Título Original: The Remnant Chronicles Novella 

Autora: Mary E. Pearson
Ano: 2017
Editora: Darkside
Páginas: 128

Em as Crônicas de Morrighan adentramos novamente ao mundo criado por Mary E. Pearson em as Crônicas de Amor e Ódio, na jornada de Lia e sua busca por liberdade. Porém, desta vez voltaremos aos primórdios deste universo para conhecer Morrighan, uma sonhadora menina que fez muito mais do que apenas nomear um reino. Aqui conheceremos verdadeiramente a sua história, muito antes das fronteiras entre os reinos fossem traçados, conheceremos a origem de um pais e de um povo.
Morrighan era apenas uma criança quando partiu com sua avó Gaudrel e o restante dos Remanescentes para sobreviver da guerra. Seu povo era o único que ainda conseguia cultivar algo em uma terra infértil, portanto, eram constantemente perseguidos e saqueados pelos Abutres, um povo que vivia para explorar e cobrar seus juros. Em meio a este caos e ainda criança, Morrighan conheceu Jafir de Aldrid, um menino abutre que havia a encontrado sozinha aos arredores de uma lagoa. Ele tinha tudo para entrega-la, mas algo garantiu que eles tivessem um segundo encontro anos depois.

“Nós já perdemos demais. Nós nunca devemos nos esquecer de onde viemos, para que não repitamos a história. Nossas histórias devem ser passadas para nossos filhos e para nossas filhas, pois, com apenas uma geração, a história e a verdade são perdidas para sempre.”


Logo nas primeiras páginas do livro, somos apresentados a triste realidade de Morrighan. Acostumada a viver sempre em movimento, ocultada entre as arvores, cânions e à sombra da devastação que dizimou o mundo, Morrighan apresenta ao leitor sua rotina, suas perspectivas e uma pequena chama de esperança. Descobriremos seus obstáculos, mas também acompanharemos o seu amadurecimento ao longo dos anos, a forma como a pequena garotinha deixa de ser uma criança melindrosa, para virar a mulher com um proposito muito maior do que viver escondida, uma lenda.

Se você é um fã de As Crônicas de Amor e Ódio, alguns dos nomes encontrados aqui serão familiares, e entende-los, finalmente, é como receber um presente da própria autora. Ao longo dos três livros anteriores da trilogia, somos contemplados por pequenos trechos da história antiga, dos acontecimentos dos anos de Morrighan. São pequenos testemunhos, textos sagrados e canções, todos citados e escritos por grandes figuras deste universo. Saber que a autora pensou em cada detalhe cuidadosamente, em cada ponto e vírgula desta história enche meu coração de alegria e eu só consigo sentir gratidão por ter tido a oportunidade de conhecer uma história tão linda.
Esta leitura pode ser o seu primeiro contato com o universo de Mary. E Pearson, e se for, Crônicas de Morrighan é uma ótima porta de entrada. Por ser um preludio, ele consegue te preparar e ambientar sobre a mitologia que encontrará na trilogia principal. Sem dúvidas o ponto alto do conto, é ele dar pequenas explicações sobre os acontecimentos que antecedem este universo, e pequenas respostas sobre o que ocorreu neste mundo. Temos a confirmação de que o universo criado por Mary E. Pearson, é na verdade pós-apocalíptica, ou seja, pode ser interpretada como o futuro dos tempos atuais. Definitivamente, esta edição é um aperitivo para o prato principal. Para os que já são fãs, este livro é uma ótima oportunidade para matar a saudade desta história e também um último adeus.

Crônicas de Morrighan é um livro curtinho, belíssimo, que está sendo lançado pela primeira vez em edição física. O conto escrito pela autora no ano passado, foi lançado apenas em e-book, portanto, esta edição é acompanhada por uma dedicatória exclusiva para os fãs brasileiros. Com pouco mais de 120 páginas, eu tenho certeza que esta história tinha potencial para um livro ainda maior. A grandiosidade do universo criado por Mary E. Pearson surpreende o leitor a cada página e eu não veria problema algum em ser contemplada por um novo livro, mas ao mesmo tempo entendo que a autora tenha escolhido tornar a história de Morrighan em algo mais singelo, mas acima de tudo, sem perder o grande significado de suas conquistas.

A descoberta do amor é o ponto chave desta história, é quando Morrighan e Jafir encontram a pior dificuldade que poderiam enfrentar, um desafio que mudaria não só suas vidas baseadas em suas escolhas, mas também a vida de milhares de pessoas que escolhessem os seguirem. O romance entre os dois personagens é algo tão genuíno e gradativo, que é impossível não torcer pelos dois mesmos meios a tantos impedimentos ao longo do caminho. Na história de Morrighan, Pearson nos conta o verdadeiro registro por trás dos mitos, aqui, sua história não se perdeu. É o amor de dois corações improváveis, que move esta história, que modifica conceitos, derruba barreiras e permite que escrevam seus próprios testemunhos. Vou morrer de saudades, paviamma.

rela
ciona
dos