Título Original: Como Eu Imagino Você
Autor: Pedro Guerra
Ano: 2017
Editora: Gutenberg
Páginas: 190
AmazonSaraiva
Helena é uma jovem de 18 anos que tem uma doença rara nos olhos. Ela só tem a visão periférica, mesmo assim bastante prejudicada. A história é narrada por ela, que começa revelando que tem sonhos recorrentes com um garoto misterioso que ela não consegue enxergar o rosto. Esse será um mistério que ela tentará desvendar ao longo do livro.
Apesar da deficiência, a personagem tem uma vontade muito grande de ser independente. Eis que, os seus pais precisam viajar a trabalho e essa é a oportunidade que Helena vê de mostrar que consegue se virar sozinha. As coisas ficam um pouco mais tumultuadas quando a mãe da menina diz que contratou uma pessoa para cuidar do jardim nesse período. Imagina, receber um estranho em sua casa, ainda mais sem enxergar direito?
Helena irá descobrir junto com a ajuda de seus amigos que os seus sonhos podem ser muito mais do que ela imagina e apesar de saber que, em breve,  não enxergará mais nada à sua frente, ela pode ver muito além de qualquer outra pessoa.

Como Eu Imagino Você é uma literatura juvenil nacional de Pedro Guerra e em menos de 200 páginas, o autor consegue construir uma história muito envolvente, recheada de mistérios e cenas românticas de fazer o coração parar. Achei muito legal ver que o Pedro Guerra utilizou uma voz feminina para contar a história. Normalmente, os autores preferem usar personagens do seu mesmo gênero ou desenvolver a escrita em terceira pessoa. Como eu tenho uma capacidade maravilhosa de esquecer as sinopses dos livros, me vi surpreendida ao notar isso nas primeira páginas.

“O mundo é cego. Ninguém se importa com a história dos outros. Somos todos videntes para aquilo que nos importa e só isso.”

O autor trabalha muito bem a questão da deficiência da Helena na história. Ele se preocupa em introduzir o leitor na limitações e explicar a doença. Mesmo assim, Helena está longe de ser uma personagem frágil. Na maior parte da história, ela é apresentada praticamente como uma garota normal, preocupada em ir para faculdade, ser independente dos pais e lidando com os amores da vida.

Aliás, os amores da vida… (*suspirando*) Eu não quero dar mini-spoilers, mas a Helena vive fortes emoções nessa história e situações que algumas pessoas podem até chamar de clichês, mas que eu gostei bastante. Ela vive a história de amor que você provavelmente gostaria de guardar em um potinho e proteger. Mas esteja preparado para as reviravoltas nos capítulos finais, é de doer o coração. 

Talvez a única parte que até agora estou em dúvida se realmente gostei foi o toque sobrenatural (não sei se essa seria a definição certa). Realmente era algo que eu não esperava na história, talvez por isso a minha estranheza. Em alguns momento, eu achei que essa parte foi pouco trabalhada, mas o final acaba salvando tudo e mesmo os pontos que parecem que não foram tão bem explicados, já não fazem tanta importância.

Como Eu Imagino Você é dividido entre as quatro estações do ano, normalmente dando um pulo de tempo na história. Eu gostei bastante disso, pois o autor conseguiu trabalhar com um período maior de tempo narrativo sem parecer que estava correndo com a história ou fazendo um livro imenso. Ultimamente, eu tenho prezado muito pelas boas histórias que envolvem livros com menos páginas. Este, com certeza, está entre os nacionais com menos 200 páginas que se enquadra nessa opção. Se você está procurando uma história rápida que lhe possibilite viver várias emoções, acabou de encontrar. 

rela
ciona
dos