Extraordinário - Crítica

Wonder

Lançamento: 07 de dezembro de 2017
Com: Julia Roberts, Jacob Tremblay, Owen Wilson
Gênero: Drama

Para uma criança, o início do período escolar nunca será fácil. É o momento onde o círculo social da criança deixa de ser exclusivo da família para ser composta também por completos desconhecidos. É nesta fase que crianças modelam seus comportamentos e é praticamente isso que iremos acompanhar em Extraordinário, porém com um detalhe a mais.

August "Auggie" Pullman já passou por vinte sete cirurgias plásticas, todas para repararem a deformação facial causada pela síndrome que nascera. Agora, com 10 anos de idade, ele está indo pela primeira vez para a escola. Nela Auggie deverá aprender a conviver com outras crianças além de lidar com aquela sensação de ser observado a todo instante. A forma como Auggie é julgado por todos a sua volta, será narrado ao público pela perspectiva do próprio menino.

Extraordinário é a adaptação do livro homônimo da autora R. J. Palacio, um dos queridinhos lançados em 2013 pela Intrínseca. Apesar de abordar temas tão complexos, como preconceito e bullying, o roteiro do drama também flerta com a comédia, equilibrando bem os gêneros e causando o conforto necessário para quem assiste. Com Julia Roberts e Owen Wilson no elenco interpretando os pais de Auggie, é garantido que existirá diversos momentos descontraídos entre família, mas sem tirar todo o peso da história. Não é à toa que os dois atores transitam entre os gêneros tão bem.


Apesar de termos Auggie como protagonista, o filme também foca no seu núcleo familiar como um todo. Ele não recebe todo o foco da história, o que seria extremamente desgastante e até repetitivo de certa forma. Aqui conheceremos cada um dos personagens, com destaque para Via (Izabela Vidovic), irmã de Auggie, que desde os 4 anos de idade viu seu irmão mais novo virar o norte desta família. Desta forma, é fácil criar empatia por Via e o modo que ela busca se encaixar em algum lugar. 

Este é um dos destaques da história. Entre as diversas (e normais) discussões dos irmãos, Via faz seu papel de irmã mais velha, relembrando Auggie de que ele não é o centro da Terra e nem daquela família. Neste viés, também iremos acompanhar a mãe de Auggie, que mesmo extremamente protetora e dedicada, teve seus planos profissionais adiados após o nascimento do filho. São nestas pequenas deixas que passamos a amar mais esta família como um todo e não apenas pelo problema de Auggie.

O enredo buscou trazer uma fotografia mais lúdica para a história, principalmente, quando temos Auggie interagindo com seus colegas e expondo ao público todos os seus sentimentos em relação sua condição em determinadas situações na escola. Elementos da cultura pop, como Star Wars, foram inserido na trama, o que faz com que a narrativa não perca ritmo e ainda explore muito bem os meios-termos da história, seja nos momentos mais dramáticos ou nos mais felizes.



Extraordinário é um filme extremamente sensível e comovente. Ao final do filme, mesmo com algumas lágrimas nos olhos, não há como esconder aquele sorriso e aquela sensação de quentinho no coração. É uma história linda, singela, mas que tem tanto a ensinar. O fato da história ter sido narrada por uma criança também toca o leitor de uma forma sem igual, as verdades ditas por Auggie machucam, mas fazem a gente refletir sobre a sociedade como um todo, independente da faixa-etária. Filmes assim são extremamente importantes para serem apresentados a todos, mas principalmente as crianças que poderão se identificar com a história. Desde cedo é preciso conviver com a diversidade, seja ela qual for. Além disso, o filme passa uma ótima mensagem sobre bullying e amizade na infância, época onde tudo é tão puro e sem meias-verdades. 

Jacob Trembay já mostrou do que é capaz em O Quarto de Jack e aqui ele só reafirma todo o seu talento. Melhor ficarmos de olhos bem abertos nesse pequeno prodígio. Sutil, com um elenco competente e com uma direção e roteiro acertado, sob os olhares atentos de Stephen Chbosky e da própria autora respectivamente, Extraordinário agrada não só os fãs do livro, mas também aqueles que tiverem o seu primeiro contato com a história, a adaptação é competente nisso, entrega um bom material e ainda encanta com a excelente mensagem que passa.

12 comentários

  1. O lançamento do ano, sem sombra de dúvidas. Só quem pôde ler o livro, sabe a ansiedade que este lançamento tem causado.
    Não vejo a hora de poder conferir este filme e ver Owen, Julia e Jacob atuando! Este menino tem um futuro brilhante com certeza. E Owen? Eu amo!rs
    Verei em breve!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. To louca pra assistir! mas sou fã suspeita do livro rs...

    bjos

    ResponderExcluir
  3. Sem dúvidas um filme pra ver e chorar, a história é linda, apesar de eu não ter lido o livro, quero muito assistir o filme. O elenco dele está muito bom e a mensagem que ele passa é bem bacana, todo mundo já sofreu bullying de alguma maneira, vai de cada um o jeito que encara isso!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Joi.
    Eu adoro o livro. É um dos meus favoritos. Fico feliz em saber que a adaptação aos cinemas não deixou a desejar.
    O elenco escolhido é ótimo (AMO a Julia Roberts e o Jacob Trembay é perfeito para esse papel) e a mensagem sobre respeitar o outro e a máxima "seja gentil" é algo que deve ser propagado mais vezes.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Vou querer assistir, ainda ão li o livro, mas pretendo. A historia parece que mexe muito com a gente e nos deixa refletindo como as pessoas são em relação a alguém que tenha alguma deformação entre outras coisas. O elenco parece que agrada e conquista o público.

    ResponderExcluir
  6. Estou muito ansiosa para ver o filme, pretendo ir hoje ao cinema. Só me deparei, até agora, com críticas muito positivas da obra! O livro é sensacional e merecia uma adaptação. Que bom que a Via está na história e eles mantiveram a essência...
    Também amo O Quarto de Jack com o ator que interpreta o Auggie, ele é mesmo um pequeno prodígio!

    ResponderExcluir
  7. Quero muito assistir, mas não antes de ler o livro! A princípio, achei que essa, era só mais uma história bobinha para crianças! Pelo jeito, não. Já vou preparar o lencinho!

    ResponderExcluir
  8. Quero muito ver o filme, mas como não li o livro ainda, prefiro esperar! rsrsrsrs
    Já tô vendo que vou chorar litros!

    ResponderExcluir
  9. Mal posso esperar para assistir! Li o livro esse ano e achei simplesmente EXTRAORDINÁRIO mesmo, o filme deve ser igualmente maravilhoso.

    Toca da Lebre

    ResponderExcluir
  10. Ainda não assisti ao filme, mas confesso que estou muito curiosa. Quando fiquei sabendo que a Sonia braga estaria no elenco corri para ler o livro e gostei bastante.
    Gostei de mostrarem o ponto de vista de cada personagem.
    Me apaixonei pela irmã e pela avó do Auggie.
    Jacob Trembay é um ator maravilhoso, a vontade de assistir só aumenta.

    ResponderExcluir
  11. Oi! Eu não li esse livro e ainda não tive a oportunidade de ver o filme, mas estou super ansiosa pra assistir! Só o trailer já me deixa emocionada, rs. Acho que o fato de ser narrado por uma criança cria todo um apelo emocional e também uma representatividade e empatia para todas as idades. Mesmo sem assistir já sei que vou amar. <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Joi!
    Acredito que o mais importante do filme, seja a mensagem que ele quer passar de igualdade, que ser diferente não tem nada de diferente...
    Tão importante o amor familiar e fraternal, dá um novo sentido à vida.
    E sem contar que amo a Julia Roberts e o Owen Wilson, e que maquiagem fizeram no fofo do Jacob Tremblay...
    Já estou preparando a caixinha de lenços, porque sei que vou chorar baldes...
    Um final de semana abençoado!
    “Desejo a você e à sua família um Natal de Luz! Abençoado e repleto de alegrias. Boas Festas!” (Priscilla Rodighiero)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir