Título Original: A Thousand Boy Kisses
Autora: Tillie Cole
Ano: 2017
Editora: Planeta
Páginas: 400
Amazon


Quando tinham apenas cinco anos, Rune e Poppy davam início a uma grande amizade e que na adolescência, floresceria pra um intenso amor. É como se no primeiro instante em que se viram o destino tivesse traçado suas vidas, um para o outro, juntos. O destino tem dessas coisas, nos une a pessoas nos momentos mais derradeiros, mais impensados. É ele também o responsável pelas mais dolorosas rupturas.

No dia em que Rune Kristiansen e sua família se mudaram da Noruega para os EUA, ele conheceu Poppy, sua vizinha e quem seria sua melhor amiga a partir dali. Aos oito anos, Poppy recebeu da sua avó um pote com mil corações de papel. Ela deveria preencher estes papéis com mil beijos de garoto, mas apenas aqueles que fizessem seu coração explodir de felicidade. Foi neste dia que Rune garantiu ser o primeiro e único menino comprometido a preencher o pote de beijos de Poppy.
Já adolescentes e inseparáveis desde sempre, Rune e Poppy estavam prontos para dar um passo a mais, porém, uma notícia inesperada os separa repentinamente e não há o que possa ser feito. Depois de dois anos, Rune está de volta e completamente mudado. Alimentado pela raiva, ele está focado em reencontrar Poppy e confronta-la do porquê, durante os dois anos que ficaram separados, ela o afastou completamente, sem que nada que eles tivessem vivido até ali tivesse significado alguma coisa.

Beijo 1. Com meu Rune. No bosque florido. Meu coração quase explodiu.

Antes de falar sobre qualquer ponto de Mil Beijos de Garoto, é preciso dizer que o livro foi feito para chorar. Do início ao fim isso é possível, dependendo da forma que você como leitor lida com certas problemáticas em um drama. Comigo tudo funcionou e eu chorei em cada ato do livro, inclusive e ainda mais, após a leitura. Desde que o finalizei, fiquei remoendo a forma que eu poderia falar sobre o livro, sobre os sentimentos que ele despertou e o que ele significa. Agora vou tentar colocar um pouco em ordem todo este misto de emoções.

Após o retorno de Rune a cidade, sabemos que ele não é mais o rapaz doce que era, apaixonado por fotografia e cheio de planos para o futuro. Rune desenvolveu muito ódio pela família, culpada por ele pelos seus problemas, e como uma válvula de escape, Rune passou a se envolver com o pior tipo de companhia e ter hábitos que antes não tinha. Poppy apesar da sua decisão em se afastar não mudou, pelo contrário, isso a fortaleceu na medida do possível. É notável a dor que ela carrega por tal decisão, afinal, não é qualquer um que abre mão do seu verdadeiro amor, mas ela o fez. Não é a escolha mais sábia, mas conseguimos compreender, pelo menos um pouco, as suas motivações. Ela é uma personagem admirável, o tipo pessoa que gostaríamos de ter por perto. Sua crença na vida e na beleza de cada gesto nos prende um sorriso no rosto. Poppy é amor da cabeça aos pés e estar ao lado dela é se sentir tocado intensamente pelo sentimento.

Falar mais sobre o enredo é estragar quase que por completa a experiência literária de qualquer um, então por este motivo, foco apenas na relação de Rune e Poppy, no amor criado por eles e na forma que eles lidam com todas as intempéries que enfrentam. A autora Tillie Cole acerta em criar dois personagens extremamente palpáveis e com problemas reais. O amor entre eles pode parecer perfeito demais para alguns, mas não tão improvável assim. Ao longo de todas as páginas sempre há algum momento onde o leitor pode se colocar no lugar dos personagens, compartilhando as mesmas aflições. Com certeza muito do que está aqui já foi ou será vivido por alguém, por nós ou por alguém muito próximo de nossos círculos sociais. É isso que torna Mil Beijos de Garoto tão tocante, que nos pega pela alma e pelo coração.

O amor desses personagens é tão puro, tão inocente e deveria ser intocável. Por muitas vezes esbarrei com livros que abordam o amor de forma tão banal e leviana, que nos deparar com o que temos aqui chega a ser um presente. Quando nos deparamos com um amor como o de Rune e Poppy nos sentimos envergonhados, por não ter acreditado que um amor desse exista, mas aqui, em cada gesto, toque ou palavra, em cada página, é possível ver e sentir todo a imensidão deste sentimento.

“- Por que eu preciso tão desesperadamente tirar uma foto sua quando você ri assim? […] – Por que não importa o quanto você proteste e exale uma aura de escuridão, você luta pela felicidade, você deseja ser feliz.”

Essencialmente, o livro nos proporciona uma certa reflexão sobre a vida, sobre o que estamos fazendo com ela e se amamos as pessoas como deveríamos. A vida é curta e com um simples toque do destino podemos acabar como vítimas das injustiças dele. Poppy e Rune nos proporcionam isso com suas histórias, o melhor ensinamento de Mil Beijos de Garoto é a valorização do amor, o peso das palavras jogadas ao vento e do significado de um abraço quando mais precisamos.

A leitura é dolorosa, mas incrivelmente arrebatadora e tão cheia de significado. Após ele me vi imaginando sobre a importância de ser grata e sobre dar valor aos pequenos momentos felizes que vivemos. O final rende uma boa conversa, eu particularmente acharia o livro perfeito se finalizasse no último capítulo, mesmo com todo o apelo dramático, mas a autora nos entrega um epílogo e eu tive alguns problemas com ele, mas nenhum deles é possível discutir mais profundamente sem despachar vários spoilers aqui.

Mil Beijos de Garoto é um livro bastante espiritualizado, se é que posso utilizar este adjetivo para ele, diria que até poético em certo ponto. Apesar de ser um livro jovem adulto e que apresente conflitos como tal, é possível que leitores de todas as idades se identifiquem e se sintam tocados com tudo que está escrito aqui. Estejam avisados que a leitura não será fácil, estejam cientes da enxurrada de emoções proporcionadas por Tillie Cole. Não é à toa que Mil Beijos de Garoto tenha me proporcionado a maior ressaca literária que vivi até hoje. A história é linda, inspiradora e bastante cruel, assim como a vida.


Resenha em Vídeo:

rela
ciona
dos