Sangue Real é o livro de estreia do autor Duílio Souza e nele, entre flashbacks do passado e um presente aterrador, conheceremos a vida de Charles, um fora da lei que está atrás de algo muito mais valioso do que qualquer dinheiro poderia pagar.

Após efetuarem um roubo aparentemente simples e corriqueiro em uma grande mansão, a quadrilha liderada pelo Bispo acabou descobrindo da pior maneira que há perigos muito piores à espreita do que os próprios policiais que logo estarão em seus encalços. Aparentemente tudo acontece após Bispo colocar as mãos num objeto misterioso, responsável por todo o seu plano até aqui. Mesmo que sua equipe não entenda muito bem o que Bispo está escondendo, todos já estão muito envolvidos para voltar atrás e agora o roubo acabou virando uma luta por sobrevivência. Como se não bastasse estarem sendo perseguidos por algo aterrorizante, eles precisarão se livrar também do Detetive Miguel, um homem atormentado e que possui seus próprios demônios, mas que não medirá esforços para colocar as mãos no responsável pelo desaparecimento da sua irmã mais nova.

Intercalando capítulos que nos mostrarão o passado e a corrida frenética que ocorre no presente, Duílio irá nos contar a infância do pequeno Charles que cresceu em uma favela em Minas Gerais e que agora é conhecido como Bispo. Ele nos apresentará os primeiros passos deste menino numa comunidade com poucas oportunidades até virar um homem feito e tomar as rédeas da própria vida. A jornada não é nada fácil e o pequeno Charles irá enfrentar altos e baixos durante o caminho. Será que no meio desse processo ela conseguirá se manter longe do líder do morro, seu padrinho Bodão?


A narrativa de Duílio é fluída e é bem verdade que sua premissa é ousada. Como li muito pouco sobre a sinopse do livro, logo fiquei surpresa quando percebi que um possível thriller policial acabou ganhando elementos sobrenaturais ao longo de suas páginas, mesmo que isso de fato, demore um pouco mais para se desenvolver. Diante a isso, fiquei bastante surpresa. O fato de o autor trabalhar o passado dos personagens tão profundamente nos prepara para o envolvimento desses personagens na trama e o porquê de eles estarem presentes e serem necessários para o desfecho. Neste contexto é tudo muito bem amarrado no livro e rendeu até um plot twist que eu, sinceramente, não havia descoberto.

Preciso dizer que há um pequeno problema de revisão na cronologia dos anos. No livro diz que se passaram 2 anos ou até 10, quando na verdade, no capítulo seguinte, não se passou nem um dia. Mas enfim, não é nada que atrapalhe de fato a leitura, pois é fácil de solucionar o problema se você tiver prestando atenção. A diagramação do livro é muito interessante, as páginas que revelam o presente são normais e as páginas do passado ganham um tom mais escuro. Em sua parte final, o livro ganha detalhes nas páginas, resultante a presença das criaturas que envolve todo o mistério do livro. Achei isso muito bem sacado e ajuda o leitor na hora de se achar durante a leitura.

Falando no elemento fantástico da história, gostei da forma como os mesmos são inseridos na trama, que é de forma gradativa, fazendo com que os leitores mais céticos até duvidem do que esteja realmente acontecendo. É apenas no final que você realmente vai ter certeza o que está acontecendo, qual é a ligação do Bispo com tudo isso e porque o roubo daquele objeto misterioso (lá do início) é tão importante. Por este motivo o desfecho é acelerado, o que pode ser um ponto positivo para alguns, mas nem tanto para outros leitores que buscam um pouco mais de contextualização dos fatos.
De forma geral, há recortes no livro que poderiam ser facilmente descartados e personagens que simplesmente somem ser deixar qualquer tipo de explicação, mas como este é um livro que deve ganhar uma continuação em breve, pode ser que eles ganhem a oportunidade de voltar. Os romances que ocorrem no livro também acontecem em tempo recorde, o que é uma grande falha na minha opinião, não há tempo para que o livro venda ao leitor tal relacionamento, o tornando algo falso. Tirando estes incômodos no enredo, a leitura deve impressionar leitores que buscam uma leitura mais dinâmica e que prezam por algo mais surpreendente.
Sangue Real é um livro que te entrega bastante ação, o que não deixa a história na mesmice, pelo contrário, ela instiga a você a continuar. É um suspense, com toque de fantasia e que me surpreendeu bastante. Eu até poderia comparar o livro a uma renomada franquia de filmes, mas seria entregar muito da história, portanto deixo apenas minha recomendação. O autor soube levar seu livro no ritmo certo, com pequenos deslizes, mas muito mais acertos. Duílio é um autor que deve aparecer mais em nosso cenário de terror nacional e isso é realmente muito positivo.

Título Original: Sangue Real
Autor: Duílio Souza
Ano: 2018
Editora: Luva Editora
Páginas: 338
Venda

rela
ciona
dos