Em 2017 me permiti tantas coisas como leitora que lista-las aqui tornaria esta postagem longa e sem um objetivo claro. Isso é tema para outras postagens e até para novos vídeos lá no canal. Sendo assim, desta vez, vou me ater a uma das experiências mais satisfatória que tive. 
Eu li clássicos. Clássicos que antes, há alguns meses, eu pensava que jamais colocaria as mãos. Os motivos para a tal decisão eram vários, sejam pelas histórias que eu “achava” já conhecer devido as tantas e tantas adaptações e releituras ou pelas narrativas que eu sempre achei, que, como praxe, deveriam ser rebuscadas por regra. A questão é que eu iniciei a minha experiência de forma tímida. Percorrendo os gêneros e desbravando sem medo. Nisso fui de Edgar Allan Poe a Jane Austen, até, enfim, conhecer finalmente os grandes clássicos do terror.
Drácula, Frankenstein, O Médico e O Monstro, entre outros, sempre estiveram muito presentes na nossa cultura, já repararam? Porém, quem realmente já leu estes livros, quem realmente entendeu o significado da importância de cada uma dessas obras nas épocas em que foram lançadas? Uma vez que passei por esta experiência e percebi o quanto aqueles livros de cinquenta, cem, quase duzentos, anos eram grandiosos, resolvi ir à caça de novos clássicos para ler. Do terror ao conto de fadas, valia tudo. E foi aí que me deparei com os Clássicos da Zahar e me vi inteiramente encantada por cada um.
Vou deixar a baixo algumas dicas de leituras que pretendo fazer em 2018 e também dicas de leituras que já fiz, mas que possuem edições lindas e de luxo feitos pela editora. 

O Homem Invisível | H.G. Wells

Os habitantes da pacata Iping têm toda razão de não conseguirem falar sobre outra coisa. O desconhecido que se hospedou na pensão local está sempre coberto da cabeça aos pés, com o rosto inteiramente envolto em bandagens. Além disso, chegou trazendo um verdadeiro laboratório portátil e um rastro de mistério, que aumenta ainda mais quando crimes começam a acontecer e quando se descobre que o homem é… invisível!
Sucesso desde a publicação, em 1897, O Homem Invisível mistura humor e ficção científica, além de ser também um belo livro sobre solidão, incompreensão e os laços entre o indivíduo e a humanidade.
Frankenstein, ou o Prometeu Moderno | Mary Shelley

A mais famosa história de horror de todos os tempos em luxuosa edição comentada
Frankenstein é sem dúvida o maior clássico de terror de todos os tempos. É também um ensaio sobre a prepotência humana e a solidão em sociedade. Cego em seu propósito de dar vida à matéria inanimada, o cientista Victor Frankenstein constrói um ser monstruoso a partir de restos humanos – mas, quando enfim alcança o resultado pretendido, foge de sua própria criação! Abandonada e fadada ao desterro e à rejeição, a criatura passa a perseguir o cientista e, depois, a buscar vingança.

O Morro dos Ventos Uivantes | Emily Brontë
Obra-prima da literatura inglesa, uma narrativa poderosa e tragicamente bela de um amor proibido
Essa é uma história de amor e obsessão. E de purgação, crueza, devastação. No centro dos acontecimentos estão a voluntariosa e irascível Catherine Earnshaw e seu irmão adotivo Heathcliff. Rude nos modos e afetos, humilhado e rejeitado, ele aprende a odiar; mas com Catherine desenvolve uma relação de simbiose, paixão e também perversidade.
Nada destruirá a essência desse laço – mas quando ela se casa com outro homem, por convenções sociais, as consequências são irreparáveis para todos em volta.
Persuasão | Jane Austen
Último romance de Jane Austen, publicado poucos meses após sua morte, em 1817, Persuasão jamais foi superado por tendências de época, renovações estéticas ou modismos literários de qualquer tipo, mantendo-se um inabalável sucesso de público e crítica. 
O romance se passa na Inglaterra rural, no início do século XIX. Anne Elliot, filha de Sir Walter Elliot, um vaidoso e esnobe baronete, apaixona-se por Frederick Wentworth, um jovem inteligente e ambicioso, mas sem tradições ou conexões familiares importantes. Por esse motivo, é persuadida pela família a romper com ele. Oito anos depois, Anne pensa com mais autonomia e maturidade e o destino fará com que seu caminho e o de seu grande amor se cruzem novamente.
Viagem ao Centro da Terra | Jules Verne
Em 1863 o renomado professor Otto Lidenbrock, geólogo e mineralogista, descobre uma mensagem cifrada descrevendo uma viagem ao centro da Terra. É o quanto basta para o impetuoso cientista se lançar na mesma aventura – levando consigo o sobrinho Axel, colega de profissão mas defensor de diferentes teorias científicas, e o impassível Hans, guia que se mostrará indispensável para a empreitada e seu espantoso desfecho!
Rios de lava, mares subterrâneos, os primórdios da vida no planeta, fauna e flora pré-históricos, múmias de homens primitivos… Fruto da imaginação e do conhecimento de um dos pais da ficção científica, Viagem ao centro da Terra é uma das obras mais originais e ousadas de seu tempo.
Drácula | Bram Stoker
Fonte de inúmeras adaptações para telas e palco, inspiração para músicos, escritores e artistas de todas as áreas, Drácula é um ícone incontestável e obra-máxima de Bram Stoker.
De um lado o conde Drácula – o mais famoso vampiro da literatura – e sua legião crescente de mortos-vivos. De outro, um grupo unido e decidido a caçá-lo: Jonathan e Mina Harker, o médico holandês Van Helsing e seus amigos. Romance epistolar ágil e bem-construído, esse livro enredará também você nessa dramática corrida contra o tempo.
Essa edição traz o texto integral de Bram Stoker, centenas de notas, apresentação e cronologia de vida e obra do autor, tudo isso no padrão de qualidade dos Clássicos Zahar. A versão impressa apresenta capa dura e acabamento de luxo.

Seta para a direita Esta é a primeira postagem de uma coluna que pretendo trazer mensalmente, onde o foco será destacar coleções e edições de diferentes editoras e que têm como foco, relançar os grandes clássicos da literatura internacional, espero que gostem.

rela
ciona
dos