Título Original: The Further Observations of Lady Whistledown
Autoras: Julia Quinn, Suzanne Enoch, Karen Hawking, Mia Ryan
Tradução: Ana Beatriz Rodrigues
Ano: 2018
Editora: Arqueiro
Páginas: 320
Amazon

Nada Escapa a Lady Whistledown, assim como o primeiro volume Lady Whistledown Contra-Ataca, é uma antologia organizada pela autora Julia Quinn em colaboração com as autoras Suzanne Enoch, Karen Hawking e Mia Ryan.
Dizem que quando algo dá certo, sempre se repete a dose. E é por este motivo que  a fórmula de Nada Escapa a Lady Whistledown é quase a mesma, aqui teremos quatro histórias, com personagens diferentes, mas que ocorrem no mesmo espaço de tempo, aliás, no mesmo evento, mas que em alguma eventualidade, acabarão se esbarrando. Claro que a afiada Lady Whistledown será o fio condutor de tudo que está acontecendo no inverno londrino de 1813 .
É inverno em Londres e o clima rigoroso acabou congelando o Rio Tâmisa e logo é aberta uma temporada de patinação. Aliás, pontos para as autoras que conseguiram trazer outro evento inédito para o gênero, pelos menos pra mim. Será uma festa que ocorrerá no local que servirá como cenário para as quatro história contidas neste volume se desenrolarem.

Suzanne Enoch, surpreende em Um Amor Verdadeiro, onde apresenta um casal que fora prometido ainda quando eram pequenos. Mas com Anne Bishop morando em Londres e Lorde Halfurst em Yorkshire, o enlace nunca pareceu sair da boca pra fora. Porém, tudo muda quando o nome de Lady Bishop aparece na coluna de fofocas mais conhecida da cidade. No conto mais longo, chamado Dois Corações, Hawkins nos apresenta Elizabeth Pritchard que, depois de anos, decide que vai se casar, porém seu interesse por um certo lorde, acaba despertando em Royce Pemperley, seu melhor amigo, um certo “ciúmes”.

Mia Ryan se mantém no posto de conto mais curtinho e apresenta Terrance Greyson e Caroline Starling, um improvável casal que devido a um mal entendido precisarão aprender a se comunicar melhor. Este é Uma Duzia de Beijos. Por fim, para coroar literalmente, temos o conto de Julia Quinn. Em Trinta e Seis Cartões de Amor teremos Susannah Ballister, uma jovem que fora uma temporada inteira cortejada por Lorde Clive, para no final, ser descartada. Para tentar consertar o que o irmão fez, David Mann-Formsley, o Conde de Renminster em pessoa acaba se aproximando da moça, porém nós podemos imaginar o que pode acontecer, não é mesmo?
Nesta antologia, comparada ao volume anterior, eu tive várias surpresas! Diferente do primeiro, este não teve todo aquele tom de mistério que nos envolve durante a leitura de todos os contos, mas é bem verdade que os quatro contos contidos aqui, sabem valorizar o cenário utilizado e seus encontros e desencontros, fazendo com que eu me envolvesse igualmente com cada trama. Um exemplo disso foi Suzanne Enoch, que infelizmente não me agradou tanto antes, mas neste volume me surpreendeu com um conto envolvente e objetivo, mas sem deixar de seduzir o leitor.
O conto de Karen Hawkins acabou em agradando mais, se tivesse que apontar um preferido, mas acredito que isso seja devida ao número de páginas a mais que sua história possui. Porém, Julia, literalmente, é a cereja do bolo. Seu conto não só apresenta um casal com as característica que mais adoro, mas o fato dela estar presente em todos os contos através das observações de Lady Whistledown. Ela é o que faz destes volumes algo tão especial e uma experiência maravilhosa de ser lida.

Este é um comentário que já fiz em minha resenha anterior, mas que é importante destacar novamente, apesar de ser um livro escrito a oito mão, é interessante perceber as características de cada autora estampadas nas páginas, as ferramentas que cada uma utiliza, o que preferem destacar no texto e o modo que narram suas histórias. Eu particularmente adorei e é esta também uma ótima oportunidade para quem ainda não conhece o trabalho dessas outras autoras.

Eu particularmente adoro contos e mesmo com o coração apertado de saudade e não querendo me despedir em algum casal, é ótimo já conhecer um novo romance logo em seguida. Um destaque especial para Elizabeth e Royce, não sei porque, mas eu adoro romances entre personagens que sempre se conheceram, mas que só precisavam de um empurrãozinho do destino para a paixão aflorar. Vocês podem entender este meu fascínio na resenha que fiz do livro Simplesmente o Paraíso do Quarteto Smithe-Smith.
Apesar de eu sempre enrolar para ler estes livros de antologias, eu sempre acabo amando a experiência. Adoro que eu consigo me envolver com todas as histórias e por serem curtas, a leitura acaba fluindo de um jeito ainda melhor. Nada Escapa a Lady Whistledown é um livro para quem quer adentrar no gênero e ter um gostinho do que é um romance de época, mas também um livro para os saudosos fãs de Lady Whistledown. Espero que estas quatro autoras continuem repetindo a dose, pois já vimos que é algo que dá muito certo.

Confira outros volumes da série:
1. Lady Whistledown Contra-Ataca
2. Nada Escapa da Lady Whisthedown

rela
ciona
dos