Título Original: Suprise Me
Autora: Sophie Kinsella
Tradução: Raquel Zampil
Ano: 2018
Editora: Record
Páginas: 378
Amazon

Iniciamos esse livro com Sylvie
descobrindo que seu marido fez algo errado. E logo depois temos Sylvie contando
como tudo aquilo começou.
Casados há dez anos, Sylvie e seu marido Dan vão em
uma consulta médica de rotina e lá descobrem que suas saúdes estão ótimas e que
possuem muitos anos de vida juntos ainda. O médico faz uma piada sobre isso e
diz que eles têm mais 68 anos juntos. O que seria uma boa notícia, já que o
normal seria ficar feliz em passar a vida junto de alguém de quem se gosta, no
entanto, os dois acabam ficando um tanto surtados com a notícia. O que eles
fariam com esses 68 anos juntos? Como não deixar a relação morrer? Então, Sylvie
surge com ideias inusitadas para que a relação não vire um tédio ao longo dos anos,
porém muitas acabam atrapalhando o casal.
O casal já tinha uma vida
perfeita no ponto de vista de Sylvie, então por que surtar tanto por isso? Mas
é aí que o leitor vai vendo algumas falhas nessa vida tão perfeita que Sylvie
acreditava que tinha com Dan. Ao longo do livro vamos descobrindo momentos que
fazem Sylvie ficar chateada, como o fato de Dan nunca querer falar de seu pai.
Sylvie tinha uma relação maravilhosa com o pai, que morreu em um acidente, mas
Dan por algum motivo acabou se distanciando do sogro antes que esse morresse. O que será que pode ter acontecido?

“Sempre fomos um ‘casal com C maiúsculo’. Unido. Conectado. Líamos os pensamentos um do outro. Terminávamos as frases um do outro. Achei que não poderíamos mais surpreender um ao outro. Bem, isso mostra que eu não sabia de nada.”


Já li vários livros da Sophie Kinsella e os adorei, porém em Mas
Tem Que Ser Mesmo Para Sempre?
eu não senti a escrita da autora que
sempre traz momentos divertidos com as adversidades da vida. Fui em busca de um
livro para me distrair e divertir, mas acabei encontrando outra coisa. Em
certos momentos, o livro tem um certo tom brincalhão, mas nada do que esperaria
de um livro da autora. Eu esperava mais desse livro.
No início os problemas conjugais
que Sylvie e Dan estavam enfrentando em seu casamento foram até que divertidos,
mesmo que eu não concordasse com todo o drama deles, mas depois me pareceu que
Sophie Kinsella se perdeu e acrescentou um drama a mais que ficou desnecessário
na história, fazendo com que sua personagem acabasse virando uma mulher obsessiva que
faria de tudo para salvar seu casamento e Dan um ordinário de marca maior.
Nesses momentos eu não conseguia ver o humor que tanto faz parte dos livros da
autora. Alguém que já leu o livro, sentiu o mesmo que eu?

“Dan não quer fugir comigo. Ele
quer fugir de mim.”

Bom, se você está pensando me ler
Mas
Tem Que Ser Mesmo Para Sempre?
, já lhe adianto que não espere aquele
humor tão gostoso da autora, mas apenas uma leitura para rir um pouco e se
sentir um tanto decepcionada depois.

Quanto a adição, eu adorei a capa desse livro, achei que é bem ao estilo dos romances da autora, mas pena que não reflete nada sobre a história. As folhas são amarelas e a diagramação é bem espaçada, sendo confortáveis à vista. A narrativa é em primeira pessoa e fica por conta de Sylvie. 

rela
ciona
dos