Three Billboards Outside Ebbing Missouri

Lançamento: 15 de fevereiro de 2018
Com:  Frances McDormand, Woody Harrelson, Sam Rockwell, John Hawkes
Gênero: Drama

Quando Três Anúncios Para Um Crime garantiu quatro prêmios das principais categorias no Globo de Ouro percebi que precisava prestar atenção neste filme e não me enganei. Por mais que os outros indicados a Melhor Filme deste ano sejam extremamente ótimos, muito dificilmente irão tirar a estatueta das mãos deste aqui
Todos os dias, Mildred Hayes (Frances McDormand) passa pelo local onde sua filha acabou morta e estuprada. Sem suspeitos ou pistas e há meses sem receber satisfações da polícia sobre a investigação, Mildred resolve alugar três outdoors para reavivar o caso, pressionando assim a polícia de Ebbin e chamando também a atenção da mídia. Seu ato acaba afetando a vida de várias pessoas da cidade, principalmente a do Delegado Willoughby (Woody Harrelson), responsável pela investigação, e a dela mesma.
Três Anúncios Para Um Crime é um filme de uma mãe em busca de justiça. Com um roteiro a princípio simples, assinado pelo também diretor Martin McDonagh, o longa recebeu sete indicações ao Oscar e é preferido para Melhor Filme. A trama se desenrola a partir dos anúncios de Mildred, sua luta em mantê-los por mais um mês e as consequências disso para quem lhe apoia e para quem não está nem um pouco satisfeito com sua atitude.



O envolvimento dos personagens segue um viés quase que caótico, interpretados por um elenco de peso e de talento incomparável. Woody Harrelson, em seu papel, consegue prender o público não só na própria problemática de seu personagem, mas também no modo em que tempera a trama com fragmentos de humor em seus diálogos. Aliás, ele que escreve os diálogos mais reflexivos do filme. Sua interação com Mildred é densa e os dois atores em cena é um deleite, cada um interpretando seus próprios fardos, nenhum mais ou menos importantes, igualmente reais e injustos.
Sam Rockwell, que interpreta Dixon como personagem secundário, entrega ao público o típico policial destemperado, instável e politicamente incorreto, porém, no terceiro ato do filme enxergamos a outra face do personagem, que de certa forma justifica seus fins e o direciona para a redenção. Eu diria até que é Sam e Frances, com suas atuações impecáveis, que ditam o ritmo do filme, eles são ação e reação, frutos da dor e da perda.
E o que falar sobre Mildred? Com uma postura firme, forte e expressiva, Frances imprime uma mãe durona, que carrega em suas rugas a dor imensurável de perder uma filha. Cada sentimento de Mildred e transmitido em cada gesto calculado da atriz, em cada fala, em cada olhar e em cada silêncio. Uma mulher que se posiciona e inspira, que transmite raiva, gracejos e o que mais precisar para ser extremamente real.

Três Anúncios Para Um Crime é uma história que fala sobre a raiva que nos motiva, distribuída entre vários personagens. Fala sobre a mãe, que a partir de um singelo, mas impactante ato, move toda uma comunidade, os despe de toda a cegueira conveniente e busca dar os primeiros passos para além do luto. Muito mais do que um filme sobre um assassino, culpados e a resolução de um crime, este é um filme que falará sobre as consequências e o grande buraco negro que se instala na vida de quem fica pra trás.

O filme também traz de volta aos cinemas a impunidade da violência contra a mulher, trabalha tantos outros assuntos que o torna completo em sua mensagem. Racismo, luto, aceitação, ódio, preconceito, perdão, amor… são tantos os assuntos que eu poderia elaborar uma lista para confronta-los. É um filme incrível, que tem como base um enredo relativamente simples e para que isso seja extraordinário, basta trabalhar o turbilhão de emoções que conhecemos.

rela
ciona
dos