Título Original: Fairy Tales #2 – When Beauty Tamed the Beast
Autora: Eloisa James
Tradução: Talita Uba
Ano: 2017
Editora: Arqueiro
Páginas: 320
Amazon

E se Bela fosse uma jovem donzela não tão perfeita assim? Que fosse convencida de sua beleza e não tivesse pudores de usar tal atributo? E se a Fera fosse um sisudo lorde que carrega uma grande dor, daquelas que transformaria qualquer bom homem num monstro indomável? Eloisa James estreia no Brasil com a releitura de um dos clássicos dos contos de fadas mais famosos mundialmente, recontando a história onde mais uma vez a Bela encanta a Fera, que lhe entrega o coração.
Linnet Berry Thrynne é uma jovem destemida. Bastante bela e muito inteligente, conseguiu encantar o próprio príncipe. Porém, como não herdaria nenhum título da nobreza relevante o bastante para um futuro, ele não poderia corteja-la oficialmente. Isso não impediu que as más linguas arruinassem sua reputação e por este motivo, Linnet, seu pai, o Visconde Sundon e sua tia, Lady Etheridhe, bolaram um plano para conseguirem o quanto antes um casamento, para que logo seu nome fosse esquecido dentre tantos escândalos da realeza.
Piers Yelverton, o exilado Conde de Marchant, acabou sendo o escolhido. Apesar de nobre, Piers formou-se médico e exerce a profissão em seu lindo castelo no País de Gales. Ele atende dezenas de pacientes e ensina um pequeno grupo de estudantes. Seu pai, o Duque de Windebank, acredita que ao conseguir uma esposa para o filho, teria uma boa oportunidade de se aproximar e um herdeiro já se fazia necessário, assim, ele aceita a proposta do Lorde Sundon. Por conta de um acidente misterioso, Piers sofre diariamente com uma dor excruciante na perna, o que o moldou durante anos. Por causa da dor, ele afasta tudo e a todos com seu humor destemperado e nunca se interessou por uma mulher, até Linnet chegar em sua residência. 

” -Ah, mas eu acho que somos perfeitos um para o outro – disse ela, só para cutucá-lo. -Um médico totalmente maluco – esse sou eu – e uma beldade terrivelmente conivente – essa é você – mancando juntos rumo a vida de felicidade? Duvido muito. Você tem lido contos de fadas demais.” 

Linnet e Piers literalmente soltam faíscas quando se encontram, ela não se intimida com o desbocado médico e nem ele se rende aos jogos de sedução da bela moça. Juntos, os dois protagonizam diálogos sarcásticos e cenas cômicas. Por este motivo, a leitura do livro é um deleite, as páginas correm como água e é impossível não o finalizar querendo mais. É incrível, em meio a tantas alfinetadas e ao fogo cruzado, o leitor se envolve completamente com o enredo e com estes personagens principais e secundários de presenças tão marcantes.

Inspirado no Doutor House da série de TV, Piers nos ganha logo no início. Ele carrega todas as principais características do personagem. Não é nem um pouco cavalheiro, é muito mal-humorado e sem papas na língua, porém, também se destaca pelos seus próprios méritos. Conquista o leitor por sua personalidade e com seu próprio jeito irônico e sagaz em suas tiragens. O típico humor inteligente que por tantas vezes diverte. O personagem tem uma bela história, sofrida e solitária, superou da sua maneira os problemas que encontrou pela frente, e apesar do seu comportamento, se mostra igualmente caridoso com seus pacientes e alunos.
Linnet por vez é bastante determinada, dá seu jeito mesmo dentro de uma sociedade onde não existia voz para as mulheres. Louca por literatura, ela é completamente a frente do seu tempo, é uma mulher que sabe o que quer e o que procura, e nada e nenhum lorde carrancudo poderia detê-la. Linnet é a mocinha perfeita para domar nosso protagonista, ela se posiciona e rebate igualmente os maus tratos de Piers. Poucos a pouco, ela rouba a atenção e também o coração do conde que a menospreza desde o primeiro dia em que colocou os olhos nela.

Se você é um fã apaixonado por romances de época, deve saber que as histórias de Eloisa James são mais sensuais e descritivas. É uma autora que vai direto ao ponto. Nada nos personagens é imaculado, ela descreve tudo, cenas e pensamentos. Até palavrões, que são pouco habituais, poderemos encontrar ao longo da leitura, mas fiquem tranquilos, é tudo muito natural vindo de personagens tão desbocados. Bastante lógico na verdade e nem um pouco exagerado. Nada disso que citei descaracteriza o enredo e muito menos o contexto, mas entendo que isso pode ou não agradar. Eu sinceramente adorei. Gosto quando dentro de um mesmo gênero as autoras buscam suas próprias características e peculiaridades, sem dúvidas, a narrativa de Eloisa foi um ponto positivo para mim.
Quando A Bela Domou A Fera é uma história de superação, transformação e perdão, é um livro espirituoso que relembra velhos valores de uma forma bem-humorada e que emociona na dose certa também. O livro deverá aquecer os corações mais gelados, assim como o de Piers. Entre alfinetadas e beijos de tirar o fôlego, Piers e Linnet formam meu casal atrevido preferido. Nos próximos volumes da série teremos a releitura de Cinderela e O Patinho Feio, sendo que o próximo será lançado em setembro. 

rela
ciona
dos