Título Original: Queen of Geek

Autora: Jen Wilde
Tradução: Débora Isidoro
Ano: 2018
Editora: Minotauro
Páginas: 256
Amazon

Charlie, Taylor e Jamie são melhores amigos e estão partindo para a viagem dos seus sonhos. Graças ao sucesso de Charlie, como a mais nova estrela do cinema, todos estão embarcando para a SupaCon, a maior convenção geek do planeta. 
Charlie é youtuber e atriz. Por ser a estrela de uma grande franquia, ela é uma das principais atrações do evento. Nele ela pretende também provar a todos os fãs que conseguiu superar o fim do seu relacionamento com seu ex-namorado, Reese Ryan, também co-estrela da franquia. Porém, a vinda inesperada de Reese para a SupaCon acaba estragando completamente os seus planos. O que acaba distraindo Charlie do seu pequeno pesadelo pessoal é a convidada especial do evento. Alyssa Huntington que acaba suprindo todas as expectativas de Charlie como sua crush.
Do outro lado temos Taylor e Jamie. Jamie é o carinha fofo, compreensível e amigo legal, e Taylor, bem, ela quer apenas não ser notada. Ela quer viver sua rotina e sua estabilidade da forma mais tranquila possível, mas como esperar isso dentro de uma convenção da cultura pop, certo? Somada as suas inseguranças e ansiedade está também a sua quedinha por Jamie, porém, toda e qualquer mudança está fora de alcance para ela, até que o concurso de cosplay da sua personagem preferida surge e ela terá a sua chance de derrubar a primeira de muitas portas que ela mesma fez questão fechar.

Primeiramente, é preciso dizer que a autora Jen Wilde criou sua história num cenário atual, muito próximo ao meu ou o de qualquer pessoa que curta todo este universo geek, com cosplayers e fandoms. É quase que impossível não se identificar com as experiencias que estes três amigos passarão neste final semana juntos. Seja você como um leitor, com sua predileção com uma grande saga literária, com um novo filme que acabou de estourar ou com o dia em que acabamos tendo a oportunidade de conhecer o nosso autor preferido… são tantos os momentos especiais que podemos ter nestas grandes convenções, – e aqui você pode listar ComicCons, Anime Xtremes e Bienais – que é até difícil lista-las, mas eu lhes garanto que cada momento destes estará retratado neste livro.
Porém, muito além da minha identificação quanto aos gostos e hábitos que eu, Charlie, Jamie e Taylor compartilhamos está também a minha empatia em relação a uma personagem em especial. Taylor tem Transtorno do Espectro do Autismo, uma forma mais branda do autismo. Ela tem fobia social, sofre muito com isso e só de estar numa convenção com a SupaCon já é um grande passo para ela. Acompanhar os capítulos narrados por Taylor é entender na pele tudo que ela sente quando é confrontada com as coisas mais simples da vida. O simples fato de uma pessoa puxar assunto com você numa fila, andar por um corredor cheio ou o pavor de falar em público. Somado a isso, Taylor descreve muito bem sua ansiedade, outro transtorno psicológico que precisa ser mais debatido dentro da literatura, principalmente da jovem. Aliás, ela me rendeu os melhores quotes sobre o que é ter ansiedade, como é conviver com ela diariamente e como é lutar contra os medos que costumam dominar alguém com ansiedade. Está aí a minha identificação e do porquê ela ter ganhado meu coração. Eu entendi a Taylor do início ao fim.

“A ansiedade não é um ataque que explode de dentro para fora de mim; não é um vulcão que permanece inativo até ser despertado por um evento que sacode a terra. É uma companheira constante. […] Minha ansiedade é invisível para os outros, mas muitas vezes é o foco da minha mente.”

Wilde também ganha muitos pontos por ter criado uma personagem bissexual, que acredita que já tenha superado o fim do seu relacionamento, mas se vê confrontada por este fantasma quando o amor pode ter lhe sorrido novamente. Acompanhar todo este turbilhão de emoções pela ótica de uma celebridade, com todo o fandom que possui e toda a exposição na mídia que é inevitável, também foi muito legal. Eu me vi em cada página desta história, pois este mundo geek é toda eu, é tudo que eu gosto e onde mais me sinto bem.

As mensagens obtidas neste livro me deram um quentinho no coração. Ter conhecidos estes personagens e ter vivenciado suas experiencias foi incrível. Com vozes na narrativa, nós temos duas amigas, completamente diferentes uma da outra e cada uma precisando lidar com seus próprios conflitos internos e “esquisitices”. Na obra existe muita sororidade, girlpower e empoderamento, mas sem ser algo forçado. É real sabe? As duas histórias de amor que acontece aqui dentro são lindas, inspiradoras e o exemplo do que uma relação saudável deveria ser e por onde começar. Acontece como deve, no seu tempo e com pitada mágica que é estar numa convenção com tanta gente apaixonada por este universo. 
Toda a história de Rainhas Geek acontece num final de semana, então saibam que esta é uma leitura leve, que entretêm, diverte e apaixona. O tipo de leitura para se concluir com um sorriso bobo no rosto e aquela vontade de reviver todos estes momentos. Deve agradar jovens que estão entrando na vida adulta e estão prestes a enfrentar as primeiras decisões e as primeiras mudanças, mas com certeza vai conquistar qualquer um, pela essência que carrega em debater assuntos pertinentes. Isso é Rainhas Geek, é puro amor.


rela
ciona
dos