Uma Coisa Absolutamente Fantástica | Hank Green

Título Original: An Absolutely Remarkable Thing 
Autor: Hank Green 
Tradução: Lígia Azevedo 
Ano: 2018 
Editora: Seguinte 
Páginas: 343

April May é uma designer de 23 anos, moradora da cidade de Nova York, que trabalha para uma startup e divide um apartamento com Maya, sua namorada. Um dia, ao sair de madrugada do trabalho, April se depara com o que parece uma enorme escultura de um robô. Fascinada com aquilo que assemelha-se a uma obra de arte, a garota liga para seu melhor amigo, Andy, e juntos eles gravam um vídeo do robô, que ela vai carinhosamente apelidar de Carl

O que April não esperava é que seu vídeo iria viralizar e da noite para o dia, ela se tornaria famosa. Porém, mais do que isso, April não sabia que Carl não é único e que iguais a ele, existem 64 espalhados por todo mundo. Ninguém sabe como eles foram parar ali e suas propriedades físicas e químicas chocam a vários estudiosos. Com isso, teorias de que estes robôs são uma espécie extraterrestre, começam a se espalhar e provavelmente, April foi a primeira humana a fazer contato com eles. Em meio a uma confusão de sentimentos com relação ao que Carl é de verdade e o que isso significa, a jovem se vê ainda, tentando lidar e fracassando com relação a fama e as consequências decorrentes disso. 

“Em geral, o poder significa uma vida mais fácil. Isso está tão entranhado na gente que a maioria nem percebe quanto poder tem.” 

Uma Coisa Absolutamente Fantástica é o livro de estreia do autor Hank Green, irmão do nosso querido John Green. Hank é YouTuber e dono dos famosos canais Vlogbrothers, Crash Course e SciShow. Se arriscando no mercado editorial, Hank fugiu das temáticas de seu irmão e apostou na ficção científica. O livro foi lançado aqui no Brasil em setembro de 2018, pelo selo Seguinte, da Companhia das Letras.



Tendo como pano de fundo a ficção científica, o escritor aborda em seu livro questões muito pertinentes a sociedade atual, como o uso das redes sociais e o poder que elas tem exercido sobre nosso comportamento. Além disso, ele aborda também o fato da rede social atuar como ferramenta capaz de moldar a opinião pública e o ódio extremado e sem fundamento, que tem passado das redes para a realidade. 

A sua crítica e reflexão quanto a nossa sociedade atual e seus comportamentos são excelentes. Porém, acredito que para quem é fã de ficção científica, o livro deixou algumas lacunas abertas e não foi exatamente o que esperavam. Apesar da abordagem de robôs e vida extraterrestre, a mesma se deu de forma muito superficial, voltando o enfoque da narrativa para a sociedade humana. Contudo, a narrativa agradável e a escrita rápida do autor, proporcionam ao leitor uma experiência incrível de leitura. Acredito que pelo foco narrativo ser na primeira pessoa, nós construímos uma relação direta com o personagem, de modo que você passa a se colocar no lugar dele. 

“Ele era um dos milhares que ganhavam a vida vendo a realidade com as lentes de sua ideologia e propagando isso a todo volume na internet.” 



Provavelmente, muitos que já leram ou que vão ler, podem ter um certo ranço da personagem principal, a April May. Ela é extremamente impulsiva e toma umas atitudes que matam o leitor de raiva, porém, ela é uma jovem e humana. E a sua postura diz muito sobre o seu discurso, do fato de nos olharmos enquanto humanos. Então, mesmo me causando uma enorme vontade de gritar com a protagonista diversas vezes, o livro também me chamou atenção para entender o outro, enquanto pessoa e ser humano. Entender as suas atitudes e limitações, por carregarmos justamente aquilo que nos diferencia, nossos sentimentos. 

Uma Coisa Absolutamente Fantástica foi uma leitura extremamente prazerosa, mesmo deixando a desejar quanto ao seu teor de ficção científica. Acho que é algo que não só diverte, mas também, provoca no leitor uma crítica e reflexão. Fica a dica desse livro incrível.

7 comentários

  1. O mais gostoso neste livro, apesar de eu ainda não o ter lido, é que o autor não precisou usar da fama já feita do irmão e mesmo assim, conseguiu construir um cenário totalmente oposto ao de John!
    E isso é maravilhoso!!!
    Como não sou tão fã de ficção científica, até sorri ao saber que o autor não se aprofundou no tema..rs mas com certeza, os fãs devem ter sentido ausência deste aprofundamento!!!
    Espero poder conferir!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Tô quase no final e adorei o livro. Achei legal não pesar pro lado ficção científica viu. Ficou leve e interessante por ele ter dado mais foco pra garota, pra humanidade dela. Amei muita coisa. O fato dele brincar com o uso de redes sociais como twitter e YouTube foi bem legal e atual. A pessoa que faz e quem você é de verdade, a imagem que passa e a imagem que trabalha. O mistério com os robôs ta bem interessante. O negócio do sonho que adorei... Ah tem bastante coisa legal. Pra quem foi curioso com o fato do irmão do "a culpa é do John Green" fazer livro também, eu me surpreendi bastante. É uma leitura bem gostosa.

    ResponderExcluir
  3. Olá! É bacana, que mesmo se tratando de uma história de ficção cientifica, o autor conseguiu trazer um livro com uma leitura mais fácil, e até mesmo aqueles que não curtem muito o gênero, podem se aventurar, além disso, ele também conseguiu inserir a história na realidade que vivemos hoje, onde as redes sociais ampliam nossas diferenças, e a busca pela fama e poder podem destruir valores, conceitos e até mesmo vidas. Acho fundamental discutir e refletir sobre a situação atual do mundo onde vivemos (2019 promete). O sobrenome já havia chamado minha atenção, interessante saber que eles escrevem assuntos bem diferentes, fiquei curiosa para conhecer mais sobre a história.

    ResponderExcluir
  4. Não sou fã do irmão do autor, mas quem sabe eu goste mais desse autor ou não rs. Achei legal ter robôs na trama, gosto deles e também por não ter ficado tão cientifico, é que tem umas partes que são difíceis de compreender. Esse negocio de redes sociais e aparências, são bem importantes serem abordados, pois esta cada vez mais em alta na vida real. Mas confesso que iria me irritar muito com essa personagem, teria que ter muita paciência rs.

    ResponderExcluir
  5. Quero começar a me aventurar em livros de ficção cientifica, mas este não me cativou, gostei da resenha, mas acho que não é meu tipo de livro. Ando querendo ler Eu robô, dizem que é bom.

    Beijos,
    www.garotaeraumavez.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Izabela
    Este livro esta na minha pequena lista de desejos, a cada resenha que leio descubro curiosidades sobre a trama e fico cada vez mais instigada a ler.
    Mesmo que tenha deixado um pouco de lado a ficção científica esse livro é uma crítica sobre nossa sociedade atualmente como somos dependentes da internet, eletrônicos, nossas atitudes sobre pressão e fama entre outros assuntos.
    Espero ter oportunidade de ler, beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi Iza.
    Achei a trama bem interessante. Adoro ficção científica e fiquei super curiosa para saber mais sobre o Carl.
    Mas, parece que a personagem principal, a April May, consegue estragar bastante a leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir