Lady Bird: A Hora de Voar – Crítica

03 mar, 2018 Por Raissa Martins

Lady Bird

Lançamento: 15 de fevereiro de 2018
Com: Saoirse Ronan, Laurie Metcalf, Tracy Letts
Gênero: Drama, Comédia

Um dos filmes mais comentados dos últimos dias é Lady Bird, escrito e dirigido por Greta Gerwig. Antes de assistir eu já tinha lido algumas críticas e também assistido ao trailer e, sinceramente não achei que o hype se justificava. Mesmo assim eu sabia que não poderia formular uma opinião sem de fato ter assistido ao filme, por isso fui atrás de ver. 
Lady Bird conta a história de Christine McPherson (Saoirse Ronan), uma adolescente prestes a se formar no ensino médio, cujo sonho é estudar em Nova York e se envolver com culturas diferentes de sua cidade natal, Sacramento. Ela se sente presa na rotina da cidade pequena, onde todo mundo conhece todo mundo e as histórias se repetem. Para conseguir realizar esse sonho ela se candidata a várias universidades esperando que alguma delas a aceite com uma bolsa, já que seus pais não poderiam pagar uma mensalidade tão cara. Além disso, Lady Bird também tem que lidar com o primeiro amor, desilusões, amizade e a virgindade.
O filme trata de assuntos bem reais, coisas pelas quais todo mundo passa na vida, principalmente na adolescência. É o momento em que estamos começando a desenvolver um pensamento mais individual sobre a vida e sobre nossas escolhas. E essa fase é muito difícil para nossos pais, que também precisam se adaptar a mudança. A de que os filhos, começam a tomar suas próprias decisões e conviver com as consequências delas. 


Não é um tema inovador e nunca debatido antes, mas é algo tão constante na vida dos seres humanos que precisa sempre ser reforçado e renovado. Sempre em nossas vidas vamos ter essas questões que envolvem nossas inseguranças e medos, nossos sonhos e se um dia vamos, de fato, realizá-los.
Outro tema que o filme aborda é o fato de nunca estarmos realmente satisfeitos com nossa vida, como sempre vamos ter algum objetivo a ser alcançado, mesmo que tenhamos acabado de conquistar alguma coisa. É uma reflexão sobre perceber que talvez a felicidade não esteja na conquista e sim no momento presente. Talvez, para realmente ser feliz, seja necessário parar de olhar tanto para o futuro e começar a pensar no que nos faz bem agora.
Lady Bird está concorrendo ao Oscar nas categorias Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original, Melhor Atriz e Melhor Atriz Coadjuvante. Não sei se ganharia como melhor filme, mas com certeza aposto nas demais categorias, principalmente Melhor Diretor e Melhor Roteiro Original. Lady Bird é o primeiro longa solo da diretora Greta Gerwig, que assina também o roteiro e entrega ao público quase que uma autobiografia.

Saoirse Ronan vem de outro filme excepcional, indicado em 2016 como Melhor Filme, Brooklin. Na ocasião, o filme recebeu outras 2 indicações. Em Lady Bird, a atriz interpreta uma excepcional adolescente de 17 anos, mesmo em seus 23 anos ela conseguiu transmitir muito honestidade em seu papel. Enfim, Lady Bird é um filme fácil de se identificar e com uma narrativa simples e despretensiosa. Não exige muito de quem está assistindo e nem chegou a me levar às lágrimas, mas com certeza me identifiquei com a protagonista e com as questões abordadas em sua jornada.

rela
ciona
dos