Essa foi a primeira vez que fui em um evento para livreiros e blogueiros organizado pela Companhia das Letras. Eu fiquei impressionada com organização e a recepção da equipe. Diferente dos eventos que já fui de outras editoras, a Cia das Letras tinha uma lista na porta com o nome de todos os confirmados e ali mesmo aproveitavam para dar o Kit – e durante o evento ainda teve sorteio de outras cortesias. A editora também disponibilizou uma linda mesa de café que tinha opções deliciosas.

Luciana, diretora comercial, e Lília, gerente de marketing foram quem conduziram a maior parte do evento. Achei bem interessante, eles terem optado por iniciar o evento apresentando alguns números. Como o evento também é destinado aos livreiros também, algumas informações compartilhadas eram muito importantes. Mas, no geral, mesmo para os blogueiros, esse tipo de informação é muito interessante para termos uma noção melhor do mercado literário.

Um dos números apresentados que acho interessante trazer para os leitores do Estante Diagonal é que o mercado literário subiu para mais 2% e a Cia das Letras subiu mais de 9%, mesmo em meio a crise que estamos passando. Outro número que me surpreendeu é que 82% das vendas da editora são do catálogo – livros publicados há mais de um ano.

A editora se mostrou muito preocupada também com a questão da valorização do objeto livro trazendo uma boa justificativa para eles não trabalharem com tantas promoções em relação as outras editoras. A Cia das Letras optou por aumentar o valor dos seus livros e perceberam que mesmo vendendo menos unidades conseguiram atingir um faturamento maior do que as editoras que vendem mais livros, mas que trabalham com políticas de descontos mais agressivas. Confesso que entendi a preocupação deles em querer “cobrar pelo preço do livro, o valor que ele vale” e, em determinada medida, tentar puxar os antigos padrões e políticas de preços do mercado. No entanto, tenho as minhas dúvidas sobre isso criar uma barreira social para pessoas que encontraram nessas promoções “malucas” uma porta para poder adquirir livros.

A apresentação ainda falou sobre uma pesquisa feita durante a FLIP desse ano onde eles compilaram as principais palavras que foram usadas para descrever a Cia das Letras. Eles juntaram em uma arte onde o tamanho da palavra fazia referência a quantidade de vezes em que aquela determinada palavra foi citada. Entre as palavras, “qualidade” foi a que recebeu o maior destaque. 

E falando em destaque, o podcast Rádio Companhia também teve o seu espaço. Foi apresentado um um trecho para que pudéssemos conhecer um pouco da dinâmica do programa. Basicamente são conversas descontraídas sobre os livros e assuntos da editora com a equipe. O que eu achei mais legal é que ele está disponível no Spotify.

Os livros foram apresentados através dos selos da editora e começou com os Objetiva, Alfaguara e Suma. O destaque ficou para nova trilogia de Phillip Pullman. Inclusive, todos os convidados receberam o primeiro livro no Kit entregue na entrada. A primeira trilogia, que tem como o primeiro livro A Bússola de Ouro, foi publicada na mesma época de Harry Potter – final dos anos 1990 até o começo dos anos 2000. Agora, 17 anos depois, Phillip Pullman traz essa nova proposta que não é exatamente uma continuação do que já foi publicado, mas complementos. Por exemplo, o novo livro, O Livro das Sombras, na realidade traz uma história anterior ao livro A Bússola de Ouro. Então, ele pode ser lido por quem ainda não leu a primeira trilogia e servirá como um complemento para quem já é fã. Eu não entendi muito bem onde os outros dois livros irão de se encaixar na primeira trilogia, mas ao que parece, a ideia é transformar essas duas trilogias em uma série do mesmo universo.

Uma curiosidade que acho importante destacar é sobre a tradução do título desse novo livro. Se The Book of Dust fosse traduzido literalmente para o português ficaria O livro do Pó. Vamos combinar que isso não pegaria muito bem aqui no Brasil. Então, após Pullman ter sido consultado, foi feita uma adaptação para ficar O Livro das Sombras. O que segundo a editora ainda assim faz muito sentido para história, pois o pó é uma substância muito importante dentro do universo, mas que no mundo dos “humanos” (não sei se entendi errado), o pó é chamado de sombra. Outra curiosidade de bastidores que eu achei muito divertida é que a capa brasileira foi feita por um ilustrador nacional, só que ele tinha feito um dos meninos na canoa em pé. Pullman adorou a ilustração, mas fez um pedido um tanto inusitado, mas como uma excelente justificativa. O autor achou muito perigoso que um menino de 12 anos estivesse em pé em uma canoa e pediu que mudassem a ilustração para ele sentado. 

Ainda nos títulos da Suma. Não sei se é uma curiosidade geral. Mas o selo tem publicado alguns livros do Stephen King em uma edições especiais em capa dura com soft touch. Talvez vocês já tenham visto aquela capa maravilhosa vermelha do Cujo. Pois bem, as escolhas dos livros para terem essa edição especial obedecem dois critérios: o quão famoso ou importante foi aquele livro para carreira de King e se ele já está esgotado. Então, que está esperando por uma edição especial do IT é melhor esperar sentado. Mas já adiantaram que o próximo lançamento para ao ano que vem nesse estilo será A Incendiária.

Um livro que eu não dava nada, mas que fiquei surpresa tanto por conhecer os bastidores da publicação dele, como da proposta final, foi o da Marina Ruy Barbosa. A atriz foi uma aposta da editora com o objetivo de criar um livro comercial que pudesse ao mesmo tempo incentivar a leitura de poemas. Acabou que o livro virou uma seleção de Marina de 60 poemas de autores nacionais mais variados que você possa imaginar que a inspiraram de alguma forma. Nós tivemos a oportunidade de ver o livro em mãos e o trabalho editorial está lindo com várias fotos da atriz mostrando um lado mais pessoal. Imagino que esse livro possa ser uma porta para muitos novos leitores que são fãs do trabalho de Marina. 

Por fim, o grande finale foi a participação da atriz e autora Fernanda Torres para falar do seu novo livro A Glória e Seu Cortejo de Horrores. O papo foi mediado pela Luciana e teve seus momentos de reflexão, mas no geral foi muito sarcástico e divertido. O livro fala sobre um ator em decadência e muito do livro envolve experiências pessoais e outras que ela ouviu durante sua carreira. Questionada sobre o uso de voz masculina na história, Fernanda Torres admitiu que dificilmente vai deixar de falar grosso em sua escrita e utilizar a voz de homem foi uma forma que ela encontrou de se distanciar da história e não tornar o livro uma representação dela mesma. Inclusive, ela confessou que teve um livro infantil rejeitada por uma editora, porque ele falava sobre morte, que Deus não exista e que quando a gente morre fica por aqui mesmo. 

Os livros de Fernanda são marcados por temáticas mais fortes, muito sarcasmo e sem rodeios.  O Rio de Janeiro é sempre o ponto de partida dela para a visão da história e em suas palavras ela definiu a cidade como “deslumbrante e trágica ao mesmo tempo”. Essa mistura de sensações de alegria e tristeza são a principal influência dela.

Eu poderia ficar horas aqui falando dessa conversa que foi tão enriquecedora e divertida ao mesmo tempo, mas preciso resumir para esse post não ficar maior do que ele já está. Por fim, ela explicou que o título do livro faz referência a uma frase que a mãe dela, Fernanda Montenegro, sempre fala. A Glória simbolizaria a felicidade, a conquista que muitas vezes eleva o ego e que pode ser algo bom ou ruim, mas que também cansa, que também pode ser ridícula e vir acompanhada de um “cortejo de horrores”.
No final de tudo, ainda tivemos a oportunidade de autografar o novo livro da Fernanda Torre, que também estava dentro do Kit distribuído para todos. A editora organizou rapidinho uma mini sessão de autógrafos dentro da sala do cinema.
Não sei se pelo feriado ou pelo esquema de confirmação da presença a editora opte por um número reduzido de convidados, a sala do cinema não estava lotada – diferente de outros eventos que já fui. Mas como disse no começo desse post, eu achei o evento muito organizado, a equipe foi muito simpática e me senti muito à vontade durante todo o evento. Já estou ansiosa para o próximo!

rela
ciona
dos