Cheguei hoje as 04:35 da manhã tentando digerir tudo que tinha assistido e como consequência, cenas dos filmes anteriores voltavam como flashes me fazendo sorrir ou me emocionar ainda mais. É inevitável, depois de todos estes anos, não se lembrar de todos os melhores momentos, muitos que seguiram sendo referenciados depois de anos.

O resultado foi que ao longo de todo caminho pra casa, é como se eu tivesse sido preenchida por um sentimento de saudade, de nostalgia e papel cumprido.

Eu tinha imaginado fazer uma crítica no formato que costumamos fazer aqui para o site, mas com este, simplesmente não dá. Então resolvi simplesmente escrever. Falar apenas sobre minha experiência, livre de qualquer spoiler, mas também pesar o que a Marvel fez ao longo desses 10 anos até chegarmos ao dia de hoje, a uma das conclusões mais admiráveis de uma franquia (que não terá seu fim, mas que com certeza teve um ciclo concluído).

Como sou grata por ter acompanhada esta trajetória desde o início, desde o primeiro filme quando o gênero era ainda uma aposta. O Homem de Ferro não foi compreendido por todos em 2008, talvez, o herói Tony Stark, tenha despertado a antipatia de muitos, mas ele sempre foi meu preferido, e é. A partir daí surgiram muitos heróis, Capitão América, Hulk, Thor, Viúva Negra, a construção dos Vingadores, Shield e muitos mais, mas todos ganharam nossos corações.

Este é um universo sempre contou com o apoio dos quadrinhos, mas buscou seus próprios méritos como adaptação cinematográfica. Foram 10 anos de aposta em cima de aposta, de uma fórmula sendo construída desde a sua essência até o resultado final, que levou fãs (e seguidores) em diversos pontos do mundo as lágrimas. E eu fui uma delas.

Você não precisa saber muito para saber que em Vingadores: Ultimato iremos acompanha-los tentando lidar com os acontecimentos do último filme. Nossos heróis preferidos estão de luto, tentando seguir em frente após metade dos seres vivos do universo (e não só da Terra) ter sido eliminada. A interferência de Thanos afetou a todos e será entre os dilemas individuais que isso causou em cada um dos que sobreviveram que perceberemos que não há como continuar. Nada mais será o mesmo e tudo está perdido, não há perspectivas de futuro, não até que uma nova oportunidade surge para que eles consigam mudar o rumo da história.

Que filme senhores! Nada vai prepará-los para o que os espera e isso é muito incrível. Saber que ano após ano, filme após filme, a Marvel se supera, se reinventa, inova e surpreende seus fãs. O que os Irmãos Russo construíram aqui não é brincadeira, é pontinha amarrada com pontinha, ao mesmo tempo em que um leque de novas possibilidades também foi apresentado. No filme, a mais singela referência faz sentido depois de tanto tempo, fazendo com que o filme seja um grande fan service, mas não no sentido ¨perjorativo¨ que agora vem acompanhado a esta palavra, mas sim no sentido de entregar tudo que um fã da Marvel sempre sonhou.

E se houve uma forma diferente de fazer isso acontecer eu desconheço. Todos os personagens ganham destaque, expressam importância, são lembrados e ganham seus desfechos.

No cinema, entre cenas e outras, os fãs vibravam, suspiravam e choravam, uma reação genuína do que é ser fã desta franquia, que prometeu tanto e de fato entregou. Ainda há muito o que se aprender com a Marvel e nós fãs só temos o que ganhar. Devemos agradecê-los até a invenção das cenas pós-créditos, algo tão esperado a cada filme, mas que nesse (e aqui vai um spoiler válido) não existe. Confesso que este fato martelou a minha noite que já estava batizada de emoções.

Mesmo agora, depois de horas que já assisti ao filme, ao lembrar de cada cena eu me emociono, vejo o quão grandioso foi tudo isso. Não há como não se identificar com estes heróis que representam tanto para cada um de nós. Em suma, eles são ou expressam o que em nossos desejos mais íntimos gostaríamos de ser, fazer ou pensar. Acho que está aí a grande magia.

Haverá algumas despedidas, não tinha como não ter. Mas eu tenho certeza que você, assim como eu, sairá satisfeito com todo o turbilhão de emoções que este filme vai te proporcionar, e mesmo com algumas lágrimas nos olhos, aquele sentimento de reconhecimento vai estar lá. Mesmo com uma saudade imensa, eu tô pronta para um novo ciclo, para mais 10 anos, pra tudo que a Marvel resolver criar. Pode ser que existam erros e acertos ao longo do caminho, mas ao final, se for como agora, tudo vai  valer a pena.

Eu meio a tantas exigências, a responsabilidade da Marvel (e quando digo Marvel incluo todos os envolvidos na produção) foi e continuará sendo imensa. Eles elevaram o nível, fizeram história e mostraram como se cria um universo inteiro e não apenas um filme. Que pode ser galhofa quando quiser, mas também sabe ser tão profundo e intenso quando necessário. Pode tudo, quando o resultado final é bom.

Enfim, sinto que falei, falei e não disse nada. Mas nem acho que consigo de fato, só eu sei o aperto que tá aqui dentro deste coração e o quentinho que mesmo assim ficou. Ser fã é isso afinal, sentir.


Avengers: Endgame

Lançamento: 25 de abril de 2019
Com:Robert Downey Jr., Chris Evans, Mark Ruffalo, Scarlett Johansson e mais.
Gênero: Ação, Aventura, Fantasia
Direção: Joe Russo e Anthony Russo

rela
ciona
dos