A Mulher na Escada | Bernhard Schlink

Título original: Die Frau auf der Treppe
Autor: Bernhard Schlink
Ano: 2018
Editora: Record
Páginas: 210

A carreira de Karl Schwind, pintor talentoso em busca de fama e reconhecimento, sofre sua primeira reviravolta quando, ao ser contratado para produzir a imagem de uma mulher descendo a escada de um ambiente requintado – sua primeira grande obra - acaba por apaixonar-se por Irene, esposa de Gundlach, aquele que lhe encomendou a amaldiçoada obra.

O quadro permanece nos domínios da residência de um marido abandonado enquanto Irene segue caminho nos braços de um pintor apaixonado, porém, Gundlach, em toda sua indignação, corrompe a bela e misteriosa obra. Assim inicia-se o conflito de interesses que, entre o orgulho ferido de dois homens respeitáveis, a personalidade forte de uma mulher e um quadro único, transformará a vida de cada personagem para sempre.

Em meio as discussões, a turbulência gerada por um pintor, sua musa, uma esposa e seu marido, um advogado é contratado para resolver, de uma vez por todas, o problema do quadro maculado, evitando futuros danos a sua aparência, bem como, em meio a uma proposta questionável, encontrar uma solução para o problema de Irene. Esta, por sua vez, ao permitir que cada um dos três homens ligados ao problema em questão, desaparece juntamente ao quadro que deu origem a tudo. Décadas após seu desaparecimento, o quadro surge em uma exposição de um dos mais importantes museus de Sidney, resultando na busca por respostas por parte de cada um dos homens que, no passado, teve sua vida tocada pela figura de Irene.

"As grandes e antigas derrotas levam nossa vida para uma nova direção. As pequenas não nos modificam, mas nos acompanham e nos atormentam, um pequeno espinho permanente na carne."

A Mulher na Escada não apresenta a pretensão de desenvolver-se como um mistério em que leitor e personagens são lançados em meio a buscas por respostas para os eventos sombrios de um passado distante. Com a delicadeza de uma escrita leve e acessível, esta obra não passa de uma grande reflexão sobre os caminhos pelos quais nos leva a vida, sobre todas as expectativas que depositamos nos ombros daqueles que, durante longos ou breve períodos de tempo, compartilham os caminhos que delimitam nossa jornada. 


Todo o contexto do desaparecimento da mulher e seu retrato não passa de um pretexto para despertar no leitor a percepção de que, em meio às certezas que possuímos com relação a todos aqueles que nos cercam, existem também dúvidas, inconsistências e nuances que, em meio a nosso olhar cansado, egoísta ou transbordando de amor, nunca poderíamos imaginar.

Partindo de um conflito de interesses, da ignorância de todos os envolvidos com relação aos sonhos, desejos, ambições e vontades de uma mulher, Bernhard Schlink remete a vida com graça, encantamento e uma narrativa curiosa, que, embora cuidadosa e leve, esconde em si a beleza das trajetórias humanas. Uma vez que passamos a vida em busca do equilíbrio entre os sonhos daqueles que nos cercam e nossos próprios objetivos e ambições, além de depositarmos nos outros, da mesma forma que depositam em nós, as dores e alegrias de viver, torna-se fácil compreender as verdadeiras mensagens desta obra.

Não passamos de uma construção, da união, conexão única e preciosa de todos os eventos que enfrentamos, da cultura que moldou nossa essência, da família que nos deu amor e carinho, das tristezas e planos nunca concretizados e, em meio a complexidade de quem somos, aprendemos a lidar com a complexidade daqueles que trilham, à sua própria maneira, os mesmo caminhos. São esses caminhos, as relações entre cada indivíduo e suas expectativas perante outros que transformam nossas vidas. São os sonhos, os fantasmas, as pessoas que amamos e aquelas que deixamos para trás a força capaz de construir nossa narrativa e, de forma clara, leve e delicada, o autor expressa todas e cada uma destas nuances em sua história.


A Mulher na Escada é uma obra única em sua simplicidade, porém, não se trata de algo nunca antes visto, de uma narrativa excepcional, de um mistério sombrio e intrincado, mas sim de uma reflexão sobre nossos caminhos enquanto indivíduos. 

É por este mesmo motivo que a obra transporta o leitor para a vida, o faz perceber-se nas páginas do livro, nos personagens da história, nas dores e desafios aqui apresentados. Com sua escrita leve, acessível e suas mensagens adoráveis, o autor ocupa-se da vida em um sentido muito mais essencial e, ao trazer a vida e as mensagens que não conseguimos enxergar para os domínios de uma obra de ficção, esse pequeno grande livro ressalta o poder que muitos ainda não reconheceram na literatura contemporânea.

14 comentários

  1. Izabel!
    Interessante ver que um livro de mistério, pode trazer acoplado, diversas reflexões para o cotidiano e sobre a real personalidade das pessoas que nos rodeiam.
    Gostei muito de ver que o autor trouxe várias artes para compor um enredo tão intricado e ao mesmo tempo, com simplicidade.
    “Palavras gentis não custam muito, e ainda assim conquistam muito. (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  2. No começo da resenha achei que o foco do livro era o mistério no desaparecimento do quadro rs. Mas parece ser uma leitura que deixa o leitor pensando sobre a vida dos personagens e de si próprio, os caminhos que escolhemos e as coisas que acontecem ao acaso. Mesmo com três estrelas fiquei com vontade de ler e saber o desfecho dessa história, me deixou intrigada.

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia esse livro e, apesar de não ser um gênero que me agrada, fiquei interessada.
    Gosto de leituras reflexivas e essa história parece ótima para ler e pensar, sem a preocupação de grandes acontecimentos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Izabel.

    É visível o quanto o autor foi genial, por, de maneira demasiada simplista, extrair e propagar algo para a reflexão do leitor. Por ir a fundo, fazendo então com que o leitor possa enxergar mais do que o autor estava entregando.

    Sem dúvidas, o quadro é de suma importância, visto que a história gira em torno dele.

    Assim que o vi e li sua sinopse, eu não esperava tanto desse livro. Vejo que me equivoquei em relação ao mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Puxa..rs Acho que nunca tinha lido uma resenha tão complexa e que já fez pensar só de olhar ela.
    A princípio a gente tem a certeza de que o livro traz um suspense daqueles, pela capa, título e premissa do enredo.
    Mas lendo a resenha,o foco da história é mais um jogar o leitor dentro de si mesmo e fazer com que nós, subamos as escadas da nossas almas e com isso, impor pensamentos e atitudes diferentes.
    Uma espécie de auto-ajuda vinda de outra forma.
    Gostei não!rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Oi Izabel, livros que nos fazem pensar e associar a nossa própria vida são muito interessantes e achei a resenha muito bonita e parece ter captado bem a essência do livro. Confesso que apesar de ter achado a capa bonita, inicialmente a obra não tinha me chamado a atenção, mas sua resenha despertou uma certa curiosidade e surgindo a oportunidade vou querer lê-lo com certeza. ;)

    ResponderExcluir
  7. Oiii Izabel

    Eu achava que esse livro era um suspense corriqueiro...rsrs. Gosto de histórias que nos convidam à uma maior reflexão, são tramas que geralmente sempre conseguem mudar algo em nós ou pelo menos nos convida a repensar. Eu ainda não sei se leria, mas com certeza a resenha me fez ver o livro com bons olhos e até como, quem sabe, uma possivel futura leitura.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  8. Olá Izabel!
    Segunda resenha que leio sobre esse livro e que me desperta mais interesse pelo enredo, gosto de leituras que trazem algo de bom ao leitor antes e depois da leitura, e este livro parece trazer isso, já está nos meus desejados.
    bjs!

    ResponderExcluir
  9. Achei interessante o que falou que o livro faz a gente pensar, como faz refletir assim sobre a vida, os caminhos que tomamos e tudo isso. Confesso que só pela trama, isso de um pintor fazendo retrato da mulher de outro e tudo que acontece não me chamou tanta atenção. Despertou um certo interesse porque me fez lembrar de um filme que vi esses dias, bem parecidinho com esse esquema de pintura e coisa e tal, mas no geral não é um livro que leria assim tão fácil. Gostei da ideia da reflex~]ao que ele passa, por isso até leria, mas não sei se é um livro que pego fácil. Fica a dica né, quem sabe alguma hora não cai em mãos e aí acabo lendo mesmo.

    ResponderExcluir
  10. Oi Izabel.
    Esse livro parece levar o leitor a fazer boas reflexões.
    Deve ser uma situação bem complicada se apaixonar pela esposa da pessoa que contratou um serviço seu.
    Fiquei curiosa para saber mais sobre o desaparecimento do quadro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá, Izabel
    Ainda não conhecia o livro, depois de ler sua resenha fui procurar outras resenhas. As opiniões são mais negativas do que positivas.
    Pela capa tinha imaginado que seria um thriller, mas é um livro que nos leva ter reflexões sobre nós mesmos, a vida.
    Quero ter a chance de ler já anotei na minha lista quero descobrir porque Irene e o quadro sumiram.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi Izabel,
    Não conhecia esse livro, mas sua resenha despertou o meu interesse. Gostei da forma que o autor construiu o enredo dessa história, trabalhando inúmeras reflexões a respeito dos mais diversos dilemas da vida em cima de um mistério, que alias, não é o foco da trama.
    Adoro leituras que nos fazem refletir principalmente com as tantas formas de relações, sejam elas enlaces amorosos, familiares, e também, nas expectativas próprias.
    Uma leitura bem curiosa e que despertou a minha atenção, só não vou criar muitas expectativas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá Izabel,
    É o tipo de livro que traz muita mais coisa nas entrelinhas, do que na história em si não é? E essa já é interessante, por conter quatro personagens que se misturam dessa forma. Sem dúvidas o mistério montado também é algo que faz o leitor viajar ... É um tipo de enredo diferente do que estou acostumada, mas gostei dessa proposta.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bom?
    O livro parece bem interessante, quando comecei a ler o livro, vi o titulo assumo que pensei que se tratava de um mistério e que teria uma coisa sombria e tal hahahaha, mas me enganei, achei bacana que o livro nos leva a refletir sobre nossas escolhas, ainda estou interessada em ler, o livro não é o estilo que estou acostumada a ler, porém parece que ele vale a pena.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir