Moonlight: Sob a Luz do Luar – Crítica

23 fev, 2017 Por Raissa Martins

Moonlight

Lançamento: 23 de Fevereiro de 2017
Com: Alex R. Hibbert, Ashton Sanders, Trevante Rhodes
Gênero: Drama

Moonlight – Sob a Luz do Luar (dirigido e roteirizado por Barry Jenkins) conta a história de Chiron, um tímido garotinho que vive em Miami que desde cedo sofre bullying na escola sendo chamado por seus colegas de homossexual.

Um dia ele encontra um homem que o ajuda em uma situação difícil. O garoto não tem o pai por perto, então o homem (que na verdade é um traficante local) acaba lhe servindo como uma referência masculina. Mas não no sentido negativo, ensinando coisas ruins e sim de forma positiva, dando abrigo e comida para Chiron quando ele precisa. Conforme amadurece, Chiron passa a fazer algumas descobertas sobre ele mesmo e sua personalidade. O filme retrata a infância, adolescência e fase adulta de Chiron. É como se a história fosse dividida em três capítulo, um para cada fase diferente da sua vida. Seus interpretes serão Alex R. Hibbert quando criança, Ashton Sanders quando adolescente e Trevante Rhodes quando adulto. 

Comete um grave erro quem já classifica Moonlight, como sendo mais um daqueles filmes que retratam a vida de um menino negro e pobre dos EUA. Claro que essa realidade serve como pano de fundo para contar a história de Chiron, mas o filme realmente se trata da eterna busca por autoconhecimento. Chiron é um personagem que qualquer um pode se identificar, pois essa incerteza sobre quem somos e o que queremos da vida está presente em todo ser humano. Cada um de nós já parou, pelo menos uma vez na vida, para se perguntar se realmente nos conhecemos, se realmente entendemos nossos próprios sentimentos e as razões por trás de nossas ações.

E é conforme a história se desenrola que vamos nos identificando cada vez mais com o protagonista e com seu dilema. Porque independentemente de nossa etnia, orientação sexual, gênero ou qualquer outro rótulo que a sociedade invente, temos uma coisa em comum: estamos sempre nos renovando e nos redescobrindo.
Moonlight está entre os favoritos para ganhar o Oscar de melhor filme, entretanto, também concorre na categoria de melhor diretor, com Barry Jenkins, melhor ator coadjuvante, com Mahershala Ali, melhor atriz coadjuvante com Naomi Harris, melhor roteiro adaptado, melhor fotografia, melhor edição e melhor trilha sonora. É um filme emocionante, com uma narrativa direta e simples. Não há como não se identificar com o enredo e se sentir representado por Chiron.

rela
ciona
dos