Imaginem uma aventura ao lado de heróis bastante conhecidos em uma realidade retrofuturista, em meio a locomotivas, maquinários, engenhocas e dirigíveis coexistindo com o sobrenatural! É assim que embarcaremos na obra de steampunk, Parthenon Místico, do autor Enéias Tavares.

Primeiramente, se você não sabe o que é steampunk, este é um subgênero da ficção científica, trata de enredos ambientados no passado, mas com a chamada tecnologia a vapor. É como se os inventos que possuímos hoje, fossem inventados mais cedo do que deveriam, ou seja, nasceram com a tecnologia que existia naquela época que era de uma forma muito mais rústica.

Em Parthenon Místico viajaremos diretamente para um Brasil do finalzinho do século XIX, onde teremos duas organizações. De um lado temos os nacionalistas que se chamam Ordem Positivista Nacional, este é um grupo extremista, que defendem a raça pura e que escondem segredos obscuros na forma como tem poder. Do lado oposto, temos os que desejam combater esta ordem que é o grupo que é visto como anarquistas, rebeldes que na verdade lutam pela igualdade, uma sociedade secreta de intelectuais chamada Parthenon Místico (as pessoas com bom senso).

E aqui temos Sergio Pompeu, como um dos protagonistas do livro, que chega a Porto Alegre dos Amantes após receber uma missiva de seu grande amigo Bento Alves. A partir daqui ele será inserido a este grupo de heróis e a sua origem.


Nesta resenha resolvi dividir em tópicos as características que mais me chamaram a atenção durante a leitura e eu tenho certeza que servirão como ótimos motivos para vocês darem uma chance para Parthenon Místico.

Imersão e narrativa

Logo no início do livro o autor vai nos inserir nesse universo de uma forma completa. De início seremos alertados sobre a grafia do livro, que vai seguir as normas ortográficas antigas, então teremos palavras escritas com y, ph, ch, exatamente como um dia já foram escritas. Depois teremos ilustrações de cada um dos principais personagens dessa história, assim como mapas dos principais cenários, fazendo com que seja muito fácil inseri-los em ação, nós já conhecemos suas principais características e isso facilita muito na hora da imaginação.

Todo este preparo, soma demais a leitura, fazendo com que tudo flua com mais dinamismo, porque o trabalho de nos situar em relação aos cenários e personagens a gente já tem entregue aqui logo nas primeiras páginas.

A narrativa é outro ponto interessante e corrobora muito com o gênero do livro. Todo o livro é narrado de forma epistolar, ou seja, através de cartas, gravações robóticas, diários de campo, noitários, relatórios, enfim… é através desses meios que cada personagem ganhará voz, onde acompanharemos as várias perspectivas da história, tanto dos nossos heróis, quanto as tramoias e planos do vilões. Eu particularmente adoro livros escritos desta forma pois conhecemos os personagens de forma mais íntima, admiro demais a inteligência do autor ao montar uma obra assim, sem a facilidade de um narrador único. E Enéias Tavares faz isso muito bem, aliás continua fazendo muito bem visto que em seu primeiro livro, ele também narrou toda a história assim.

Confira a resenha de A Lição de Anatomia

Personagens

Além do autor criar seus próprios personagens, aqui Enéias reinventa alguns aclamados personagens da literatura brasileira, como por exemplo, Solfieri de Alvares de Azevedo, Sergio Pompeu e Bento Alves de Raul Pompeia, entre outros. O autor resgata as principais características desses personagens e insere em sua própria trama, os colocando em outro contexto sim, mas sem deixar de mencionar a história de origem desses personagens. Isso enriquece esses personagens, fazendo que com suas histórias somem a de Parthenon Místico.

Representativa e Crítica

A leitura de Parthenon Místico é muito envolvente e muito divertida, é fácil se envolver por estas páginas e ansiar pela próxima, mas ao longo delas é possível perceber as diversas críticas que o autor insere na história, como por exemplo e a mais óbvia, a luta contra este governo extremista, que prega preconceito, que perpetua racismo e machismo estrutural, coisas que nós e o Parthenon Místico (ainda hoje) lutamos muito contra. Aliás, muitas coisas desse governo fictício, reflete muito ao nosso governo atual, o que é bem assustador.

Além disso o autor vai trazer muita representatividade na história, homenageando as diversas etnias e culturas que o Brasil possui. Aqui teremos personagens gays, negros, indígenas, japoneses, e através de cada um eles, também seremos inseridos a cultura desses personagens e o quanto isso é importante para construção deles.

Aspectos históricos também estarão presentes, então se você é do Rio Grande do Sul tenho certeza que você vai se familiarizar com diversas menções, a lugares, objetos, jornais, etc. Com certeza, para quem é de Porto Alegre e arredores vai sentir algo diferente sabe? Porém não é apenas a Porto Alegre que essa história de resume, pelo contrário, o autor comenta sobre Rio de Janeiro e São Paulo, aqui como São Paulo dos Corações Apressados. 

Edição e Extras

A Darkside sempre nos reserva as melhores surpresas em relação as edições que lança e com este não foi diferente. Assim como em seu catálogo, a editora preparou uma edição incrível para Parthenon Místico, do jeitinho que esta obra tão rica merece. Diagramação, corte lateral, capa dura, fitilho, é realmente muito linda a edição. Tudo isso somado a preocupação da editora em manter os extras que acompanham este universo.

Assim como mencionei, além das ilustrações e mapas no início do livro, ao final teremos diversos extras que ajudam ainda mais no nosso encanto quanto a este mundo de forma que seja uma experiência completa. Ao final, o autor dará os créditos literários dos personagens, mencionando de qual obra clássica nacional cada um foi retirado. Porém, o mais incrível e mais enriquecedor de tudo isso, estão nas últimas paginas onde teremos a revelação de todo conteúdo que expande o romance. Tudo de forma gratuita!

Brasiliana Steampunk

E aqui a gente vai para o último tópico desta resenha, o universo Brasiliana Steampunk. Parthenon Místico não é a primeira obra do autor sobre estes personagens, o autor já escreveu outras, sendo este um prequel, que pode ser lido de forma independente ou pode servir como uma porta de entrada para este universo. Seu primeiro livro lançado foi A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison, lançado em 2014 pela Leya. Além disso o autor conta com contos extras, objetos colecionáveis como um tarô, Comics e outro livro chamado Juca Pirama, lançado em 2019 pela Jambô. Além também de ter uma série de TV chamada A Todo Vapor, disponível do catálogo da Amazon.

No site do autor há inclusive uma timeline, lhe ensinando a ordem que você pode acompanhar estes conteúdos.

Junto destes extras há um guia chamado Suplemento Escolar, nele alunos e professores são inseridos ao mundo steampunk e ao Parthenon Místico de forma geral, destacando então a importância de trabalhar estes clássicos de forma diferente em sala de aula. Eu tenho certeza que as experiências dos adolescentes com estas obras sempre são sofridas, mas aqui a gente tem uma alternativa rica, inteligente e divertida, da forma que deve ser.

Então pra quem não quer se despedir deste universo tem muito conteúdo para acompanhar e eu tenho certeza que assim que você terminar esta leitura vai ficar muito curioso para ler tudo que Enéias Tavares tem para criar. Eu inclusive quero reler Dr. Louison, e tô ansiando muito por um novo livro do autor que, conforme as dicas deixadas no final de Parthenon Místico, pode acontecer. Darkside por favor lança este livro!

Parthenon Místico foi uma leitura saudosa, voltar para este universo foi uma experiência maravilhosa. Eu sou muito apaixonada por este mundo, por este gênero, por todas as referências literárias e folclóricas e também, para mim que sou gaúcha, todas as referências daqui. Adoro este personagens, adoro suas motivações, suas particularidades, suas complexidades, suas relações entre personagens, suas paixões, seus sentimentos. Há muito espaço aqui para a gente se apegar!


Resenha em Vídeo

  • Parthenon Místico
  • Autor: Enéias Tavares
  • Tradução: -
  • Ano: 2020
  • Editora: Darkside Books
  • Páginas: 352
  • Amazon

rela
ciona
dos

Os melhores contos de terror para você ler Livros para ler neste Halloween