Resenha: Como Agarrar Uma Herdeira

Título Original: To Catch An Heiress
Autora: Julia Quinn
Ano: 2017
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Amazon - Saraiva

Que saudades que eu estava de ler Julia Quinn! Fazia um tempinho, desde o último livro que li e resenhei da autora, mas agora, finalmente, trago para vocês a resenha do primeiro livro da nova duologia, Agentes da Coroa.

Em Como Agarrar Uma Herdeira conheceremos Caroline Trent, uma jovem dona de uma grande fortuna, que está prestes a completar vinte e um anos e por fim, sua independência. Porém, a data do seu próximo aniversário preocupa o seu atual tutor, Oliver Prewitt, que deseja colocar as mãos neste dinheiro o quanto antes. O plano é fazer com que Percy, seu filho, se case com Caroline, por bem ou por mal. Certa noite Caroline vê a oportunidade perfeita de fugir, apenas com meia dúzia de pertences e um revolver, o suficiente para se defender caso encontre algum perigo na estrada. Porém, não muito longe dali, Caroline se depara com um estranho cavaleiro que parece confundi-la com outra pessoa. Blake Ravenscroft é um agente da Coroa e está em busca de Carlotta De Leon, uma famosa espiã espanhola. Ele acredita que a mulher que encontrou saindo sorrateiramente da casa de Oliver, um grande suspeito de traição, seja Carlotta e não pensa duas vezes ao prendê-la.

Vendo que tal engano pode ajudar no seu plano de fuga, Caroline não se esforça nem um pouco para desmentir todo o mal-entendido, pelo menos não até ela completar seus vinte e um anos, dali a seis semanas. Enquanto não têm a confissão de "Carlota", Blake precisa manter a prisioneira em sua própria casa antes de leva-la a justiça, porém, algo parece estranhamente errado quando "Carlota" parece despertar nele sentimentos há muito tempo adormecidos. Seria uma espiã a responsável por trazer cores de volta a vida de Blake? 

"Como era possível que ele parecesse ainda mais belo cada vez que o via? Realmente não era justo. Toda aquela beleza desperdiçada em um único homem. E um homem insuportável, ainda por cima."


Meu retorno aos livros de Julia Quinn, não poderia estar em melhores mãos. Como Agarrar Uma Herdeira, brinda o leitor com tudo de bom que a autora trabalha. A história é instigante, engraçada, romântica e dramática na dose certa. Sem dúvidas, de todos os livros que li da autora, este é aquele que trabalha as situações mais improváveis, diferente de tudo que já li da autora, até de tudo que já li dentro do gênero. 

Caroline é doce e ousada, inocente, mas sedutora, sensível e forte ao mesmo tempo. São várias as facetas da personagem e ela sempre consegue nos surpreender. Quando achamos que Caroline tende a ir para um lado, ela se posiciona de outra maneira, encantando não só o leitor, mas também Blake que não teve chance alguma em resistir a ela. Caroline é o contraste perfeito da época na visão de uma mulher que não quis aceitar um futuro traçado por terceiros, mas um que ela mesma estava disposta a construir. 

Apesar de ser Caroline a responsável por carregar problemáticas bastante significativas, como seu desejo de não se adequar aos moldes da época e tudo que passou na mão de tutores desalmados, como abandono e abuso é Blake que carrega o tom mais dramático do livro. Preocupado e irritado na mesma medida, ele tem um passado sombrio, marcado pela perda e cheio de feridas abertas. Desde então ele tem vivido no automático, até o dia da sua última missão, quando finalmente iria se aposentar desta profissão que parece ter lhe tirado tudo.



É ótimo acompanhar estas duas personalidades juntas. Além de proporcionarem os melhores diálogos, temos a já conhecida relação clichê que todos amamos, onde enquanto este casal estiver junto, faíscas irão rolar. Dentre este tom divertido, a autora encontra espaço para trabalhar mais profundamente as características de cada personagem, como seus receios e inseguranças em relação as suas perspectivas de vida. É ótimo acompanhar o crescimento deles em relação a isso e melhor ainda perceber que juntos eles podem ser ainda melhores nisso.

Como Julia Quinn sempre traz algo diferente em seus livros, desta vez ela uniu um hobbie de Caroline a uma ferramenta bastante interessante da narrativa. A cada início de capitulo, teremos acesso ao diário pessoal de Caroline, onde ela anota palavras novas que vai aprendendo no seu dia-a-dia. Estas palavras vêm acompanhadas do seu significado e uma aplicação numa frase. Ao longo da leitura, iremos entender que o significado desta palavra vai fazer parte do andamento da história no capitulo correspondente. Isso se estende até o final, quando o epilogo será composto por várias dessas palavras e assim, ao longo dos anos, iremos entender como o casal se virou após o final do livro.

O Marquês de Riverdale, grande amigo de Blake e também agente, tem um grande destaque na história, e contribui bastante com o andamento de tudo. Será ele um dos protagonistas do segundo e último livro da duologia, Como se Casar com Marquês. Notícia que eu recebo com um grande sorriso, pois eu amei cada segundo em que James aparece. Estou curiosa para conhecer os mistérios desse personagem e o seu final feliz.


Como Agarrar Uma Herdeira se destaca por apresentar um cenário completamente diferente dentre os romances de época. Aqui não teremos provas de vestidos, chás, salão das mulheres ou grande bailes e valsas. Iremos acompanhar uma vida no campo cheia de ação, perseguições e espionagem, e, como uma lady acabou adentrando neste mundo e acabou virando peça chave para uma grande missão. Eu amei cada detalhe desta história, o tom bem-humorado e todas as farpas que estes dois proporcionam. 

Esta duologia foi uma das primeiras histórias escritas pela autora na década de 90, e aqui percebemos várias das características que virariam marca registrada da autora. Se você já é um fã de romances de época vai adorar a experiência e se sentirá agraciado por tudo que o gênero tem de melhor. Caso você não seja familiarizado com o gênero, Como Agarrar Uma Herdeira pode te render momentos inesquecíveis que te farão viciar neste tipo de história. Muito divertido, levinho e fofo, Julia Quinn vai unir um bom enredo a personagens marcantes, de personalidades fortes e línguas afiadas, vale super a pena conferir a jornada destes dois.

11 comentários

  1. Não tem como chegar em uma resenha de um dos inúmeros livros da Julia e não suspirar! Ainda mais quando é a resenha de um dos livros mais comentados nesse último ano que passou.
    A autora é maravilhosa em conduzir suas histórias, sempre trazendo personagens fortes, marcantes e colocando nas "cenas", doses generosas de bom humor.
    Talvez seja essa maneira peculiar dela que tem feito muitos leitores embarcarem de volta nos romances de época.
    A duologia já está na minha lista de desejados e espero poder conferir em breve!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. OI Joi.
    Gosto muito de romances de época, mas não curti a série Os Bridgertons da Julia Quinn e depois disso não li mais nada dela. então fiquei bem contente quando você disse que essa nova duologia é bem diferente das outras histórias que a autora escreveu.
    Adorei a mudança de cenário. Parece que nessa história há muito ação, espionagem e romance. Gostei.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Parece ser bem divertido e diferente, fiquei com vontade de ler, ainda mais que ainda não li nada da autora. Adorei essa ação que tem no livro deve deixar a trama mais ágil e a leitura bem envolvente. Gostei da personagem adoro quando elas surpreendem e nos conquistam.

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li nenhum Julia Quinn. Quero começar pelos Bridgertons. Na verdade praticamente não li nenhum romance de época, e quero começar! ^^

    ResponderExcluir
  5. Um dos meus gêneros favoritos de leitura é romance de época, então gosto muito dos livros de Julia Quinn, a história deste livro parece ser muito boa, que bom que a história do livro Como Agarrar Uma Herdeira é muito divertida, leve e fofa, pretendo ler este livro em breve.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Joi! Esse livro parece ser bem engraçado, e vendo essa resenha fiquei em dúvida se começo julia quinn por essa série ou pela dos bridgertons, pois ambas parecem ser maravilhosas. Fiquei bastante curiosa para conhecer a Caroline, que parece ser uma personagem bem forte e diferente da sua época :D

    ResponderExcluir
  7. Joi!
    Não sabia que as histórias tinham sido escritas nos anos 90, impressionante a visão da autora já naquela época.
    Gosto muito dos romances de época, ainda mais os da Julia.
    Achei fantástica a ideia da fuga de Caroline e dela ser confundida com uma espiã.
    E o romance dela com Blake é do tipo que gosto também com troca de farpas e no final...só amor!
    Desejo um ótimo domingo!
    “Que o novo ano que se inicia seja repleto de felicidades e conquistas. Feliz ano novo!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  8. Eu ameeei esse livro. Sou simplesmente apaixonada por tudo da Julia Quinn, e esse livro não me decepcionou nem um pouco.
    Eu adorei os personagens, e também estou super ansiosa pelo próximo livro. Esse livro realmente é bem diferente da maioria que leio, adorei toda a ação. Com certeza é um dos melhores que já li <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oi Joi! Sempre ouço elogios à Julia Quinn e já vi inúmeras resenhas positivas com relação a esse livro também, então acredito que seja realmente bom! Interessante saber que essa duologia não apresenta alguns dos clichês dos romances de época, como você citou, por exemplo, os salões, chás, bailes etc, e sim uma história com mais ação. Pode ser um bom diferencial! Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Ainda não li nada da Julia Quinn, mas tenho curiosidade, pois só ouço elogios dos seus livros. Esse tem um romance que parece cativar muito o leitor, daqueles que a gente torce no final para dar certo!!

    ResponderExcluir
  11. Eu sou um pouco suspeita em falar dos livros da Julia Quinn porque eu amo a escrita e os livros dela mas ainda não li essa duologia dos agentes da coroa E é isso que eu mais gosto no Gilmar vocês dela no geral é que o final é previsível mas o que chama atenção mesmo é o desenrolar da história

    ResponderExcluir