Título Original: The Duke and I
Autora: Julia Quinn
Ano: 2013
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Compre aqui

O Duque e Eu da série Os Bridgertons é o primeiro contato com romances de época que tive, eu fiquei totalmente encantada com este universo antigo e regrado. Voltei ao passado e morri de vontade de estar lá para usar aqueles vestidos longos e pesados. Sai da minha zona de conforto e adorei. Os costumes, as descrições, os trajes, as famílias, tudo é muito bem detalhado no primeiro volume da série e agora vou contar para vocês um pouco da história e as minhas impressões.
Os Bridgertons contará a história de oito irmãos, sendo 4 homens e 4 mulheres. Em O Duque e Eu conheceremos a história de Daphne ou seja, a quarta filha e mais velha entre as mulheres. Em 1813, as jovens donzelas têm um “prazo” para se casar, depois de debutar elas começam a frequentar, juntamente com suas mães e irmãos os bailes pertencentes à “Temporada”. Nestes bailes luxuosos elas são apresentadas a sociedade e aos seus possíveis pretendentes. 
Daphne quer escolher alguém que ame e que a ame para se casar e construir uma grande família. Seu irmão mais velho Anthony – Visconde e também chefe de família, apoia a decisão da irmã, o que não agrada nada a viúva Viscondessa Violet Bridgerton.

“…é lamentável que a viscondessa, que está atrás de bons casamentos para a prole, não tenha tido filhos mais elegantes. Ainda assim, há vantagens numa família de aparência tão consistente: não há dúvidas de que todos são legítimos. Ah, gentil leitor… Sua dedicada autora gostaria que fosse assim entre todas as grandes famílias…”

Crônicas da Sociedade de Lady Whistledown, 26 de abril de 1813
Mas voltando um pouco na história… o livro na verdade inicia com o nascimento do Duque em questão. Simon Basset nasceu de uma gestação complicada e de risco, o desejo da Duquesa em dar um herdeiro para o Duque era enorme e com isso acabou pagando com sua própria vida instantes após o nascimento do filho, fato que pouco importou ao Duque, pois seu propósito já estava feito.
Simon cresceu sabendo que a permanência do Ducado em sua família era mais importante do que qualquer outra coisa, criado por sua ama durante toda a vida e distante dos maus tratos do Duque, que só o queria como uma cópia sua, fez com que o jovem rapaz repudiasse seu pai e o título que lhe pertenceria. Anos mais tarde, Simon por coincidência, terminará sua faculdade com Anthony e depois que seu pai falece, Simon volta à Londres para resolver alguns negócios da família.

Me arrisco a dizer que apesar da série se chamar Os Bridgertons e a protagonista da vez ser Daphne, literalmente o livro é sobre Simon e seus desafios. Se engana quem acha que é através de Anthony que ambos vão se conhecer, os dois acabam se encontrando em uma cena para lá de inusitada, regada de humor afiado e curiosidade de ambas as partes. Com a escrita inteligente e de linguagem simples, para mim é nesta parte que Julia Quinn me ganhou. Daphne me provou que é uma mulher à frente do seu tempo o que torna a trama a partir daí muito mais envolvente.

“- Sabe, eu achava que você ainda não tinha se casado porque seus irmãos haviam assustados todos os pretendentes, mas agora me pergunto se não fez isso sozinha.”

Simon é bonito, agora rico, bem educado e solteiro, é claro que a mulherada solteira da sociedade caiu como abutres em cima do jovem e bem sucedido Duque de Hastings e isso era tudo que Simon não queria, pois ele tinha um segredo e isso incluía não se relacionar com ninguém. As coisas não iam ás mil maravilhas para Daphne, que era cortês demais fazendo que todos seus possíveis pretendentes a vissem apenas como uma amiga. 
É um querendo ajudar o outro que inusitadamente ambos entram em um acordo. Eles fingiriam! Simon cortejaria Daphne, assim aumentariam os interesses de outros rapazes na jovem. E com uma pretendente em vista, Simon não seria mais tão abordado pelas jovens solteiras da sociedade, muito menos pelas mães casamenteiras desesperadas.

“Eu quero um marido. Uma família. Não é tão bobo quando se pensa nisso. Sou a quarta de oito filhos. Só conheço famílias grandes. Não sei se saberia existir fora de uma.”

Indico o livro para todos que querem um romance gostoso de ler e encantador, ao final do livro dei suspiros, por que a história desses dois personagens é envolvente demais. Li o livro super rápido e apesar de parecer clichê, por ser um livro de época me pareceu tudo mais original. 
A presença de outros personagens é marcante, aos poucos você vai pegando detalhes daqui e dali e começa a visualizar os próximos personagens da série. A autora ganha pontos fortíssimos ao abordar bem, o bom relacionamento que os Bridgertons têm, principalmente detalhando a super proteção que os irmãos têm com Daff.
Cada capítulo tem uma pequena introdução, com alfinetadas das Crônicas da Sociedade de Lady Whistledown, uma fofoqueira que parece conhecer todo mundo, suas palavras maldosas agregam ainda mais na história. Eu já desconfio de quem possa ser essa tal personagem, mas vou esperar os próximos volumes da série para ter certeza.
Concluindo, O Duque e Eu é uma história que vai te arrebatar pela forma que a autora lida com problemas vistos como sérios na época e de que forma a sociedade lidava com isso. Que é possível construir uma nova vida e uma nova família com base no amor e confiança, deixando todos seus traumas e fantasmas para trás.

Confira a série Os Bridgertons:
1. O Duque e Eu
2. O Visconde que Me Amava

rela
ciona
dos