GET OUT

Lançamento: 18 de maio de 2017
Com: Daniel Kaluuya, Allison Williams, Catherine Keener, Bradley Whitford.
Gênero: Suspense, Thriller
Primeiramente, peço desculpas pelos meses de ausência, mas, às vezes, precisamos de um período para nos adaptar as mudanças que a vida nos traz, e esse foi um desses momentos para mim. Voltei às resenhas em grande estilo, para o Especial Oscar que fazemos todos os anos e retornei para falar deste gênero que eu amo, tanto para filme, livro ou série, que é o suspense.
Confesso que fiquei um pouco surpresa quando vi que Corra!,  lançado no primeiro semestre de 2017, estava concorrendo ao Oscar. Não me entendam errado, é um filme maravilhoso, mas não é o tipo de filme que costuma concorrer, e mais ainda – ganhar – um Oscar.
Chris Washington (Daniel Kaluuya) é um rapaz negro que inicia um relacionamento com uma moça caucasiana de olhos verdes, Rose Armitage (Allison Williams). Há pouco mais de quatro meses de relacionamento, a jovem convida Chris para conhecer seus pais, que moram no interior. Chris, acostumado com o estranhamento que gera por namorar uma jovem branca, pergunta a Rose, se ela avisou a sua família que ele é negro, que logo mostra-se incomodada por Chris pensar isto da família dela e diz que todos na sua família “votariam no Obama novamente se fosse possível.” 


Assim, o casal parte para um final de semana no interior e neste trajeto já acontece o primeiro de muitos incidentes estranhos. Além disso, como se não bastasse, Chris é vítima de um gesto racista do policial que atende ao chamado, mas é bravamente defendido pela namorada.

Rose nunca deu motivos para que Chris se sentisse constrangido, por isso, o rapaz imaginava que os familiares seriam igualmente cordiais. Porém, chegando na casa, Chris começa a perceber que havia algo estranho, mas justamente pelo motivo contrário: todos foram simpáticos e animados demais. Os pais de Rose são médicos, o pai, vivido por Bradley Whitford é neurocirurgião e a mãe, vivida por Catherine Keener é psiquiatra. O irmão, Jeremy Armitage (Caleb L. Jones), é o mais estranho de todos e transforma o primeiro jantar de Chris na casa dos sogros em algo extremamente desconfortável. 

O estranhamento de Chris aumenta, ao constatar que todos os funcionários da casa são negros, e parecem extremamente felizes com a posição que ocupam. Apesar de todos esses sinais, somente após os convidados da festa de final de semana começarem a chegar, é que Chris percebe que definitivamente tinha algo muito errado em toda aquela situação. Mas o que realmente seria tudo isso?
Não posso – e não irei! – falar mais nada sobre a história, pois este é o tipo de filme que temos que ir dissecando aos poucos. Desde que assisti ao trailer de Corra!, eu lembro de ter ficado bastante curiosa, porém, apenas com a divulgação dos indicados ao Oscar que levei aquele empurrãozinho necessário para conhecer esta trama. O que posso dizer é que eu adoro esse gênero de suspense/thriller, e amei cada detalhe desse filme. A história é sobre racismo, sim, mas de uma maneira diferente. Esse filme me lembrou muito de Os Outros (2001), que não tem nada a ver a história em si, mas compartilham do mesmo clima de suspense e apreensão no decorrer do filme, a explosão de informações e ação no ato final te prendem e são capazes de te deixar sem ar. 
Quanto as atuações, achei a de todos os atores muito boas e convincentes. Kaluuya consegue transmitir com muita precisão aquele sentimento de não estar se sentindo confortável com determinada situação, mas que mesmo assim continua sendo simpático e sorridente. Além disso, consegue mudar de tranquilo para apreensivo com uma naturalidade incrível. Keener é sempre incrível e consegue passar uma tranquilidade e agir estranhamente no segundo seguinte, percorre diferentes emoções com extrema maestria, característica de uma ótima atriz com certeza. Os atores que fazem os funcionários da casa, Betty Gabriel – como Georgina – e Marcus Henderson – como Walter, são um show à parte. Não posso entrar em maiores detalhes, mas estão incríveis.

Em suma, eu achei Corra! um filme com um roteiro fantástico, fazia tempo que um suspense não me prendia tanto e não é à toa que está sendo indicado ao Oscar, o diretor Jordan Peele fez um ótimo trabalho. Agora, mantendo os pés no chão, sinceramente eu acho que Corra! não vai ganhar o Oscar de melhor filme, pois como eu disse antes, não por ser ruim ou algo do tipo, apenas por não ser o tipo de filme que costuma ganhar. Para quem gosta deste gênero, não deixe de assistir, pois este filme está fazendo história representando um gênero e uma abordagem completamente diferente na premiação mais aclamada para filmes.

rela
ciona
dos