outro, hehehe, todos possuem similaridades e pelo menos um assunto em comum, o que faz com que eu sempre indique os livros mencionados e busque outros que se assemelhem a eles !!! Espero que tenha a chance de conferir essas obras, quem sabe você também não se apaixona pelo assunto ??? *-*

      Excluir