O que você acha da ideia de reunir em um livro sobre crimes escritores de três nacionalidades diferentes? Kike Ferrari e Nicolás Ferraro, representando a Argentina e Rodolfo Santullo, diretamente do México, se juntam ao trio brasileiro composto por Cesar Alcázar, Paula Bajer e a magnífica Cláudia Lemes para contar histórias sangrentas, com muito realismo e suspense.

O volume tem poucas 120 páginas e por este motivo os contos são curtos e bem sucintos, acelerando o desenvolvimento da história, o que é comum em livros neste estilo. O desenvolvimento, faz com que o leitor deixe de lado gostos como, no meu caso, que aprecia uma ambientação mais rebuscada e de um melhor detalhamento das cenas. Eu gosto de me sentir parte do livro e gosto que o autor fale sobre os móveis dispostos numa sala, por exemplo. Esta era uma característica bem desenvolvida nos livros do Sherlock Holmes, escritos pelo mestre Arthur Conan Doyle, nestas obras, cada detalhe da cena é registrado, principalmente pelo fato de algumas páginas adiante, um daqueles detalhes servirem como pista principal para a resolução do caso.

Doyle conseguia empregar isso também em livros de contos e o mesmo acontece em Onda de Crimes. Todos os autores conseguem empregar uma grandiosa ambientação e descrição das cenas nos seus contos, o que difere essa coletânea de outras. Mesmo ele sendo um livro pequeno, a narrativa consegue passar muito bem a imagem de cada cena para que o leitor consiga se imaginar assistindo aquilo in loco.

Minha intenção com as resenhas que faço nunca é contar a história do livro para vocês e sim dar um panorama geral do livro, com os pontos que mais e menos me agradaram, para que o potencial público alvo consiga ser atingido e como consequência, se interessar pela obra. E isso não seria diferente em um livro de contos, onde existem seis histórias diferentes, porém, vou falar sobre o conto que mais me agradou, Rosa de Paula Bajer.

O conto falará de uma mulher que escuta tiros em determinada noite em sua vizinhança, ela sabe de onde eles vieram, mas não dá bola, até saber, na manhã seguinte, que ocorreu um assassinato ali, e talvez ela seja a principal testemunha do caso. O conto relata o emocional dela, passando ao leitor a real sensação do nervosismo que ela está vivendo e das coisas que a cercam. E o mais legal é que a escritora se utiliza da ambientação textual para dar a visão perfeita ao leitor de como Rosa estava posicionada para saber de todas aquelas coisas e dos perigos que ela tem em sua volta. Você tem a sensação de que ao invés de estar lendo, está na verdade sendo telespectador de algum seriado policial.

Outra coisa que me fez gostar muito da obra foi o fato do último conto, Aqui Há Monstros de Cesar Alcázar, ser ambientado na minha cidade natal, Porto Alegre. É difícil lermos obras atuais que mostrem lugares conhecidos da nossa cidade, poder ler sobre crimes que acontecem em algum lugar que faça parte do seu cotidiano é sempre maravilhoso, ainda mais se você tem a possibilidade de passar por aquela rua depois de ter lido. Isso faz com que o autor não precise se preocupar tanto com a ambientação e deixa para o leitor, o poder de visualizar o ambiente descrito e essa é uma ótima experiência.

Mas se tratando de uma edição que reúne várias histórias, diferentes e vários autores, nem todo conto funcionou para mim. Confesso que quando fiquei sabendo deste lançamento, a primeira coisa que me chamou atenção na obra foi a presença da autora Cláudia Lemes. Eu fiquei extremamente ansioso para ler seu conto e acabou que dentre os seis contos existentes, O Estranho, da autora acabou sendo um dos que acabaram me decepcionando. Ele é muito aberto e não trata de uma investigação ou de um crime sanguinário como estamos acostumados a ver nos livros dela. Ela claramente tenta fazer algo diferente para a antologia e por este motivo sai da sua zona de conforto. De fato, o conto não é ruim, mas eu tinha criado uma expectativa completamente diferente para a leitura.

Para finalizar, outro grande motivo para ler Onda de Crimes é a oportunidade de conhecer o que outros escritores latinos têm de bom com seus textos de assassinatos e como esse tema é abordado em outros países parecidos com o nosso. Aliás, gostei muito dos contos estrangeiros e com certeza irei atrás de mais obras de Kike Ferrari, Nicolás Ferraro e Rodolfo Santullo, mesmo o conto desse segundo, Teia de Aranha, ter sido o que menos me agradou na obra.

Ondas de Crimes é uma antologia para todos os fãs do gênero, nem todos serão sobre assassinatos, nem todos serão tão óbvios e nem todos terá um crime como assunto central da trama, mas envolverão diversos elementos e nuances do mundo da literatura policial e as consequências que estas histórias podem causar em nossas mentes. Vale a pena, é uma leitura rápida e agradável, fácil e bem interessante, principalmente se você mora no Sul e gostaria de ler mais livros tendo a sua cidade como cenário principal ou ambientados em países diferentes.

Falando sobre o novo selo da AVEC, Safra Vermelha é o selo de Literatura Policial da editora e seu nome presta homenagem à obra-prima Red Harvest, de Dashiell Hammett.  O selo tem como objetivo promover o melhor das histórias de crime produzidas na América Latina e além, unindo nomes contemporâneos aos clássicos do gênero e Onda de Crimes é sua primeira publicação.

Me contem, vocês gostam de ver livros ambientados na sua cidade? Qual a melhor obra que tem sua terra natal como cenário?

  • Título Original: Onda de Crimes
  • Autor: Vários
  • Ano: 2019
  • Editora: Avec
  • Páginas: 120
  • Amazon

rela
ciona
dos